Wikipedia

Resultados da pesquisa

quarta-feira, 13 de março de 2013

Felin sistema de combate / Le système de combate Felin

SNB

Afghanistan.The.Battle.For.Helmand.2011 PARTE 2

SNB

Marines Luta traficantes talibãs

SNB

MALI.La França "abre a bola" no Rafale (HD 1080) até janeiro de 2013_mixed Rico.mpg

SNB

Dassault Rafale The Power of One HD

SNB

O submarino mais moderno convencional no mundo é produzida em Cartagena (Espanha)

SNB

Guerra Submarine 2013.da marinha da espanha

..SNB

Empresas criticam transferência de tecnologia trem-bala


O modelo de transferência de tecnologia do projeto do trem-bala entre Campinas e Rio de Janeiro desenhado pela Agência Nacional de Transportes Terrestres (ANTT) tem incomodado parte das empresas interessadas na obra. Nas últimas semanas, empresas pediram à agência que flexibilizasse as regras sobre essa transferência. Para alguns concorrentes interessados no projeto, o governo inibe a participação das multinacionais ao impor o repasse integral de conhecimento. Consórcios chegaram a defender a ideia de que o governo ampliasse o percentual de produção nacional de componentes, mas não houve acordo.
A ANTT vai exigir transferência plena da tecnologia que será utilizada no trem-bala e vai restringir o acesso a esse conhecimento à estatal Empresa de Planejamento e Logística (EPL). Isso significa que demais sócios do consórcio do trem - que não sejam detentores da tecnologia - não poderão ter essas informações compartilhadas. Caberá ao acionista privado do consórcio indicar o provedor de tecnologia que vai celebrar o contrato de transferência com a EPL. A estatal, por sua vez, vai selecionar os agentes brasileiros que vão receber a tecnologia.
A entrega das propostas e dos planos de negócio do trem-bala está marcada para 13 de agosto, na sede da BM&F Bovespa, em São Paulo. A abertura das propostas ocorrerá em 19 de setembro.
O consórcio que vencer a licitação para operação do trem-bala poderá definir, a seu critério, a estrutura de exploração comercial das sete estações previstas em seu trajeto de 511 km, que ligará as cidades de Campinas, São Paulo e Rio de Janeiro. Pelas regras da ANTT, a concessionária poderá definir, em seu projeto, o layout e a configuração de áreas funcionais e comerciais de cada estação. A agência se comprometeu em garantir que o projeto executivo do empreendimento não fará modificações substanciais nessas definições.
Pelas regras do edital, se houver incompatibilidade entre o projeto funcional preparado pelo consórcio e o projeto executivo, que será desenvolvido pela EPL, qualquer uma das partes poderá solicitar a recomposição do equilíbrio econômico-financeiro. Essa recomposição, no entanto, só ocorrerá se a desconformidade alterar as condições originalmente pactuadas e se não houver solução consensual. A exploração comercial das estações é vista, pelos investidores, como uma fonte de receita crucial para dar viabilidade ao empreendimento.
A ANTT também já definiu detalhes sobre o financiamento do projeto. Os recursos do BNDES se restringirão à aquisição de máquinas, equipamentos e sistemas necessários para a construção do trem-bala. O dinheiro público não poderá ser acessado, por exemplo, para pagamento de custos relacionados à administração do empreendimento, como consultorias jurídica e financeira, ou mesmo para pagamento de juros de financiamento.
Pelas regras, o valor do aporte do BNDES será limitado a 80% de itens financiáveis ou 70% do investimento total. O valor máximo que será oferecido é de R$ 5,3 bilhões, tendo como base o valor de referência do estudo do trem-bala, realizado em 2008. Esse valor, portanto, será maior, porque sofrerá correção pelo IPCA.
VALOR ...SNB

