terça-feira, 5 de março de 2013

Operação Aspirantex 2013

SNB

Fragata Constituição na UNIFIL

SNB

Dilma Lamenta Morte De Hugo Chávez E Presta Homenagem

SNB

Hugo Chavez da Venezuela morre aos 58 anos


O presidente da Venezuela, Hugo Chávez, morreu aos 58 anos, após 14 anos no poder.
Chávez havia sido gravemente doente com câncer há mais de um ano, passando por várias operações em Cuba, e não tinha sido visto em público há vários meses.
Vice-presidente Nicolas Maduro fez o anúncio na terça-feira, ladeado pelos líderes políticos e militares.
O governo disse que o corpo de Chávez estaria no estado até sexta-feira, quando o seu funeral seria realizado. Sete dias de luto foram declaradas.
De acordo com a Constituição, o Presidente da Assembleia Nacional, Diosdado Cabello, assumirá como presidente interino até que uma eleição pode ser realizada.
Militar leal
No endereço emocional terça-feira à noite, um choroso Vice-Presidente Maduro disse que Chávez havia falecido ", depois de enfrentar uma doença difícil para quase dois anos".
"Recebemos a informação mais difícil e trágico que ... Comandante do presidente Hugo Chávez morreu hoje às 4:25 pm," o Sr. Maduro disse.
Mais cedo, ele disse que o líder venezuelano teve uma infecção respiratória grave e havia entrado no "suas horas mais difíceis".Ele falou de uma conspiração contra a Venezuela, dizendo que ele não tinha nenhuma dúvida de que o câncer de Chávez, diagnosticada pela primeira vez em 2011, tinha sido induzida por jogo sujo por inimigos da Venezuela - os EUA prontamente rejeitou as acusações como "absurdas".
Ele disse que uma comissão científica poderia um dia investigar se a doença de Chávez foi provocada pelo que chamou de um ataque inimigo.
Esforçando-se para conter as lágrimas, o Sr. Maduro chamou a nação a cerrar fileiras após a morte de seu líder.
Ele disse que o governo tinha implantado as forças armadas e da polícia nacional "para acompanhar e proteger nosso povo e garantir a paz".
Mais cedo, ele disse que expulsou dois diplomatas norte-americanos do país por espionagem militar da Venezuela.
Um comunicado dos militares disse que iria proteger a soberania, a integridade ea segurança do país. Permaneceria fiel ao vice-presidente e ao parlamento, acrescentou, pedindo que as pessoas mantenham a calma.
Mais tarde, o chanceler José Elias Jaua Milano anunciou que o governo declarou sete dias de luto.
A procissão vai levar o corpo de Chávez para a Academia Militar, em Caracas na quarta-feira, onde vai estar em estado até sexta-feira para permitir que os seus apoiantes para pagar seus respeitos.
Sr. Jaua acrescentou que o funeral oficial com a presença de chefes de Estado estrangeiros teria lugar às 10:00 hora local (14:30 GMT) na sexta-feira, e apelou aos apoiantes de Chávez de usar roupas nas três cores da bandeira venezuelana em sua honra.
Mudança política
Os EUA descreveu a morte como um "momento difícil", reafirmando o que descreve como o seu apoio para o povo venezuelano eo seu interesse em desenvolver um relacionamento construtivo com Caracas."Como a Venezuela começa um novo capítulo na sua história, os Estados Unidos continuam comprometidos com políticas que promovam os princípios democráticos, o Estado de direito e respeito pelos direitos humanos", disse um comunicado da Casa Branca.
Na Argentina, a presidente Cristina Fernández de Kirchner suspendeu todas as atividades após a morte foi anunciada.
Tanto ela e seu falecido marido, Nestor Kirchner, eram amigos íntimos do líder venezuelano tição.
No Peru, o Congresso realizou um minuto de silêncio em sua homenagem. O presidente da Bolívia, Evo Morales, disse que estava saindo imediatamente para Caracas.
Os governos do Chile e do Equador também divulgou notas oficiais de condolências para a Venezuela.
O governo equatoriano disse que sentiu a perda como a sua própria, e esperava que seus vizinhos poderia continuar a revolução de Chávez.
Analistas dizem que a morte de Chávez poderia alterar o equilíbrio político na América Latina - um golpe para os estados de esquerda, enquanto favorecendo os países mais centristas.
Não poderia ser também um impacto económico dado que a Venezuela vende petróleo a preços abaixo do mercado para alguns países vizinhos, especialmente no Caribe.
Ministro das Relações Exteriores do Reino Unido, William Hague, disse que estava "triste" ao saber da morte, dizendo que Chávez havia deixado uma "impressão duradoura" na Venezuela.
O Reino Unido Foreign Office emitiu um alerta de viagens visitantes de consultoria para a Venezuela: "Este é um momento delicado para o país que são fortemente aconselhados a evitar quaisquer reuniões públicas.".
Um dos líderes mais visíveis, vocal e controverso na América Latina, Hugo Chávez ganhou a presidência em 1998 e tinha mais recentemente, ganhou mais um mandato presidencial de seis anos, em outubro de 2012.
Seu governo tem implementado uma série de "missões" ou programas sociais, incluindo educação e saúde para todos. Mas a pobreza eo desemprego são ainda muito difundida, apesar da riqueza petrolífera do país.
Chávez era conhecido por seu estilo extravagante discurso público, que ele colocou para usar em seu programa semanal de TV ao vivo, Alô Presidente (Olá Presidente), na qual ele falou sobre suas idéias políticas, convidados entrevistas e canta e dança.
Em maio passado, o pára-quedista antigo exército disse que tinha recuperado de um câncer não especificado, após passar por cirurgia e quimioterapia em 2011 e uma nova operação em fevereiro de 2012.
No entanto, em dezembro, ele anunciou que precisava de uma cirurgia de câncer ainda em Cuba, e nomeou o Sr. Maduro como seu sucessor preferido em caso de necessidade.
Chávez permaneceu fora da vista do público, finalmente retornando para a Venezuela, em fevereiro.
BBC NEWS ...SNB

