quinta-feira, 13 de dezembro de 2012

Eurofighter - Nothing Comes Close HD

Mirage 2000 - Pushing The Limits

The modernization of China Air Force

Stealth Ships (2/3)

Stealth Ships (1/3)

Missile MBDA Meteor

Encontro de Dilma com Vladimir Putin deverá tratar de questões bilaterai...

Satélite norte-coreano orbita a Terra normalmente


AE - Agência Estado
O satélite norte-coreano lançado a bordo de um foguete de longo alcance na quarta-feira está orbitando a Terra normalmente, informaram autoridades sul-coreanas nesta quinta-feira. Washington e seus aliados fazem pressão pela imposição de novas punições contra Pyongyang, que surpreendeu a comunidade internacional com o lançamento.
O Ministério da Defesa da Coreia do Sul disse nesta quinta-feira que o satélite orbita o planeta a uma velocidade de 7,6 quilômetros por segundo, embora sua missão seja desconhecida. Autoridades espaciais da Coreia do Norte dizem que o satélite será usado para o estudo do clima e de colheitas agrícolas.
O porta-voz do Ministério da Defesa sul-coreano, Kim Min-seok, disse que geralmente são necessárias duas semanas para determinar se um satélite está funcionando corretamente após o lançamento, citando dados do Comando de Defesa Aeroespacial dos Estados Unidos.
O lançamento do foguete de três estágios - cujo desenho é semelhante ao modelo capaz de levar uma ogiva nuclear até a Califórnia - elevou as tensões e o impasse internacional sobre o crescente arsenal atômico da Coreia do Norte. O próximo paso, acreditam especialistas, deve ser a realização de um terceiro teste nuclear, já que o país continua a aperfeiçoar sua tecnologia nuclear. As informações são da Associated Press.
SEGURANÇA NACIONAL BLOG

Leilão do trem-bala será em setembro de 2013


 Agência Estado..BRASÍLIA - O Conselho Nacional de Desestatização aprovou, por meio de resolução publicada nesta quinta-feira no Diário Oficial da União (DOU), o modelo de concessão do Trem de Alta Velocidade (TAV) entre o Rio de Janeiro, São Paulo e Campinas. O leilão será realizado no dia 19 de setembro.
O prazo de concessão será de 40 anos, sendo admissível a prorrogação nas hipóteses e condições estabelecidas no edital e no contrato. As tarifas serão livremente fixadas pela concessionária, observada a tarifa-teto quilométrica para os serviços ferroviários com ou sem paradas em estações intermediárias, de valor máximo equivalente a R$ 0,49. Do total de assentos de cada composição, 60% da capacidade deve ser destinada à classe econômica.
Os termos do edital (planilhas, formulários, informações, estudos e projetos) estarão disponíveis a partir desta quinta-feira no site da Agência Nacional de Transportes Terrestres (ANTT).
Propostas
Os grupos interessados em participar do leilão do TAV deverão entregar suas propostas no dia 13 de agosto de 2013, entre 9 e 14h, na sede da BM&FBovespa, em São Paulo. Conforme o edital publicado hoje no Diário Oficial pela Agência Nacional de Transportes Terrestres, os envelopes devem conter documentação referente a garantia da proposta, pré-qualificação, proposta econômica, qualificação, plano de negócio e projeto funcional. O TAV ligará Rio de Janeiro, São Paulo e Campinas.
Os pedidos de esclarecimento relativos ao edital deverão ser feitos à ANTT até às 18h do dia 16 de abril. O edital e anexos, planilhas, formulários, informações, estudos e projetos estão disponíveis no site da ANTT: http://www.antt.gov.br/index.php/content/view/11659/Edital.html.
Em relação à minuta do edital publicada em setembro passado, o texto final manteve a tarifa máxima em R$ 0,49 por quilômetro, mas o valor mínimo da outorga aumentou. No projeto original, o valor mínimo a ser pago na disputa era de R$ 66,12 por trem quilômetro equivalente e agora passou a ser de R$ 70,31. O trem quilômetro equivalente é o valor a ser pago por cada quilômetro a ser percorrido por uma composição de vagões de 100 metros de comprimento em qualquer sentido da via
SEGURANÇA NACIONAL BLOG

