sexta-feira, 10 de fevereiro de 2017

Tropas de Defesa Aérea das Forças Terrestres

Tabloide britânico relata defeitos em todos os submarinos de ataque do Reino Unido

Todos os sete submarinos nucleares de ataque da Marinha britânica apresentam defeitos ligados a vários motivos, mas o Ministério da Defesa não relata esses casos à primeira-ministra Theresa May, por temer sua reação, informa o jornal The Sun.

Segundo as fontes da edição, três novos submarinos Astute, que custa 1,5 bilhão de dólares a unidade, constantemente enfrenta problemas técnicos, enquanto quatro submarinos mais antigos, Trafalgar, "dão seus últimos suspiros".
Atualmente, as falhas estão sendo eliminadas em cinco submarinos. O novo, Ambush, passa por obras de reparo após colisão com um petroleiro perto de Gibraltar. Apenas o submarino Astute continua no mar, mas efetua testes e estará pronto para operar em algumas semanas. Apenas os submarinos estratégicos da classe Vanguard, que portam mísseis nucleares, estão em condições de combate.
Assim, pela primeira vez nas últimas décadas, o Reino Unido, de fato, está sem submarinos de ataque. Nestas condições, torna-se impossível reagir à atuação de submarinos russos no mar do Norte, aponta The Sun.
No entanto, Vladimir Valuev, almirante e ex-comandante da Frota do Báltico, opinou à Sputnik que a capacidade de combate dos submarinos de ataque da Marinha britânica será recuperada muito em breve.
Considerando que todos os submarinos multifuncionais de ataque não estão funcionando, acredito que seja um fenômeno temporário que, na minha opinião, tem a ver com o sistema de mísseis de ataque", explicou.
Segundo ele, a frota da Real Marinha Britânica é capaz de realizar vigilância dos submarinos russos.
"A coisa mais importante é que os submarinos nas áreas determinadas controlam a localização de submarinos de potencial inimigo. Eles podem ser usados em tempos pacíficos não como submarinos de ataque, mas apenas como complexos de vigilância e transmitir contato para navios de superfície e aviação. A tarefa pode ser realizada, mas com custo maior e eficácia menor", opina Valuev.
Anteriormente, o jornal Sunday Times comentou a vulnerabilidade dos destróieres britânicos perante submarinos russos, destacando que o Reino Unido tenha investido no desenvolvimento de sistemas de defesa antiaérea e antimíssil sem prestar a devida atenção à defesa contra submarinos.

Arquivo do blog segurança nacional