EUA aumentam alerta sobre ataques cibernéticos


AE - Agência Estado
Os principais órgãos de segurança contra espionagem dos Estados Unidos alertaram nesta terça-feira sobre uma ameaça crescente de ataques cibernéticos à segurança e à economia do país.
As autoridades norte-americanas de inteligência disseram em uma audiência no Senado que o país é vulnerável à espionagem cibernética e crimes cibernéticos. Segundo eles, os ataques podem ser deferidos tanto por meios sofisticados de agressão governamental quanto por grupos de hackers criminosos e terroristas.
"É difícil exagerar o seu significado", afirmou o diretor de Inteligência Nacional James Clapper, dirigindo-se aos membros do Comitê de Inteligência do Senado. Segundo ele, estas potencialidades "colocam em risco todos os setores" do país - desde redes governamentais e privadas até redes cruciais de infraestrutura.
O diretor do FBI, agência de investigação dos EUA, Robert Mueller, citou a segurança cibernética como algo que o mantém acordado à noite. De acordo com o diretor, estes tipos de ameaça já se comparam com o terrorismo.
Os agentes de inteligência, na descrição de um inventário anual de problemas globais, não revelaram novas iminentes ameaças cibernéticas ou tentativas não informadas anteriormente. Mas eles ressaltaram suas advertências, usando termos normalmente reservados para as ameaças que emanam da Al Qaeda e do Irã.
Olhando para o futuro, Clapper disse que as chances de um ataque ultra sofisticado capaz de aniquilar as principais redes de computadores em todo o país são "remotas". Os países mais capazes de realizar esse tipo de ataque - China e Rússia - não devem lançar tais ofensivas na ausência de um conflito ou uma crise, de acordo com a avaliação.
Mas, segundo as autoridades, os hackers que são relativamente pouco sofisticados podem, eventualmente, ser capazes de interromper redes inseguras de computadores que executam funções vitais - como a rede de energia.
Os ataques cibernéticos de "agentes menos avançados, mas altamente motivados" poderia fazer muito mal por causa dos impactos em redes de computadores interconectadas, concluiu a avaliação.
A inteligência dos EUA rastreou indícios de que os terroristas também estão pensando em realizar ataques cibernéticos, de acordo com a avaliação. As informações são da Dow Jones.
SNB