EUA continuarão a financiar sistema antimísseis de Israel, diz Hagel

 France Presse...O chefe do Pentágono Chuck Hagel, acusado pelos republicanos de não apoiar Israel, assegurou nesta terça-feira (5) que Washington continuará a financiar os sistemas antimísseis israelenses, apesar das dificuldades orçamentárias, informou o departamento de Defensa americano.
O ministro israelenses da Defesa, Ehud Barak, foi o primeiro ministro estrangeiro a se reunir com Hagel, criticado pela oposição americana por antigas declarações sobre a influência do "lobby judeu" no Washington.
Ehud Barak, que deve deixar suas funções nos próximos dias, está em Washington para participar esta semana da conferência anual da AIPAC, o poderoso grupo pró-israelense.
Secretário de Defesa americano Chuck Hagel e ministro da Defesa israelense, Ehud Barak, caminham juntos para o Pentágono (Foto: AP Photo / Carolyn Kaster)Secretário de Defesa americano Chuck Hagel e ministro da Defesa israelense, Ehud Barak, caminham juntos para o Pentágono (Foto: AP Photo / Carolyn Kaster)
Soldado veterano que combateu da guerra do Vietnã, Chuck Hagel bateu continência para Barak, ex-chefe do Estado-Maior israelense, antes de se abraçarem.
O ex-senador republicano pelo estado de Nebrasca foi confirmado ao cargo de ministro da Defesa na semana passada após difíceis debates com os republicanos, que o acusaram de ser hostil em relação a Israel e ingenuidade vis-à-vis o programa nuclear iraniano.Durante a reunião com Barak, que durou cerca de duas horas, o chefe do Pentágono reiterou "o firme compromisso" de seu país "com a segurança de Israel", ressaltou em um comunicado seu porta-voz, George Little.
Este compromisso se traduz "pela conservação da vantagem militar qualitativa e a continuação do apoio americano aos sistemas de defensa antimísseis, apesar das restrições orçamentárias", acrescentou.
De acordo com um membro da Defesa dos Estados Unidos, Chuck Hagel indicou que "trabalhará com os legisladores para assegurar que não haverá interrupção do financiamento" dos sistemas israelenses de defesa Iron Dome, Arrow e Fronda de David, em parte financiados por Washington.
O orçamento militar americano debe sofrer um corte automáticos de US$ 46 bilhões até o final de setembro.
A respeito do programa nuclear iraniano, Chuck Hagel reafirmou que os "Estados Unidos continuam a acreditar que ainda há tempo para uma solução diplomática", mas a janela está se fechando, segundo Little.
Durante sua intervenção ante a AIPAC no domingo (3), Ehud Barak advertiu o Irã que Israel não permitirá jamais que o desenvolvimento de armas nucleares.
O presidente americano, Barack Obama, deve realizar sua primeira visita oficial a Israel e Cisjordânia em duas semanas.
G-1...SNB

