quinta-feira, 25 de outubro de 2012

Câmera astronômica inovadora será desenvolvida no INPE


SPARC4
O INPE (Instituto Nacional de Pesquisas Espaciais) foi encarregado de desenvolver um instrumento inovador para estudos astronômicos.
O equipamento chama-se SPARC4 - Simultaneous Polarimeter and Rapid Camera in Four Bands, polarímetro e câmera rápida simultâneos em quatro bandas.
Trata-se de uma câmera que permitirá a realização de fotometria e polarimetria com resolução temporal média em quatro bandas espectrais, tudo de modo simultâneo.
Câmera multicor
Em astronomia, quando se fala de câmeras ópticas, o padrão é que as imagens sejam obtidas em um único intervalo de comprimento de onda (ou cor da luz).
Obtendo imagens em quatro cores ao mesmo tempo, além de permitir medir a polarização da luz, o SPARC4 será único no mundo.
O instrumento deve ficar pronto no prazo de 2 a 3 anos e será instalado no telescópio de 1,60 metro do Observatório do Pico dos Dias, coordenado pelo Laboratório Nacional de Astrofísica (LNA), em Itajubá (MG).
Medidores de luz
"Os dados científicos em astronomia são basicamente informações sobre a luz emitida pelos objetos de interesse, como estrelas e galáxias. Os dados são obtidos por instrumentos acoplados a telescópios. São, portanto, 'medidores' de luz," explica Cláudia Vilega Rodrigues, pesquisadora da Divisão de Astrofísica do INPE.
"Esses instrumentos são de vários tipos: os que medem fluxo, os que medem espectro (fluxo como função do comprimento de onda), os que obtêm imagens, os que medem polarização, entre outros.
"O SPARC4 é bidimensional, portanto obtém imagens, e com ele vamos medir não apenas o fluxo, mas também a polarização," conclui Cláudia.
SEGURANÇA NACIONAL BLOG

O Brasil na Euronaval 2012


A participação brasileira na Euronaval 2012, pela primeira vez utilizando a infraestrutura do Pavilhão Brasil, contou com o apoio e suporte das ABIMDE (Associação Brasileira da Indústria de Material de Defesa e Segurança) e da Apex (Agência Brasileira de Promoção de Exportações e Investimentos) e a participação das empresas Mectron (mísseis e integração de sistemas), Engeprom (gerenciamento de projetos navais, munições), o Grupo Sinergy, através dos seus estaleiros EISA e Mauá (construção de navios militares como os Patrulha Oceânicos-OPV), Atrasorb (absorvedores de CO2) e a Clarion Events, que está promovendo a Latin American Aerospace and Defence (LAAD 2013), a ser realizada em abril próximo no Rio de Janeiro.
Questionado sobre quais os mercados pretendidos pelas empresas brasileiras, o dirigente esclareceu “Após diversos estudos científicos dos mercados visados especificamente na Euronaval,  considerando o perfil dos seus visitantes, elencamos como targets a África, o Oriente Médio e o sul da Àsia, pois consideramos que nestas regiões existem nichos específicos e necessidades que vão diretamente ao encontro das soluções, serviços e produtos que ofertamos no setor de Defesa. Recebemos no Pavilhão Brasil diversas delegações interessadas em conhecer o nosso portifólio e teremos desdobramentos muito positivos nos próximos meses, com base nos contatos realizados aqui”.Mensurar os ganhos obtidos com a participação na feira é algo que não ocorre da noite para o dia, e ao ser perguntado sobre este aspecto, o almirante foi enfático “Não trabalhamos aqui com um talonário para fazer pedidos, isso demanda tempo, mas posso dizer que recebemos muitas solicitações de compradores interessados em conhecer nossos produtos, através do envio de amostras de teste, demonstrações, etc. Há uma expectativa muito boa, especialmente com o conhecimento desta capacidade. Recebemos aqui com muito orgulho a visita do Ministro da Defesa da França, que se mostrou impressionado com o nosso portifólio de produtos. É desta forma que iremos conquistar novos parceiros e clientes, não pretendemos verticalizar tudo, nenhum país o faz hoje em dia, mas nós temos produtos que podem se encaixar até nas necessidades de países de primeiro mundo. Hoje, a Base Industrial de Defesa (BID) recebe um apoio muito maior do governo brasileiro, do que era por exemplo, há três anos atrás. A sociedade brasileira entende que o setor tem de crescer  harmonicamente com os demais setores da economia, e que defesa, tecnologia e desenvolvimento andam juntos e apresentam alto potencial de dualidade na vida civil, fomentando avanços em áreas como medicina, segurança pública, agricultura, etc. Nós entendemos que trabalhando com alta tecnologia e boa variedade de produtos, e considerando um mercado comprador formado basicamente por governos, nossos empresários estão encontrando excelentes perspectivas, e existe espaço para nossos produtos não só no Brasil como no mundo todo. Nosso Pavilhão na feira está situado no meio de grandes conglomerados formados pela união de diversas pequenas empresas, é a prova de que estamos no caminho certo, priorizamos apoiar a pequena e média empresa”.
Falando em apoio, Pierantoni foi taxativo ao destacar a perfeita sintonia da parceria entre a ABIMDE e a APEX “Se temos de elogiar alguém como entidade governamental, então temos de elogiar a APEX, nosso relacionamento não poderia ser melhor neste momento, houve um expressivo aumento da participação conjunta das duas entidades no apoio a indústria brasileira de defesa em eventos nos quatro cantos do planeta. Nos sentimos orgulhosos ao constatar, estatisticamente, que para cada real investido no mercado de defesa do País, nós estamos retornando para o Brasil 10 reais, uma rentabilidade que comprova o acerto das ações empreendidas pelas duas instituições”.


