terça-feira, 24 de julho de 2012

Frota da Rússia entra no Mediterrâneo em direção à Síria


AE - Agência Estado
Uma frota russa com navios de guerra, destinada ao porto sírio de Tartus, entrou no Mediterrâneo, informou nesta terça-feira o Ministério da Defesa da Rússia. "As embarcações russas passaram hoje pelo Estreito de Gibraltar e entraram no Mediterrâneo às 12h GMT (9h de Brasília)", afirmou um porta-voz do Ministério da Defesa, citado pela agência Itar-Tass.
Lideradas pelo destroier antissubmarino Almirante Chabanenko, as três embarcações deixaram o porto de Severomorsk, no Círculo Polar Ártico, mais cedo neste mês. Elas devem se juntar no Mediterrâneo ao navio de patrulha Yaroslav Mudry, bem como a um barco assistente.
As embarcações vão desenvolver "manobras militares planejadas", informou o ministério. Mais cedo neste mês, uma fonte militar disse que os navios carregariam combustível, água e alimentos. A Rússia negou que o novo posicionamento esteja ligado à escalada da violência na Síria. As informações são da Dow Jones.
segurança nacional blog

Alenia Aermacchi M-346 Mestre


Em 1993 , Aermacchi firmaram um acordo de parceria com Yakovlev sobre o novo treinador a empresa vinha desenvolvendo desde 1991 para a Força Aérea Russa . A aeronave voou pela primeira vez, resultando em 1996 e foi trazido para a Itália no ano seguinte para substituir o envelhecimento MB-339 . Na época, a aeronave foi comercializada como Yak/AEM-130 , no entanto, por2000 , diferenças de prioridades entre as duas empresas trouxe um fim à parceria, com cada um desenvolvendo a aeronave de forma independente, com Aermacchi retenção direitos de comercialização em todo o mundo, exceto para a Rússia e os outros da CEI nações. A versão russa também está sendo perseguido por Yakovlev e Sokol, em um horário diferente.
O M-346 é uma versão altamente modificada do avião da joint venture estava produzindo, e utiliza equipamentos exclusivamente de fabricantes ocidentais. O primeiro protótipo implementado em 07 de junho de 2003 e voou pela primeira vez em 15 de julho de 2004.Em janeiro de 2005 , o Ministério grego da Defesa assinaram um Memorando de Entendimento (MOU) para se tornar um parceiro no programa e, em 2006 , Aermacchi assinado um acordo de cooperação industrial com a Hellenic Aerospace Industry .
Em julho de 2007 , o M-346 voou para os Emirados Árabes Unidos para testes de clima quente e de avaliação operacional pela Força Aérea dos Emirados Árabes Unidos .
Em março de 2008 o chileno ENAER assinaram um Memorando de Entendimento (MOU) com a Alenia Aermacchi no show aéreo FIDAE. [ 1 ]
Em 10 de Abril de 2008, um protótipo ainda mais na configuração final (novo trem de pouso e freio a ar , as peças mais compostas) foi rolado para fora: primeiro vôo do "Configuração Base Industrial" foi o esperado em junho. [ 2 ] Em 18 de Dezembro de 2008, o M-346 atingiu a velocidade máxima de Mach 1,15 (1.255 km / h, 678 knots, 780 mph). [ 3 ]
Em maio de 2008 Boeing assinaram um Memorando de Entendimento para cooperação no marketing, vendas, treinamento e apoio de dois instrutores Aermacchi, o M-346 eo M-311 . [ 4 ]
O desenvolvimento de um simulador de missão integral para a M-346 foi premiado com a CAE e está em desenvolvimento. [ 5 ]

editar ]ProjetoO M-346 é projetado para treinamento de pilotos de combate de aeronaves de primeira linha de combate. É capaz de voar transonic sem usar um pós-combustor , o qual é projetado para reduzir custos de aquisição e de operação. Dois motores e triple-quádruplos sistemas redundantes melhorar a confiabilidade.