Oracle corrige falha no Java e pesquisador acha mais 5 brechas

O Java recebeu mais uma atualização de segurança nesta segunda-feira (4). Na quinta atualização de segurança do ano, as mudanças corrigem brechas que já estavam em uso por hackers em ataques sofisticados contra organizações. As falhas podem ter relação com o ataque à empresa de segurança Bit9.Das cinco atualizações lançadas pela Oracle, desenvolvedora do Java, apenas uma estava prevista. Pelo calendário de atualizações da Oracle, o Java deveria receber uma atualização em janeiro de 2013. A próxima atualização só deveria ser lançada em abril. As vulnerabilidades publicadas, já em uso por hackers, forçaram a Oracle a disponibilizar atualizações emergenciais.
As brechas existem no plug-in do Java. As vulnerabilidades permitem burlar o isolamento de segurança no plug-in, que deveria impedir que o código Java executado em navegadores obtivesse acesso ao sistema do usuário. Sem a proteção, uma visita a um site que explora a falha é suficiente para infectar o sistema da vítima.

O Java 7 Atualização 17 já está disponível para download no site Java.com.

Outras cinco falhas
O pesquisador Adam Gowdiak, da Security Explorations, que vem descobrindo diversas falhas no Java, disse ter encontrado mais cinco vulnerabilidades no software.

Os erros foram identificados depois que a Oracle considerou inválida uma vulnerabilidade encontrada pelo pesquisador. Quando Gowdiak foi investigar os argumentos da Oracle, ele descobriu mais problemas.

Nenhum detalhe técnico foi revelado. De acordo com Gowdiak, a Oracle já recebeu as informações e um código que demonstra como é possível explorar as vulnerabilidades para atacar as versões mais recentes do Java.

Java
Java é uma linguagem de programação que permite criar softwares que podem ser executados em sistemas operacionais diversos sem a necessidade de adaptar o código para cada plataforma.

O Java também pode ser executado em navegadores de internet por meio de um plug-in que é instalado junto com o Java. O plug-in limita a capacidade do código Java executado pelos navegadores, de modo a não representar risco ao internauta. No entanto, falhas de segurança permitem a hackers burlar essa proteção, executando códigos maliciosos.

Como desativar o Java
No Java 7 é possível desativar o Java pelo Painel de Controle, na opção "Java".  Na aba Segurança, deixe o nível de segurança em “Muito Alta”. Para desativar o Java em todos os navegadores definitivamente, desmarque a caixa “Ativar conteúdo Java no browser”.

No Java 6 e em algumas instalações incorretas do Java 7, as opções podem não estar disponíveis. Veja como desativar o Java no Java 6 ou apenas em navegadores específicos.