Embraer está otimista com pedidos de empresas dos EUA


ROBERTA VILAS BOAS - Reuters
SÃO PAULO, 13 MAR - A Embraer, terceira maior fabricante de aviões comerciais do mundo, se mostrou otimista com possíveis pedidos de grandes empresas aéreas dos Estados Unidos e espera concluir campanhas de venda no país nos próximos meses, afirmou o presidente-executivo Frederico Curado nesta quarta-feira.
Em meio à disputa com a rival canadense Bombardier para renovar a frota da United Continental e das empresas em processo de fusão American Airlines e US Airways, Curado sinalizou que grandes pedidos podem ocorrer.
"Há algumas campanhas importantes nos EUA que devem amadurecer logo... Há discussões em andamento e estamos confiantes de que vamos ter uma participação importante dessas oportunidades. Ao longo dos próximos meses esperamos ter confirmações", disse Curado em teleconferência com analistas.
O executivo se mostrou confiante com o desempenho da empresa nos EUA e afirmou que "vê algumas atividades na América Latina", destacando o plano de incentivo à aviação regional no Brasil. "Estruturalmente, isso é uma notícia boa para fabricantes de aviões regionais, incluindo nós".
Questionado sobre o desenvolvimento do Legacy 500, Curado afirmou que a campanha de vendas "está melhor que o esperado".
ACORDO COM FORÇA AÉREA DOS EUA
A empresa afirmou que está pronta para iniciar a produção do avião de ataque leve Super Tucano nos EUA para atender a contrato com a Força Aérea norte-americana, e demonstrou confiança na resolução dos questionamentos sobre a licitação.
"A produção começa tão logo tenha a confirmação do programa", afirmou o vice-presidente financeiro da fabricante brasileira de jatos, José Filippo, na teleconferência.
No fim de fevereiro, a Embraer bateu a Beechcraft na disputa para fornecer 20 aviões de apoio para a Força Aérea dos EUA que serão utilizados em missões no Afeganistão, mas a empresa norte-americana rival já informou que vai contestar a licitação.
Em dezembro de 2011, a Beechcraft também protestou contra a primeira licitação, que acabou sendo suspensa e que também teve a Embraer e a parceira Sierra Nevada como escolhida.
"O fato de ter sido refeito o processo deu mais robustez a toda a estrutura. Temos expectativa de que se resolva logo para iniciar (a produção) o quanto antes", disse Filippo.
Segundo o executivo, a Embraer já realizou investimentos na fábrica da Flórida, onde serão fabricados os Super Tucanos, mas que o valor aplicado na unidade até o momento "não é relevante".
Curado acrescentou que o acordo também está protegido contra possíveis cortes de orçamento do governo dos EUA. "Entendemos que esse contrato está protegido de qualquer redução de orçamento", afirmou.
No início de março, os cortes de 85 bilhões de dólares no orçamento foi oficializado pelo governo dos EUA, pela falta de um acordo político sobre um plano alternativo.
EXPECTATIVAS PARA 2013
A Embraer divulgou na noite de terça-feira que encerrou o quarto trimestre com lucro de 253,7 milhões de reais, revertendo prejuízo de um ano antes, e totalizando lucro de 698 milhões de reais em 2012.
A margem operacional (Ebit) da empresa ficou em 10 por cento no ano, enquanto a margem Ebitda ficou em 14,5 por cento, ambas acima da previsão da empresa, de 9 a 9,5 por cento e de 12,5 a 13,5 por cento, respectivamente.
Para 2013, a Embraer espera margem operacional de 9 a 9,5 por cento, enquanto para a margem Ebitda a expectativa é de 13 a 14 por cento.
Questionado sobre as expectativas da empresa para 2014 e 2015, Curado evitou entrar em detalhes, mas afirmou que as margens podem ser pressionadas por mix de produtos diferente.
"Temos que lembrar que, embora possamos ter aumento nos volumes, o mix de produtos pode não ser favorável. Teremos muita demanda por regionais dos EUA. É um avião menor, com menor preço. É prematuro hoje ficar muito otimista com alta nas margens", disse Curado.
O executivo também comentou que espera queda na peso das despesas administrativas na receita, dos atuas 12 por cento, para entre 10 e 11 por cento neste ano, em meio à expectativa de que o volume de custos em 2012 não se repita em 2013.
Às 13h48, a ação da companhia na Bovespa tinha alta de 1,46 por cento, cotada a 17,40 reais. No mesmo instante, o Ibovespa recuava 0,33 por cento.
Para o Bradesco BBI, os resultados do quarto trimestre foram encorajadores. "Em nossa visão, os resultados melhores são atribuíveis à melhora no Ebtida e nas margens, graças ao dólar mais alto e fortes entregas no quarto trimestre", afirmaram os analistas liderados por Edigimar Maximiliano Jr em relatório.
Por outro lado, eles consideraram que a carteira de pedidos não mostra sinais de recuperação. "O baixo nível da carteira é nossa principal preocupação, principalmente se comparada com a boa performance de sua principal rival, a Bombardier". .
SNB

