terça-feira, 29 de outubro de 2013

SATÉLITE CBERS-3 JÁ ESTÁ NA BASE DE LANÇAMENTO CHINESA

 Outubro de 2013 - O quarto satélite de sensoriamento remoto da série Cbers, desenvolvido em parceria entre o Brasil e a China, já está na base de lançamento de Taiyuan (TSLC). O seu lançamento está previsto para a primeira quinzena de dezembro próximo.
No Brasil, o programa Cbers (sigla em inglês para Satélite Sino-Brasileiro de Recursos Terrestres) é gerenciado pela Agência Espacial Brasileira (AEB) e desenvolvido pelo Instituto Nacional de Pesquisas Espaciais (Inpe) e pela Academia Chinesa de Tecnologia Espacial (Cast).
“O deslocamento de Beijin para Taiyuan foi de trem e a viagem durou cerca de 15 horas. No centro técnico do TSLC os especialistas do Inpe e da Cast estão integrando os módulos de serviço e de carga útil do satélite. Serão feitos alguns testes elétricos para verificar se não houve danos durante o transporte”, explica  engenheiro do Inpe, Antonio Carlos de Oliveira Pereira Junior.
Ele informa que a seguir serão instalados os painéis solares. Ao término dessa atividade será feita a revisão de prontidão do satélite (SRR), que autoriza o enchimento dos tanques de combustível. Após o SRR, o satélite é transferido para a torre de lançamento e acoplado ao foguete Longa Marcha-4 para os testes de pré-lançamento.
Monitoramento
O uso de satélites permite monitorar com mais eficiência e economia as transformações no meio ambiente, tanto as naturais quanto as causadas pela ação do homem. A observação a partir do espaço é ainda mais importante para países de dimensões continentais, como o Brasil e a China.
Em 1988, os dois países criaram o Programa Cbers para juntar esforços pela capacitação na área de observação da Terra. Já foram lançados três satélites – Cbers-1, em 1999, Cbers-2, em 2003, e Cbers-2B, em 2007. O Cbers-4 está programado para ir ao espaço em 2015.
Imagens de satélites são fundamentais para coletar, de forma rotineira e consistente, informações sobre a superfície do planeta como as necessárias para avaliar mudanças globais, as florestas, a evolução do agronegócio, estudos urbanos e costeiros. Satélites também são essenciais para obter informação de forma rápida sobre eventos cuja localização e ocorrência é de difícil previsão ou acesso, como desastres naturais (enchentes, por exemplo), ou produzidos pelo homem (queimadas, poluição causada por derramamento de óleo no mar).
O Inpe distribui diariamente pela internet centenas de imagens de satélites a 1,5 mil instituições públicas e privadas do país. A disponibilidade de dados Cbers permite que se desenvolvam cada vez mais aplicações de sensoriamento remoto. Além disso, o Programa Cbers promove a inovação na indústria espacial nacional, gerando empregos em um setor de alta tecnologia fundamental para o país.
Veja mais sobre o Programa Cbers na página www.cbers.inpe.br
Com informações da Ascom do Inpe
AEB ,,SEGURANÇA NACIONAL BLOG 

Elite Commando Unidades Espectadores emoção no Interpolitex-2013 Exposição

RIA Novosti) - O novo submarino nuclear da Rússia, o Alexander Nevsky, completou os testes de mar, um construtor de navios nesta segunda-feira.
Trabalhar no projeto de classe Borey está "dentro do cronograma", o estaleiro Sevmash disse, sem fornecer qualquer indicação de quando o submarino iria entrar para a marinha.
No início de setembro, a Rússia colocou em espera os julgamentos de dois submarinos da classe Borey na sequência de um lançamento mal sucedido de um Bulava submarinos lançadores de mísseis balísticos (SLBM). O ministro da Defesa russo, Sergei Shoigu também ordenou que o Alexander Nevsky eo Vladimir Monomakh submarinos, concebidos para transportar o Bulava , realizar cinco lançamentos adicionais do SLBM conturbado.
O Alexander Nevsky era esperado para ser entregue à Marinha em 15 de novembro, enquanto as outras sub-classe Borey estava previsto para ser encomendado em meados de dezembro, o chefe Sevmash Mikhail Budnichenko disse em julho. No entanto, a adoção de ambos os submarinos depende do sucesso dos lançamentos de teste Bulava.
Incluindo o mais recente fracasso, oito em cada 19 ou 20 lançamentos de teste do Bulava conturbado tenham sido oficialmente declarado infrutífero. Os militares russos tem afirmado repetidamente que não há alternativa para o Bulava.
O Bulava três estágios transporta até 10 ogivas MIRV, tem um alcance de mais de 8.000 quilômetros (5.000 milhas) e é projetado para a implantação em submarinos nucleares da classe Borey.
SEGURANÇA NACIONAL BLOG

FAB TV - Conexão FAB - Revista Eletrônica - Outubro 2013

Com uma das maiores frotas, São Paulo é a única cidade do mundo que dispõe de controle de helicópteros. O Conexão FAB foi à torre do aeroporto de Congonhas para mostrar como este trabalho é realizado. No programa de Outubro, você vai conhecer também como funciona a tarefa de comando e controle dos voos militares durante uma operação e também nos grandes eventos. Veja o programa:
SEGURANÇA NACIONAL BLOG 

Arquivo do blog segurança nacional