Como atualizar o Java
Nos sistemas operacionais Windows Vista e 7 será preciso autorizar um aviso do Controle de Contas de usuário (UAC) quando aparecer um aviso sobre o "jusched". Depois disso, é preciso clicar no ícone do Java que ficará na barra do relógio (o ícone poderá estar escondido).

Na tela que aparece é preciso clicar em "instalar" e, na tela seguinte, "instalar" mais uma vez. Haverá ainda outra tela em que o Java sugere a instalação do "Ask Toolbar". Este software não faz parte do Java, portanto, é preciso desmarcar a caixa de instalação (ela vem marcada por padrão) e clicar em "Próximo".  Só então começará o processo de atualização do Java.

Se você desativou o Java manualmente em seu navegador web, pode ser necessário desativá-lo novamente, porque o instalador reativa o plug-in.
G-1...SNB

Vídeos - defesa.mil.br

Vídeos - defesa.mil.br SNB

Defesa, Justiça e GSI aprovam plano estratégico de segurança e defesa para Copa do Mundo 2014

Rio de Janeiro, 04/03/2013 – O planejamento estratégico de segurança pública e defesa para a Copa do Mundo Fifa 2014 foi aprovado hoje (4), durante reunião na sede do Comando Militar do Leste (CML), no Rio. O documento contempla as regras que nortearão as competições esportivas, como, por exemplo, defesa cibernética e combate ao terrorismo para a Copa das Confederações, que ocorre em junho de 2013, e a Copa do Mundo, que acontecerá no próximo ano.A partir de agora, os grandes eventos passam a contar com diretrizes específicas que têm como foco principal a integração entre os diversos ministérios e setores dos governos federal, estaduais e municipais. O plano foi assinado pelos ministros da Defesa, Celso Amorim; da Justiça, José Eduardo Cardozo, e o secretário-executivo do Gabinete de Segurança Institucional (GSI) da Presidência da República, general Roberto Sebastião Peternelli Junior.“Estamos trabalhando para que esses eventos transcorram sem qualquer incidente. Estamos nos preparando para isso. E a integração será um dos principais fatores”, avaliou o ministro Amorim.

Copa das Confederações e do Mundo
Com o objetivo de avaliar o trabalho do governo para as competições esportivas promovidas pela Fifa, o Estado-Maior Conjunto das Forças Armadas (EMCFA) trouxe para o Rio de Janeiro os oficiais que estão encarregados pelas Coordenações de Defesa de Área (CDAs) das 12 cidades-sede onde acontecerão as duas competições da Fifa. 

Coube ao secretário executivo do Ministério do Esporte, Luiz Fernandes, a abertura da reunião. Ele expôs o calendário de ações patrocinadas pelo governo federal no sentido de assegurar a infraestrutura das copas. Segundo Fernandes, a partir da próxima semana, começa uma série de reuniões nas cidades que sediarão a Copa das Confederações.

Fernandes contou também que os ingressos para as partidas de futebol tiveram grande procura e que dos 800 mil bilhetes colocados à venda a expectativa é de vender entre 76% a 99%. Desse público, o governo espera que entre 22% e 36% sejam turistas brasileiros e apenas entre 3% a 7% estrangeiros. A grande maioria será de torcedores que moram nas cidades onde ocorrerão as partidasEm seguida, o diretor da Agência Brasileira de Inteligência (Abin), Wilson Tezza, fez exposição sobre o serviço de inteligência. De acordo com ele, os setores de segurança envolvidos nos eventos devem produzir informações de 200 mil nomes de pessoas que estarão participando direta ou indiretamente das competições, sendo a maior parcela 98 mil voluntáriosque se cadastraram junto à comissão organizadora.

Tezza explicou que para a realização, a Abin contará com reforço de 180 novos servidores dentro dos próximos meses. Segundo o diretor, a principal característica será a integração entre os serviços de segurança que permitirá identificar, por exemplo, alvo que possa colocar em risco as duas competições.