Brasil e Espanha debatem cooperação em desastres naturais e defesa cibernética

Brasília, 12/03/2013 – As Forças Armadas brasileiras poderão intensificar a cooperação com a Espanha nos setores de desastres naturais e defesa cibernética, entre outros. O tema fez parte da reunião bilateral entre o ministro da Defesa, Celso Amorim, e o colega espanhol Pedro Morenés Eulate, ocorrida hoje em Brasília (DF).Na reunião, o ministro espanhol revelou interesse numa aproximação com o Brasil e outros países sul-americanos para tratar especificamente do apoio em questões de desastres naturais. Por sugestão de Amorim, prontamente aceita por Morenés, o tema será objeto de cooperação bilateral – que poderá, futuramente, ser estendida aos outros países que integram a União das Nações Sul-Americanas (Unasul).
Mais adiante, Morenés manifestou interesse, também, no setor de defesa cibernética, considerado como “área de cooperação prioritária”. Celso Amorim citou a experiência do país na criação do Centro de Defesa Cibernética do Exército Brasileiro, já em funcionamento, e concordou em aprofundar a troca de conhecimentos nesse campo.
Durante a reunião, os dois ministros destacaram a crescente aproximação entre suas respectivas indústrias de defesa, inclusive em processos de licitação de interesse mútuo. E reafirmaram a disposição em estender ao setor de defesa a "intensa" relação econômica e política que os países mantêm entre si.
Após o encontro, Amorim e Morenés assinaram comunicado conjunto onde destacam a cooperação entre os dois países no sentido de assegurar a continuidade e o intercâmbio na área de defesa. Morenés mostrou-se interessado em projetos que o governo brasileiro vem desenvolvendo com a Marinha, o Exército e a Aeronáutica.
"O Brasil decidiu ampliar sua capacidade operacional em defesa” e a Espanha "quer estar ao seu lado", compartilhar experiências e explorar as possibilidades de cooperação que existem na indústria de defesa e no meio militar, disse o ministro espanhol.
Reunião bilateral
A visita do ministro Morenés é desdobramento do encontro da presidenta Dilma Rousseff com governantes espanhóis, ocorrida em novembro do ano passado em Madri.
Coube ao ministro brasileiro iniciar a exposição com relato de temas que interessam aos dois países. Amorim destacou, por exemplo, o trabalho de revitalização dos aviões P3 Orion e da aquisição das aeronaves C-295 CASA, que no Brasil têm a denominação de C-105 Amazonas.
Na reunião, Amorim e Morenés abordaram também o Programa de Obtenção de Meios de Superfície (Prosuper) da Marinha do Brasil, em que há interesse espanhol no fornecimento de embarcações, e o Sistema Integrado de Monitoramento de Fronteiras (Sisfron) do Exército Brasileiro.
Os dois ministros conversaram ainda sobre a importância de fortalecer o intercâmbio entre militares das respectivas Forças Armadas. Ao final do encontro, Amorim reiterou o convite para que se realizem visitas de alto nível do Ministério da Defesa espanhol ao Brasil. Morenés, por sua vez, informou que estará representado na feira LAAD Security & Defence, que acontece em abril no Rio de Janeiro, pelo Diretor Geral de Armamento e Material de seu país.
Fotos: Felipe Barra
Assessoria de Comunicação Social (Ascom)
Ministério da Defesa
SNB

Crackers vendem senhas de banco de dados do Governo




São Paulo – Crackers estão vendendo códigos de usuários e senhas da rede de informações Infoseg, administrada pelo Governo, na internet.O sistema Infoseg reúne informações de segurança, justiça e fiscalização dos órgãos públicos do País. O serviço possui informações federais e estaduais sobre inquéritos, processos, mandados de prisão, porte de armas de fogo, veículos e seus condutores, entre outros, todos guardados com sigilo pelos órgãos responsáveis.
O Conselho Nacional de Justiça afirma em seu site oficial que a Infoseg é o maior sistema de informações de segurança pública do Brasil.
Uma reportagem realizada pelo canal SBT mostrou que os crackers comercializam senhas de acesso ao serviço por até dois mil reais. Para a entrada, basta um número de CPF e uma senha.
Os crackers utilizam dos dados de autoridades que possuem acesso ao sistema, como policiais militares, para gerar novas senhas. Os dados são obtidos por pessoas corruptas que possuem a entrada e vendem as informações necessárias. Uma vez com as informações, os criminosos podem entrar no Infoseg e alterar as credenciais de acesso.
Com dois mil reais, os criminosos garantiam acesso ao sistema sigiloso por até trinta dias.
EXAME..SNB

Arquivo do blog segurança nacional