TECNOLOGIA - Brasil prepara produção de novo míssil para caças

A partir de 2015, a Força Aérea Brasileira receberá o A-Darter, um míssil capaz de manobrar até 10 vezes mais rápido que um avião de combate. A nova tecnologia, fruto de um desenvolvimento conjunto do Brasil com a África do Sul, já está no final da fase de testes e próxima do início da produção em larga escala. Na última quinta-feira (6/12), o Comando da Aeronáutica assinou com a empresa Denel do Brasil o contrato de R$ 1,4 milhão para preparar o parque industrial de São José dos Campos (SP) para a construção do míssil, que deve equipar a versão modernizada do caça A-1 e o futuro F-X2. 

A produção do novo míssil deve contar com as empresas Mectron, Avibras e Opto Eletrônica, que são beneficiárias dos projetos de transferência de tecnologia em áreas como sistemas óticos, navegação, sensores e processamento de imagens. O Brasil ingressou no desenvolvimento do A-Darter em 2006, e é co-proprietário dos direitos de propriedade intelectual e industrial do míssil. 

De acordo com o Gerente Técnico da Denel do Brasil, Everton de Paula, além de fabricar todos os mísseis que a FAB adquirir futuramente, o parque industrial brasileiro também irá fabricar componentes de unidades que venham a ser exportadas pelo Brasil e pela África do sul para outros países. "Este contrato representa mais uma passo no sentido da concretização da transferência de tecnologia. A tecnologia que nós tínhamos ainda era uma tecnologia de terceira geração. Esse é um salto: vamos para mísseis de quinta geração", afirmou. 

Características

Com 2,98 metros de comprimento e 90 kg de peso, o A-Darter é um míssil ar-ar, ou seja, criado para ser lançado de aeronaves contra alvos aéreos. Para isso, conta com um sensor que detecta o calor de aviões e helicópteros para guiagem. A diferença tecnológica é que, ao contrário dos modelos mais antigos, um caça equipado com o A-Darter pode atingir alvos que não estejam só na frente, mas também dos lados e até atrás da aeronave. 

Outra tecnologia inédita no Brasil é o empuxo vetorado, que é o direcionamento do jato do motor foguete. Somado ao movimento das quatro pequenas “asas”, o empuxo vetorado confere ao míssil a possibilidade de fazer manobras que alcançam até 100 vezes a força da gravidade (100G), enquanto os aviões de combate não passam de 9 vezes (9G). O míssil também produz menos fumaça que modelos mais antigos, o que dificulta a sua visualização. 

O Presidente da Comissão Coordenadora do Programa Aeronave de Combate (COPAC), Brigadeiro Carlos de Almeida Baptista Junior, elogiou as características do míssil durante a solenidade de assinatura de contrato com a Denel do Brasil. "Ver o início da produção no Brasil de um míssil de quinta geração é a certeza de que nós estamos dando aos nossos pilotos aquilo de mais moderno", afirmou.
Fonte: Agência Força Aérea..Segurança Nacional Blog

Dilma Rousseff discute com Dmitri Medvedev perspetivas de colaboração Brasil-Rússia


No primeiro dia de sua visita oficial à Rússia, a presidente Dilma Rousseff encontrou-se com o premiê russo Dmitri Medvedev.