O desenho aerodinâmico da M-346 usa elevador vórtice para proporcionar capacidade de manobra e controlabilidade em ângulo muito elevado de ataque (até 40 ° graus), utilizando um fly-by-wire sistema de controlo.
A aeronave é alimentada por duas Honeywell F124 motores, e usa um sistema de controlo digital de voo por Teleavio / Marconi em colaboração com a BAE Systems , Dowty e Microtecnica para atuadores.
O IBC novo (configuração de linha de base Industrial) protótipo inclui um novo travão do ar logo atrás da cabina de pilotagem , semelhante ao Su-30 Sukhoi , novo trem de aterragem e algumas mudanças estruturais, com a utilização de mais de titânio e as peças compósitas, a fim de reduzir o peso e custos de produção. Como resultado, o protótipo pesa 780 kg menos do que o modelo existente, proporcionando mais rápida aceleração e escalada, o aumento da capacidade de manobra e velocidade máxima, bem como a capacidade de combustível (200 kg) e de visibilidade da cabine.
Em 20 de Junho de 2011, uma Certificação de Tipo Militar foi concedida à Alenia Aermacchi para o M-346 Mestre pela Direcção-Geral de Armamento Aeronáutica do Ministério da Defesa italiano em Roma . Para completar o processo de certificação, o M-346 aeronaves desenvolvimento fez 180 vôos de teste, num total de 200 voos, nos últimos cinco meses e completou mais de 3.300 pontos de teste.[ 6 ]Força Aérea Italiana pretende adquirir um primeiro lote de 15, a taxa baixa produção M-346 aeronaves. [ 7 ] Em 18 de junho de 2009, Alenia Aermacchi anunciou que tinha recebido uma ordem para os seis primeiros com opção para mais nove. [ 8 ]
O M-346 foi nomeado o vencedor de uma competição pelo Emirados Árabes Unidos no IDEXprograma de defesa de 2009, em Abu Dhabi em 25 de fevereiro de 2009. [ 9 ] O funcionário disse que a ordem envolveu a entrega de 48 aeronaves para ser usado para treinamento de pilotos e acender deveres de ataque. A última solicitação de propostas em 2010 havia estabelecido a exigência de 20 treinadores, 20 aeronaves para tarefas de combate, eo restante iria para a criação de uma equipa de formação de vôo. No entanto, em 27 de janeiro de 2010, negociações para assinar um contrato já teria parado sobre especificações. [ 10 ]
Em julho de 2010, o M-346 foi escolhido pela República de Singapura Air Force (ARAF) para substituir a ST Aerospace A-4SU Super Skyhawks no Jet papel Formação Avançada (AJT), atualmente sediada na BA 120 Base Aérea de Cazaux em França. [ 11 ] [ 12 ] E, em um comunicado à imprensa pelo Ministério da Defesa de Cingapura em 28 de setembro de 2010, ST Aerospace tinha sido adjudicado o contrato para adquirir 12 M-346 e um campo de sistema de formação baseado em nome de RSAF. Conforme estipulado no contrato, ST Aerospace irá atuar como contratante principal para manter a aeronave após o parto pela Alenia Aermacchi, enquanto a Boeing iria fornecer o sistema de formação. Data de entrega está programada a partir de 2012. [ 13 [ 14 [ 15 ]
Em 18 de Novembro de 2011, o protótipo, que tinha sido em exposição no Dubai Air Show caiu após a partida Dubai no retorno à Itália.[ 16 ]
Em 16 de Fevereiro de 2012, o M-346 foi escolhido pela Força Aérea Israelense (IAF) como seu jato de treinamento principal para substituir o McDonnell Douglas A-4H / N Skyhawks , que serviu o IAF para mais de 40 anos. [ 17 ] [ 18 ] Em 19 de Julho de 2012, foi assinado um contrato entre a Alenia Aermacchi e do Ministério israelense da Defesa para fornecer 30 M-346 formadores de jato avançado, com a primeira entrega prevista para meados de 2014. [ 19 ]
Nos Estados Unidos, Alenia Aermacchi planeja licitar a M-346 Master para a Força Aérea dos EUA 's TX programa para substituir o envelhecimento Northrop T-38 Talon . A empresa tinha inicialmente considerado submeter a aeronave como contratante principal, mas mudou de idéia em 2010. Ele está agora procurando um parceiro dos EUA para concorrer com. A companhia também renomeou a aeronave como o Sistema de Treinamento T-100 Integrada para a competição. Alenia antecipa mover o local de montagem final entre Itália e os Estados Unidos caso vença a competição.
segurança nacional blog

Itália assina com Israel contrato para compra de aeronaves G550 CAEW


Um contrato avaliado em US$ 750 milhões foi assinado nesta quinta-feira (19) entre o governo da Itália e o Ministério da Defesa de Israel para o fornecimento de duas aeronaves Gulfstream G550 CAEW (Conformal Airborne Early Warning). Essas plataformas de alerta antecipado e controle serão entregues pela fabricante Israel Aerospace Industries (IAI) para a Aeronautica Militare Italiana (Força Aérea da Itália).
Incluindo também os equipamentos de suporte terrestre e um pacote de apoio logístico, o contrato faz parte de uma contrapartida israelense envolvendo uma encomenda de 30 jatos de treinamento avançado Alenia Aermacchi M-346 para a Força Aérea de Israel, negócio firmado também no dia 19 de julho e cujo valor situa-se ao redor de US$ 1 bilhão. Adicionalmente, a IAI desenvolverá, produzirá e fornecerá um satélite de observação para a organização italiana Telespazio através de um negócio avaliado em US$ 182 milhões.  
“Além do significado financeiro e ocupacional, esses acordos representam uma significativa colaboração com a indústria europeia”, disse Joseph Weiss, CEO e presidente da IAI.
A encomenda italiana é o terceiro fornecimento de G550 CAEW conquistado pela IAI. A Força Aérea de Israel opera atualmente quatro G550 CAEW, os quais estão equipados com radares fornecidos pela Elta Systems, empresa subsidiária da IAI. O segundo cliente do modelo é a Força Aérea da Readmin/publica de Cingapura, a qual encomendou quatro unidades em 2007.
segurança nacional blog