SEGURANÇA NACIONAL BLOG

Primeiros A-29 Super Tucano entregues à Força Aérea da Mauritânia


Embraer Defesa e Segurança entregou, na última sexta-feira, os primeiros turboélices de ataque leve e treinamento avançadoA-29 Super Tucano à Força Aérea da Mauritânia, em cerimônia realizada em Gavião Peixoto. As aeronaves serão utilizadas em missões de vigilância de fronteiras.

“O Super Tucano tem experiência comprovada em combate, é versátil, extremamente eficiente e tem baixo custo de operação”, diz Luiz Carlos Aguiar, presidente da Embraer Defesa e Segurança. “Com esta entrega, ampliamos as nossas relações com o continente africano, onde esta aeronave tem despertado grande interesse”.
Dez clientes já selecionaram o A-29 Super Tucano no mundo todo. O modelo, que está em operação em sete forças aéreas na América Latina, na África e na Ásia, já superou a marca de 170 mil horas de voo e 26 mil horas de combate. O Super Tucano é capaz de executar uma ampla gama de missões, que incluem ataque leve, vigilância, interceptação aérea e contra-insurgência. A aeronave está equipada com avançadas tecnologias em sistemas eletrônicos, eletro-ópticos, infravermelho e laser, assim como sistemas de rádios seguros com enlace de dados e uma inigualável capacidade de armamentos, o que o torna altamente confiável e com excelente relação custo-benefício para um grande número de missões militares, mesmo em pistas não pavimentadas e ambientes hostis.
A-29 Super Tucano opera mais de 130 configurações de armamentos, incluindo lançadores de foguetes de 70mm, mísseis ar-ar e bombas guiadas a laser, totalmente integradas ao sistema de missão da aeronave, com designador a laser. Estes armamentos inteligentes, de última geração, são empregados em missões operacionais reais, executadas pelo Super Tucano, há mais de cinco anos.
A-29 Super Tucano é fruto de um projeto desenvolvido de acordo com as rigorosas exigências da Força Aérea Brasileira (FAB). Com mais de 160 aviões já entregues, é totalmente compatível com as operações de combate em cenários complexos, em que são exigidas as capacidades de troca de dados e processamento das informações. Além da reforçada estrutura para operações em pistas não pavimentadas, o avião conta com avançados sistemas de navegação e pontaria de armas, o que lhe garante alta precisão e confiabilidade, utilizando tanto armamento convencional como inteligente, mesmo sob condições extremas. O avião requer apoio logístico mínimo para operações contínuas.
segurança nacional blog

Arquivo do blog segurança nacional