terça-feira, 17 de abril de 2012

FAEX XII - Esquadrão Orungan testa capacidade do P3-AM em Florianópolis


O Primeiro Esquadrão do Sétimo Grupo de Aviação (1º/7ºGAv), o Esquadrão Orungan, pode colocar à prova todas as potencialidades do seu novo avião, o P-3 AM da Força Aérea Brasileira durante a FAEX XII, que acontece na Base Aérea de Florianópolis (BAFL) até o próximo dia 20 de abril. Esta é a primeira vez que a aeronave atua com outras aviações, como caça, transporte e asas rotativas da FAB, bem como opera em conjunto com submarinos, navios de patrulha e fragatas da Marinha do Brasil. O exercício proporciona ao Esquadrão Orungan, que é sediado em Salvador (BA), um momento único para desenvolver as suas capacidades multidisciplinares. 

A diversidade de sensores aeroembarcados do mais moderno avião de patrulha em operação possibilitou o desenvolvimento de inúmeras missões. Destaca-se a exploração dos meios de comunicação especiais existentes nas aeronaves P-3AM, E-99 e A-29.
“Em um país em que 95% do comércio exterior é transportado pelo mar, o entrosamento entre Marinha e Aeronáutica é fundamental”, disse o Comandante da Segunda Força Aérea e da operação FAEX XII, Brigadeiro do Ar José Alberto de Mattos. A manobra é uma oportunidade para treinar a interoperabilidade com a Marinha, que disponibilizou os meios navais que viabilizaram o resgate da capacidade antissubmarino da Aviação de Patrulha. No exercício, o “peixe mau”, o submarino, foi localizado e acompanhado pelo P-3AM, explorando toda a capacidade acústica do avião, por meio do uso das bóias radiosônicas e do sistema aeroembarcado. 

O envolvimento das Forças Armadas com a proteção ao meio ambiente também pode ser estudada, visto que os sensores de imageamento da aeronave P-3AM foram novamente colocados à prova. A capacidade de processamento e de coleta de imagens puderam ser analisadas continuamente, estabelecendo parâmetros de efetividade, capazes de orientar decisões futuras no emprego dessas aeronaves na Proteção do patrimônio brasileiro existente na Amazônia Azul.

“Destaca-se a pertinência operacional de exercícios como a FAEX XII, onde o cenário fértil, caracterizado pelos diversos aviões e equipamentos, estimula a criatividade técnica e o potencial operativo do esquadrão, com resultados extraordinários nesse período inicial de amadurecimento da unidade aérea”, avalia o comandante do Esquadrão Orungan, Major-Aviador Fabio Luis Morau. ..Segurança Nanacional                                                           

Ônibus espacial Discovery decola pela última vez, rumo ao museu


O ônibus espacial Discovery decolou nesta terça-feira (17) para sua última viagem, pegando carona num avião até o anexo do Museu Nacional Aeroespacial Smithsonian, na Virgínia.

Os Estados Unidos aposentaram no ano passado a sua frota de ônibus espaciais, após concluírem a construção da ISS (Estação Espacial Internacional), um projeto de US$ 100 bilhões que envolve 15 países.

Agora, a Nasa, agência espacial americana, começou a desenvolver uma nova geração de naves capazes de levar astronautas a destinos mais distantes do que a estação, que está a 384 km de altitude.
Fotos: veja a viagem do Discovery rumo ao museu

O Discovery, o principal dos três ônibus espaciais “sobreviventes”, voltou do espaço pela última vez em março de 2011. Ele foi prometido ao museu do Instituto Smithsonian, repositório oficial de artefatos espaciais do país.

"É triste ver isso acontecendo", disse Nicole Stott, astronauta que participou da última tripulação do Discovery.

— Mas, olhando para isso, não dá para não se impressionar. Minha esperança agora é que sempre que alguém olhar para esse veículo irá se impressionar, irá sentir que é isso que podemos fazer quando nos desafiamos.

Em vez de decolar de uma plataforma de lançamento à beira-mar, como era habitual, o Discovery desta vez subiu aos céus em cima de um avião Boeing 747 modificado, que taxiou ao alvorecer na pista do Centro Espacial Kennedy.

A cauda da nave estava coberta por um cone aerodinâmico, e suas janelas estavam cobertas.

Após dar uma volta sobre Washington, o avião deveria pousar entre 10h e 11h, no horário local, no Aeroporto Internacional Dulles, de Washington.

O Discovery então será transferido ao Centro Steven F. Udvar-Hazy, ligado ao Smithsonian, em Chantilly, na Virgínia.

A nave, que entrou em atividade em 1984, substituirá a Enterprise, protótipo de nave orbital que está exposto no museu depois de ser usado em testes de voos atmosféricos na década de 1970.

