domingo, 3 de fevereiro de 2013

Mali: aviões franceses bombardeiam alvos em Kidal


Aviões da França bombardearam no sábado à noite supostos armazéns logísticos e centros de treinamento de grupos terroristas islâmicos no norte da cidade de Kidal, no Mali, informou neste domingo o Estado-Maior francês. O coronel e porta-voz militar Thierry Burkhard disse que 30 aeronaves participaram dos bombardeios desta noite, entre eles caças-bombardeiros, aviões-tanque e de reconhecimento.
O ataque aconteceu imediatamente depois da visita-relâmpago do presidente francês, François Hollande, à capital, Bamako, e à cidade de Timbuktu, um dos mais fortes redutos dos radicais islâmicos. Nessa última cidade, libertada nos últimos dias por tropas francesas e malinesas do controle de grupos jihadistas, Hollande afirmou que os combates ainda não tinham terminado e advertido que "os grupos terroristas foram enfraquecidos, sofreram grandes perdas, mas não desapareceram".
Após recuperarem Timbuktu e a cidade de Gao junto com as tropas malinesas, os militares franceses tomaram há cinco dias o controle do aeroporto de Kidal, na região de Tessalit e próxima à fronteira com a Argélia. As autoridades francesas acreditam que sete cidadãos franceses sequestrados estejam retidos ao norte desse município. Ontem Hollande pediu aos sequestradores que libertem os reféns sem negociação e avisou que as forças militares francesas e malinesas estão "muito perto" de onde eles estão escondidos.
EFE ..SNB

Sexy Military Women - ZZ Top (La Grance) Live

SNB

Karakal

SNB

Батальон Каракаль

SNB

Israel confirma implicitamente bombardeio na Síria

O ministro israelense da Defesa, Ehud Barak, confirmou implicitamente neste domingo em Munique, na Alemanha, o ataque de quarta-feira de caças de Israel contra instalações militares próximas a Damasco, na Síria. O governo israelense havia evitado até o momento comentar as informações sobre um ataque executado por aviões da força aérea de Israel na quarta-feira contra instalações militares próximas da capital síria."Isto que aconteceu há alguns dias (...) mostra que quando afirmamos uma coisa, nós a mantemos. Afirmamos que não acreditamos que se deva permitir que sistemas aperfeiçoados de armas sejam transferidos ao Líbano", disse Barak durante a Conferência de Segurança que acontece em Munique. O ataque havia inicialmente noticiado pelo governo sírio, gerando fortes críticas de Rússia, Hebollah e Irã, seus aliados políticos, segundo os quais a ação israelense infringiu as leis internacionais. Lideranças ocidentais não deram informações adicionais sobre o caso
"Não consigo compreender como o Irã pode apoiar o regime de Bashar al-Assad", disse Barak. "O Hezbollah apoia Assad. Penso que sofrerão reveses e que pagarão o preço", completou o vice-primeiro-ministro israelense, que deixará o cargo em breve. O problema do programa nuclear iraniano "é um desafio para todo o mundo", disse, antes de destacar que "nenhuma opção deve ser descartada".
AFP ...SNB

Arquivo do blog segurança nacional