O comandante da Brigada de Operações Especiais (BOE), general Marco Antonio Freire Gomes, fez um relato sobre o planejamento de contraterrorismo e antiterrorismo. De acordo com o general, o setor será responsável pelo monitoramento e por ações contra terroristas que por ventura venham a ocorrer no âmbito das competições. Por questões de segurança, o general Freire Gomes solicitou que o detalhamento do plano fosse mantido em sigilo pelos participantes do encontro..A reunião sobre segurança pública e defesa prossegue amanhã (5) com a discussão do planejamento operacional dos seis Coordenadores de Defesa de Área (CDAs) de Brasília (DF), Rio de Janeiro (RJ), Salvador (BA), Natal (RN), Fortaleza (CE) e Recife (PE).

À tarde, os militares tratam das medidas de apoio da Marinha, do Exército e da Força Aérea aos CDAs. A reunião será concluída com as considerações do chefe do EMCFA, general José Carlos De Nardi, que antecipou que o principal motivo do encontro é saber dos coordenadores como as cidades-sede estão se preparando para receber os jogos de futebol.

Fotos: Felipe Barra
Assessoria de Comunicação Social (Ascom)
Ministério da Defesa...
SNB

Como lutar contra publicidade dissimulada em blogs?

Svetlana Andreeva........

Possivelmente, os usuários da Internet russa terão de pagar nos próximos tempos por mencionarem marcas comerciais em seus blogs abertos. O Serviço Federal Antimonopólio (FAS) considera tais ações como publicidade dissimulada e está disposto a discutir com a Duma de Estado a possibilidade de aplicar sanções fiscais por isso ou até de proibir a referência de marcas comerciais em páginas da Web pessoais.

Hoje em dia, no segmento russo da Internet há cerca de 95 milhões de blogueiros. Está claro que poucos deles ganham à conta da publicidade dissimulada. Cujos interesses serão prejudicados pelo FAS? Daqueles que praticam comércio ou de todos os restantes que através de smartphones publicam no Facebook seu paradeiro, enquanto isso possa ser uma loja de marca conhecida, ou sua imagem frente ao seu próprio carro? O que será considerado como publicidade dissimulada e não uma informação particular e como o FAS irá controlá-lo? São as questões que preocupam hoje os usuários russos da Internet, diz Ekaterina Pakhomchik, dirigente do serviço de imprensa de uma rede social:
“Este é um prolema muito contestável. Por exemplo, uma pessoa escreve em seu blog ter almoçado num restaurante. Esta pessoa visitou de fato este restaurante e escreveu sobre isso de boas intenções. Por que razão este comentário deve ser sujeito a impostos? E quanto ao controle, não imagino como isso será efetuado na esfera russa de blogueiros, onde diariamente aparecem cerca de 150 mil comentários”.
Por outro lado, hoje a Internet é o palco mais popular, acessível e barato para produtores de publicidade. É por isso que o FAS revela especial interesse em relação a esta esfera. Mas, infelizmente, não há por enquanto propostas concretas de como se pode distinguir simples blogueiros de maus pagadores de impostos, considera Robert Shleguel, deputado da Duma de Estado:
“É necessário elaborar regras e definir noções para controlar legalmente a Internet. A meu ver, isso é bastante difícil e não se entende qual será a eficácia destas medidas. Penso que se deve primeiro preparar resoluções, discuti-las e só depois aplicar medidas e não ao contrário, porque isso não seria justo e eficaz. Neste plano, o FAS deve pensar bem em suas ações”.
Na Internet, cada país tem regras de conduta em blogs, mas em nenhuma parte são proibidas as menções de marcas comerciais. Na Inglaterra, por exemplo, é possível comentar em páginas pessoais todas as preferências, menos a propaganda de violência. Mas se uma pessoa recebe dinheiro por publicidade, ela deve pagar impostos. Ao mesmo tempo, na Alemanha não há costume de publicar publicidade dissimulada em páginas pessoais. Para isso existem blogs comerciais especializados.
VOZ DA RUSSIA ...SNB

Arquivo do blog segurança nacional