segunda-feira, 29 de outubro de 2012

Irã tem fotos de áreas israelenses restritas, informa agência


Reuters
O Irã possui imagens de bases israelenses e outras áreas restritas obtidas a partir de um avião teleguiado lançado no espaço aéreo israelense no início deste mês, disse um deputado iraniano nesta segunda-feira, segundo uma agência de notícias.
No início deste mês, Israel derrubou um drone após o avião voar 55 quilômetros dentro do Estado judeu. O grupo militante libanês Hezbollah assumiu a responsabilidade pela aeronave, dizendo que suas peças foram fabricadas no Irã e montadas no Líbano.
O avião transmitiu imagens de "bases importantes" de Israel antes de ser abatido, disse Esmail Kowsari, presidente do Comitê de Defesa do Parlamento, de acordo com a agência de notícias iraniana Mehr. Ele estava falando para o canal iraniano Al-Alam, informou a Mehr nesta segunda-feira.
"Essas aeronaves transmitem suas imagens online, e agora possuímos fotos de áreas restritas", teria dito Kowsari.
Em Tel Aviv, um oficial militar sênior de Israel, questionado sobre se o avião tinha sido equipado com uma câmera capaz de transmitir fotos, disse que "em nosso conhecimento, não".
O Exército recuperou destroços da aeronave depois que ela foi abatida sobre uma floresta perto da Cisjordânia ocupada.
O espaço aéreo israelense é monitorado de perto pelos militares e, com exceção de corredores aéreos comerciais, é restrito, com especial atenção às numerosas instalações militares e de segurança.
Ameaças israelenses para bombardear instalações nucleares iranianas se a diplomacia e as sanções não interromperem o programa nuclear de Teerã são um ponto de inflamação de tensões no Oriente Médio. O Ocidente suspeita que o programa seja projetado para desenvolver a capacidade de armas nucleares, algo que Teerã nega firmemente.
(Reportagem de Yeganeh Torbati)
SEGURANÇA NACIONAL BLOG

Dezessete pessoas abandonam navio no caminho do furacão Sandy


Reuters
CAROLINA DO NORTE - Dezessete pessoas que estavam na réplica do navio HMS Bounty abandonaram a embarcação após ficarem presas na costa da Carolina do Norte, no caminho do furacão Sandy, informou a Guarda Costeira dos EUA nesta segunda-feira, 29. "As 17 pessoas da tripulação vestiram trajes para sobrevivência em água gelada e coletes salva-vidas antes de entrarem em dois barcos salva-vidas com abrigos para 25 pessoas", informou a Guarda Costeira em comunicado.
A réplica do HMS Bounty em foto de julho, em Newport - Steven Senne/Arquivo/AP
Steven Senne/Arquivo/AP
A réplica do HMS Bounty em foto de julho, em Newport

O navio, que foi construído para o filme "Mutiny on the Bounty" ("O Grande Motim"), de 1962, estava a 145 quilômetros a sudeste de Hatteras, ou a 260 quilômetros do centro do furacão Sandy, que está a caminho da Costa Leste dos EUA. Um avião Hércules C-130 estava em contato com a tripulação enquanto sobrevoava a área e a Guarda Costeira estava determinando se um navio de resgate ou uma aeronave era o melhor para salvar os tripulantes, de acordo com o oficial David Weydert.
O navio Bounty original, uma embarcação britânica, ficou famosa por um motim em 1789 no Taiti. O filme de 1962 foi estrelado por Marlon Brando como o líder do motim Fletcher Christian. A réplica do navio apareceu em uma série de documentários e em outros filmes, incluindo "Piratas do Caribe", de acordo com o site do navio.
SEGURANÇA NACIONAL BLOG

Arquivo do blog segurança nacional