Medvedev, acolhendo a ilustre convidada, falou sobre o bom nível de relações entre os dois países e destacou o grande potencial do seu desenvolvimento:
"Em geral, as relações entre o Brasil e a Rússia estão a um nível bem alto, o nosso comércio aumentou significativamente nos últimos anos. Há projetos interessantes, negociações que envolvem empresas. Mas isso não significa que tudo está resolvido, que não há questões que precisam ser discutidas e que não há projetos que poderiam promover mais ainda as nossas relações nos próximos anos. Por isso, nesse sentido, o governo russo está à sua disposição, estamos prontos a conversar sobre qualquer assunto."
Dilma convidou Medvedev a visitar o Brasil durante o Carnaval
O primeiro-ministro da Rússia Dmitri Medvedev visitará o Brasil em fevereiro próximo, devendo participar na reunião da comissão bilateral de alto nível.
Esta informação foi prestada pelo chefe de Governo durante o encontro com a presidente Dilma Rousseff, que convidou o dirigente russo a realizar a reunião na altura do Carnaval. Ela disse em particular:
"Nós de fato estivemos juntos, eu penso até que estivemos juntos também no G20, a atuação dos nossos países no BRICS, no G20 e no FMI é essencial para que a gente faça avançar a agenda de cooperação mas também a agenda de reforma dos organismos internacionais. Eu gostaria também de dizer que a presidência russa do G20 é uma oportunidade para consolidar o fórum e também para obter progressos substanciais e urgentes em tempos de crise. É muito importante que essa presença se dê de um país dos BRICS. Além disso, eu considero que será muito importante a viagem do primeiro-ministro ao Brasil, para que nós também tenhamos uma consolidação do nosso relacionamento. É com muita satisfação que eu vou recebê-lo como co-presidente da comissão de alto nível de cooperação Brasil-Rússia".
Em resposta, Medvedev agradeceu à presidente por seu convite e acrescentou:
"Eu acredito que temos todas as razões para realizar esse evento previsto para fevereiro. Obrigado pelo convite para ver o Carnaval, seria muito interessante. De qualquer jeito, estaremos preparados para negociar com o meu colega Sr. Temer e para promover ainda mais as nossas relações. Nós também temos uma proposta especial de elaborar um plano de trabalho conjunto sobre questões comerciais e econômicas e assiná-lo durante a visita ao Brasil."
Por seu lado, Dilma Rousseff manifestou a esperança de que a Rússia e o Brasil venham a cooperar de forma construtiva no quadro das organizações internacionais. “Nós cooperamos de forma estreita no âmbito do G20 e do BRICS, na arena do FMI e julgo que esta interação irá contribuir para o reforço dos contatos, para o qual muito contribuirá o fato de a Rússia ter passado a presidir o G20”.
Brasil quer cooperar com Moscou na defesa, ciência e tecnologias
O Brasil quer cooperar com a Rússia não só no comércio e na economia como também nos domínios da defesa, ciência e tecnologias, informou a presidente Dilma Rousseff, em entrevista aoGazeta Russa.
“Queremos desenvolver também uma intensa cooperação no domínio da ciência e no intercâmbio de tecnologias. A Rússia acumulou uma enorme reserva de conhecimentos em diversas esferas. Gostaríamos de desenvolver a cooperação nos setores da defesa, do espaço e em muitos outros. Por nosso lado, podemos compartilhar nossas realizações nos domínios das nano- e biotecnologias”, declarou Dilma Rousseff.
A presidente assinalou que espera a cooperação ao nível de empresas e particulares. Por exemplo, no âmbito do programa Ciência Sem Fronteiras, o Brasil pretende enviar até 2014 para estudos noutros países 101 mil estudantes brasileiros. Na opinião da presidente, tais programas contribuirão para a aproximação mútua dos países.
Na opinião de Dilma Rousseff, hoje em dia o BRICS tem grande importância para a edificação dum mundo multipolar: “Hoje, nas condições de uma crise crónica na zona do euro e nos EUA, nossos países são responsáveis pelo desenvolvimento mundial e pela política que nós levamos a cabo e que garante o desenvolvimento”.
Segundo Dilma Rousseff, a Rússia e o Brasil não devem continuar sendo apenas fornecedores de matérias-primas, como até agora.
Medvedev ofereceu souvenir russo à presidente do Brasil
Dmitri Medvedev ofereceu a Dilma Rousseff um guarda-jóias lacado, da escola Kholui, na véspera de seu aniversário.
A presidente do Brasil festeja seu aniversário amanhã, 14 de dezembro, mas Medvedev entregou-lhe o presente hoje, contrariamente à tradição, aproveitando a presença de Dilma Rousseff em Moscou.
O guarda-jóias foi fabricado por artistas da aldeia de Kholui (região de Ivanovo) e é decorado temas de contos épicos russos
VOZ DA RUSSIA SEGURANÇA NACIONAL BLOG