O Bope (Batalhão de Operações Especiais) começará a utilizar em breve miniaviões em ações táticas

O governo do Rio de Janeiro divulgou nesta segunda-feira imagens dos Veículos Aéreos Não Tripulados (Vants) que serão usados pelo Batalhão de Operações Especiais (Bope) em ações táticas na capital do Estado. No total, a divisão de elite da Polícia Militar fluminense terá três miniaviões, projetados por engenheiros do Instituto Militar de Engenharia (IME). Além dos três aparelhos do Bope, os engenheiros construíram mais um para a Defesa Civil, um para a Artilharia Antiaérea do Exército e um para o IME continuar o desenvolvimento do projeto.Os modelos têm um zoom ótico capaz de filmar uma placa de carro, por exemplo, a cerca de 500 m de altura. Além disso, graças ao seu tamanho reduzido, o Vant já não pode mais ser visto a 100 m de altura, o que impede que seja alvejado por arma de fogo e destruído.
Os modelos são destinados à área de vigilância, segurança e sensoriamento remoto. De acordo com a Secretaria de Estado de Ciência e Tecnologia (SECT), o uso destes veículos já demonstrou grande utilidade no monitoramento do contrabando de armas, tráfico de drogas, atuação de grupos armados em fronteiras, crime organizado em favelas, produção de mapas cartográficos digitais e na segurança em estádios e em grandes eventos, como a Copa do Mundo e as Olimpíadas.
Futuros operadores dos Vants, policiais militares e bombeiros receberão treinamento técnico do IME e aulas de pilotagem. Segundo a SECT, o governo do Estado investiu R$ 180 mil no projeto de desenvolvimento destes miniaviões.

Conheça o avião não tripulado "made in Brasil"

Carcará

Tecnologia apontada como o futuro da aviação, o uso de veículos aéreos não tripulados (Vants) vem crescendo ano a ano em todo o mundo, principalmente em operações militares encabeçadas pelos Estados Unidos e Israel. Até o final do ano, a Polícia Federal (PF) pretende colocar em operação duas aeronaves de origem israelense para monitorar as fronteiras do Brasil. Entretanto, esta não é a primeira iniciativa do País nesse novo segmento. Desde 2006, a Marinha utiliza um Vant 'brazuca' em missões de reconhecimento no Haiti. Saiba mais sobre o avião espião brasileiro e suas possíveis utilizações.Ficha Técnica
Envergadura: 1,6 m 
Peso: 1,8 kg
Velocidade: de 40 km/h a 80 km/h
Autonomia: 1 hora
Alcance: 15 km
Carga útil: 0,5 kg
Propulsão: motor elétrico alimentado por 3 baterias
Lançamento: manual
Status: em operação na Marinha desde 2006
Fabricante: Santos Lab

Tecnologia

Lançado manualmente do solo, o Carcará é equipado com câmeras de alta definição e sistema GPS, que enviam imagens, em tempo real, a uma estação de controle comandada por um militar. A versão atualizada do Vant, o Carcará II - ainda em fase de testes -, prevê a utilização de sensores infravermelhos.

Na estação, semelhante a um laptop, é possível estabelecer previamente a rota da aeronave a partir de mapas digitais, ou alterar o percurso clicando com o mouse sobre um ponto específico da imagem captada pelo aparelho. Portátil e relativamente leve, a estrutura pode ser levada dentro de uma pequena mochila a bordo de navios e veículos.

Características

O Carcará tem como principais virtudes a robustez, o baixo peso e a discrição. ''A cor acinzentada do aparelho foi escolhida justamente para se parecer com o céu, dificultando a visualização por parte do inimigo. A partir de uma altura de 100 m, já não é mais possível ouvir o som do motor'', diz o engenheiro Tin Muskardin, da Santos Lab, empresa que fabrica o Carcará. Fabricado em polipropileno expandido - mesmo material empregado nos para-choques dos carros -, o Vant não representa uma ameaça à vida de transeuntes em caso de queda.

Operações

Desde 2006, o Carcará vem sendo utilizado pela Marinha em exercícios militares e no auxílio às forças de paz da ONU no Haiti, especialmente em missões de reconhecimento. O êxito das operações em ambiente urbano pode abrir caminho para seu uso futuro no monitoramento do crime nas principais capitais brasileiras. Os Vants poderiam dar suporte, por exemplo, às ocupações de favelas no Rio de Janeiro para a instalação de unidades de polícia pacificadora (UPPs)
segurança nacional blog

Arquivo do blog segurança nacional