sexta-feira, 20 de junho de 2014

LANÇAMENTO DE NANOSSATÉLITE BRASILEIRO OBTEVE SUCESSO

Em órbita o cubesat concluiu 100% do plano de voo e já envia informações sobre sua localização.
O primeiro nanossatélite brasileiro NanosatC-Br1, lançado ontem (19) ás 16h11, já mantém contato com as bases de monitoramento. Desenvolvido com recursos da Agência Espacial Brasileira (AEB) e lançado na base de Yasny – Rússia, o cubesat está operando em modo de segurança e envia a sua localização por código Morse.
As informações enviadas são recebidas pelas Estações Terrenas de Rastreio e Controle de Nanossatélite do Programa NanosatC-BR da Universidade Federal de Santa Maria e a do Ita/Inpe. O objetivo do cubesat é monitorar a intensidade e mapear o campo magnético sobre a América do Sul, explica Jean Batana, coordenador de Pesquisa, Desenvolvimento e Inovação da Diretoria de Satélites e Aplicação da AEB.
“Os nanossatélites são importantes para o desenvolvimento da tecnologia espacial brasileira, além de motivar estudantes. É uma forma de congregar entre eles o trabalho na área espacial” fomenta José Raimundo Coelho, presidente da AEB.
O NanosatC-Br1 foi desenvolvido pelo Centro Regional Sul de Pesquisas Espaciais (CRS/INPE), é também o primeiro cubesat universitário brasileiro a ser lançado. “Estamos felizes com o sucesso do projeto e que a AEB pode apoiar este marco na história” comemora o diretor de Satélites, Aplicações e Desenvolvimento da AEB, Carlos Gurgel.
Juntamente com o NanosatC-Br-1, foram lançados a órbita terrestre outros 36 nanossatélites, todos são liberados parcialmente, o cubesat brasileiro mandou seu primeiro contato ás 21h23 desta quinta. O lançamento foi acompanhado presencialmente pelos coordenadores do projeto, Otávio Durão e Nelson Jorge Schuch.
Coordenação de Comunicação Social (CCS-AEB)
Foto: ESA (Cryosat-2)
SEGURANÇA NACIONAL BLOG,SNB

S-400 Sistemas de Defesa Aérea para proteger Kamchatka na Rússia

RIA Novosti) - de defesa antiaérea em Kamchatka será reforçada com novos sistemas S-400 Triumf, o Ministério da Defesa nesta sexta-feira.
"Eles adquiriram novos equipamentos militares lá - sistema de mísseis de defesa aérea S-400, que num futuro próximo serão entregues à divisão antiaérea no nordeste da Rússia", disse o porta-voz da Frota do Pacífico Roman Martov.
Há vários meses, as unidades de combate da divisão de mísseis de defesa aérea Petropavlovsk-Kamchatsky passou por um treinamento de sucesso no centro de treinamento da Força Aérea em Gatchina, região de Leninegrado.
O S-400 é um novo sistema de geração de médio e de defesa aérea de longo alcance, capaz de destruir todas as armas de ar moderno, incluindo aviões táticos e estratégicos, mísseis balísticos e alvos hipersônicos.
SEGURANÇA NACIONAL BLOG

Rússia Testes de Sistemas de Defesa Aérea Pantsir no Ártico

RIA Novosti) - A Rússia está testando sua Pantsir S-1 de curto alcance sistema de defesa aérea no Ártico para garantir a segurança na região rica em recursos, que logo é esperado para se tornar o centro de exploração de petróleo e gás para do país, Alexander Denisov, diretor de Sistemas de alta precisão segurando disse RIA Novosti segunda-feira.
"Estamos orgulhosos de que Pantsir S-1 foi confiado o papel de um sistema de defesa aérea pioneira no Círculo Ártico. Hoje, um esquadrão de vários veículos de guerra já está passando por uma fase de testes militar experimental nas condições extremas do Norte ", disse ele.
O Pantsir S-1, produzido pela KBP da Rússia, é um sistema de arma-míssil que combina uma montagem de um radar de controle de fogo e sensores eletro-ópticos, dois canhões de 30 mm veículo com rodas e até 12 57E6 rádio-comando guiado de curto alcance mísseis. Ele é projetado para assumir uma variedade de alvos voando a baixa altitude, bem moído e as ameaças de água de superfície.
O número de veículos pode crescer no Norte como infra-estrutura se expande lá, mas "a decisão será tomada pelo Ministério da Defesa, dependendo da avaliação complexa da situação", disse Denisov.
Os testes Ártico vem no momento da exploração de recursos ativo da Rússia na região.Recursos potenciais do Ártico são avaliadas em US $ 30 trilhões, e é aí que a Rússia irá mudar suas atividades de exploração de petróleo e gás em breve, especialistas do Ministério de Emergências da Rússia disse, daí a necessidade de proteger o território.
Rússia diz respeito exploração do Ártico como uma das suas principais prioridades e drivers de crescimento econômico. A descoberta de grandes jazidas de hidrocarbonetos no Ártico provocou competição internacional sobre os recursos da região. No ano passado, Moscou apresentou uma estratégia destinada a aumentar a sua presença no Ártico e impulsionar o desenvolvimento da região em 2020.
A nova versão do sistema de defesa Pantsir SM, atualmente em desenvolvimento, será capaz de atirar em alvos balísticos e vai sair em 2017, disse Denisov.
"O sistema também permitirá destruir ameaças aéreas voando na velocidade de vários milhares de metros por segundo. Hoje, como você sabe, é de 1.000 metros por segundo. Sua principal diferença em relação ao sistema de defesa aérea existente é a habilidade de atirar em alvos balísticos ", disse ele.
O sistema Pantsir foi desenvolvido em 1994 e passou por modernização significativa desde então.
SEGURANÇA NACIONAL BLOG,SNB

Arquivo do blog segurança nacional