domingo, 8 de maio de 2016

Novo míssil russo RS-28 pode ‘enganar’ qualquer defesa antimíssil

Os melhores sistemas de defesa antimíssil poderão ser incapazes de interceptar o novo míssil balístico intercontinental russo RS-28 (Sarmat), que estará pronto para testes neste verão, informou a agência de notícias russa Zvezda.

O RS-28 é um míssil balístico intercontinental pesado de combustível líquido que está sendo elaborado para o exército russo.
O míssil é projetado para substituir o antigo míssil soviético R-36M Voevoda ("Satan" segundo a classificação da OTAN), como o componente básico do potencial nuclear da Rússia. O míssil RS-28 está em desenvolvimento desde 2009 e deverá substituir os sistemas antigos em 2018.
A agência também acrescentou que o novo míssil RS-28 será capaz de eliminar tudo em uma área do tamanho do Texas ou da França, e que a sua velocidade lhe permitirá “enganar” qualquer sistema de defesa antimíssil existente.
Embora haja pouca informação sobre as características técnicas do novo míssil, alguns fontes dizem que o Sarmat é um míssil com um alcance operacional estimado de 10.000 km e um peso de 100 toneladas, incluindo uma carga de 4 a 10 toneladas.


As ogivas do Sarmat terão uma série de contramedidas destinadas a penetrar qualquer “escudo” antimíssil. Os analisas dizem que o RS-28 também vai ter uma versão hipersônica convencional como o Advanced Hypersonic Weapon estadunidense ou o WU-14chinês, que poderá ser usado como uma arma intercontinental de alta precisão em um conflito não-nuclear.

O Ministério da Defesa russo pretende colocar o Sarmat em serviço no final de 2018 e substituir o Voevoda até 2020.

Submarino russo testa mísseis de cruzeiro Kalil no Mar de Barents

O submarino de ataque diesel-elétrico russo Stary Oskol, do projeto 636,3 Varshavianka, lançou mísseis de cruzeiro do sistema Kalibr-NK no Mar de Barents como parte do programa de testes das armas da embarcação, segundo disse o porta-voz da Frota do Norte da Rússia, capitão Vadim Serga, nesta sexta-feira (6).

De acordo com a declaração oficial, o Stary Oskol superou "uma série de provas na Frota do Norte" e lançou “com êxito” um míssil de cruzeiro Kalibr "contra um alvo na costa".

O texto explica que "o lançamento foi feito em imersão" contra um alvo "localizado no polígono de Chizha" – uma das instalações de treinamento no mar de Barents, no Oceano Glacial Ártico –, que recebeu "um impacto com precisão programada".sul), os sistemas navais de lançamento Kalibr-NK ganharam fama internacional depois que navios e submarinos de guerra russos os usaram para destruir alvos terroristas na Síria a uma distância de 1.500 quilômetros.
O Stary Oskol, por sua vez, foi lançado nos estaleiros de São Petersburgo para integrar a frota russa do Mar Negro, mas agora realiza testes e exercícios de treinamento de tripulação na base de Poliarni (Murmansk, noroeste do país) da Frota do Norte da Rússia.

Arquivo do blog segurança nacional