Governo brasileiro está na Rússia para fortalecer cooperação

ATIVIDADES DA PRESIDENTA - 13.12.12: Em visita oficial à Rússia, Dilma Rousseff tem encontros marcados com o primeiro-ministro, presidente e empresários. A intenção do governo brasileiro é fortalecer a cooperação entre os dois países. Em 2005, Brasil e Rússia firmaram uma aliança estratégica em diversas áreas como educação, ciência, tecnologia, entre outras. Com o objetivo de aprofundar essa relação, a presidenta cumpre agenda de dois dias em Moscou...
SEGURANÇA NACIONAL BLOG

Dilma chega à Rússia para 'reforçar a família dos Brics'


A estadia da presidente Dilma Rousseff na Rússia, até o próximo sábado, deverá ser uma oportunidade para que brasileiros e russos possam não apenas estreitar laços econômicos, como também reforçar a estrutura dos Brics - o bloco de economias emergentes formado por Brasil, Rússia, Índia, China e África do Sul.
É essa a opinião de analistas ouvidos pela BBC Brasil em relação à estadia da presidente à Rússia. Ela chegou ao país na madrugada desta quinta-feira. É a primeira visita de Dilma à Rússia, que era a única nação a integrar os Brics que ela ainda não havia visitado.
Para o americano Riordan Roett, cientista político da Universidade Johns Hopkins e brasilianista, que lançou no ano passado o livro The New Brazil (O Novo Brasil), a visita visa ''reforçar a família dos Brics'', no que diz ser um momento de dificuldade para todos os países do bloco.
''O conceito dos Brics vem sofrendo ataques'', comenta Roett, já que, em contraste com a imagem dinamismo de anos atrás, ''o Brasil enfrenta crescimento lento, a Índia padece de paralisia política, a África do Sul já mostrou que não deveria pertencer ao bloco e Rússia e China enfrentam transições políticas lentas e previsíveis''.
Banco dos Brics
Os Brics deverão ser um tema central da agenda bilateral de Brasil e Rússia em Moscou, avalia Adriana Abdenur, coordenadora geral do instituto BRICS Policy Center e professora do Instituto de Relações Internacionais da PUC-Rio.
Um dos motivos, diz ela, é que a próxima reunião do bloco está prevista para ocorrer em breve, mais especificamente em março do ano que vem, em Durban, na África do Sul.
E o próximo encontro poderá referendar uma proposta feita recentemente, a de criar um banco comum de investimentos, uma proposta feita pelos indianos e que os anfitriões sul-africanos desejam ver se materializar ainda durante a cúpula.
SEGURANÇA NACIONAL BLOG

Embraer decidirá sobre avião maior em 2013


SILVANA MAUTONE - Agencia Estado
SÃO PAULO (AE) - A Embraer esclarece que a decisão a ser tomada no próximo ano a respeito do desenvolvimento de um avião maior se refere à possibilidade de ampliar ligeiramente sua maior aeronave atual, o E-195, que tem capacidade para até 124 assentos.
Se a ideia for aprovada, essa versão ampliada, provavelmente de cerca de 130 lugares, começará a ser vendida no segundo semestre do próximo ano, com entrega prevista a partir de 2018. O cronograma é o mesmo das versões remotorizadas dos E-Jets, cuja decisão a respeito também será tomada nos próximos meses.
Já a decisão com relação a um avião maior completamente novo, com capacidade entre 130 e 150 assentos, deve ser tomada apenas no final da década, quando a Boeing e a Airbus devem decidir se continuam ou não nesse segmento de mercado. Se a Embraer optar por desenvolver essa nova aeronave, as primeiras unidades serão entregues apenas a partir de 2025.
SEGURANÇA NACIONAL BLOG

Arquivo do blog segurança nacional