A Enterprise, por sua vez, será levada neste mês para o Museu Marítimo e Aeroespacial Intrepid, em Nova York.
Os outros ônibus espaciais, Endeavour e Atlantis, serão expostos ainda neste ano no Centro de Ciências da Califórnia, em Los Angeles, e no Complexo de Visitantes do Centro Espacial Kennedy, na Flórida, respectivamente.segurança nacional

Portugal anunciou o envio de uma força naval


Os chefes militares da Guiné-Bissau fecharam o espaço aéreo e marítimo do país, situado na costa oeste da África, e disseram que qualquer violação dessas medidas terá uma "resposta militar", informou o comando das Forças Armadas em um comunicado.
A Junta afirmou que apenas os aviões identificados estarão autorizados a aterrissar no aeroporto de Bissau, que permanece fechado ao tráfego desde quinta-feira. Os militares golpistas anunciaram a decisão depois que Portugal anunciou o envio de uma força naval com o eventual objetivo de retirar cidadãos portugueses e de outras nacionalidades da antiga colônia.
Para esta segunda-feira é esperada a chegada à capital do país africano de uma delegação da Comunidade Econômica dos Estados de África Ocidental (Cedeao) para buscar uma saída à crise. A Cedeao denunciou o levante e exigiu o retorno à legalidade constitucional.
A Junta Militar anunciou no domingo a dissolução de todas as instituições do país e a criação de um Conselho Nacional de Transição cujo mandato e composição serão decididos nesta segunda-feira em reunião entre a junta e alguns partidos políticos.
O golpe de Estado, realizado no dia 12, aconteceu enquanto o país - um dos mais pobres do mundo - se encontrava em pleno processo eleitoral para realizar a segunda rodada das eleições presidenciais fixadas para o dia 29 de abril.
Os responsáveis pelo levante afirmaram que atuam contra um suposto "acordo secreto" entre Guiné-Bissau e Angola - que tem 200 soldados envolvidos com uma ajuda na reforma do Exército guineano - que ameaçaria a soberania nacional.
O golpe de Estado foi condenado pelos Estados Unidos, pela União Africana, a Cedeao, a União Europeia, o Conselho de Segurança das Nações Unidas, e pela antiga metrópole, Portugal, entre outros.
Segundo relatos, um navio de guerra português está a caminho da Guiné-Bissau para possivelmente retirar do pais cidadãos portugueses e outros estrangeiros.
Com informações da agência Reuters..segurança nacional

Pela primeira vez, Força Aérea Brasileira faz exercício de guerra com helicóptero AH-2 Sabre no Sul

O helicóptero AH-2 Sabre, da Força Aérea Brasileira (FAB) participa pela primeira vez de uma manobra no sul do país. Faz parte da frota de 12 helicópteros do exercício operacional da Segunda Força Aérea, o XII FAEX, com sede na Base Aérea de Florianópolis. A aeronave impressiona pelo porte e pela capacidade de combate.

É utilizado em missões de ataque, em casos de alvos de superioridade aérea, como aeronaves em solo e radares. Escolta em missões de resgate em combate, interceptarão e defesa aérea contra inimigos de baixa performance e que voam a baixa altura.

O helicóptero tem a maior capacidade de armamento dos utilizados atualmente pela FAB. Possui um canhão em torreta na proa, com capacidade de tiro em diferentes direções. Conta ainda com a possibilidade de emprego de foguetes e mísseis.

— Devido a possibilidade de utilização de armamento este helicóptero dispõe, intimida qualquer um — afirma o capitão-aviador Márcio André Almeida Coutinho, piloto do Sabre e integrante do Esquadrão Poti.

É utilizado desde 2010 na região norte do país pelo Segundo Esquadrão do Oitavo Grupo de Aviação, o Esquadrão Poti, sediado em Porto Velho (RO). A Segunda Força Aérea (II FAE), organização responsável pelas atividades de Patrulha, Busca e Resgate, Operações Especiais e dos helicópteros da Força Aérea Brasileira, realiza, até o dia 20, a partir da Base Aérea de Florianópolis e com voos programados para o litoral Norte do Estado, bem como para as localidades de Jaguaruna, Imbituba, Laguna e Criciúma, a décima segunda edição do exercício FAEX.

Trata-se de um treinamento regularmente executado pela II FAE. O objetivo é treinar os esquadrões envolvidos, desenvolver e validar novas técnicas e táticas de emprego para melhorar a capacidade da Força Aérea Brasileira em sua missão de manter a soberania do espaço aéreo.

É importante destacar o contexto multifuncional de exercícios desta natureza pois, na medida em que são treinados procedimentos focados na defesa do país, também o são aqueles com vistas ao apoio de nossa população em eventos de calamidades, preservação ambiental, controle de nosso intenso tráfego mercante, de policiamento do nosso espaço aéreo e de busca e resgate, dentre outros.

De forma a permitir a realização da FAEX XII, estruturas de comando e controle foram implementadas com a visualização de todos os voos que ocorrerão no Estado, cerca de 770 militares, incluindo-se também os da Marinha e do Exército, foram desdobrados nas cinco localidades, 12 helicópteros, 12 aviões, dentre eles os novos P-3AM e os aviões radares (E-99), além de seis aviões de apoio para o transporte do efetivo desdobrado. O cenário de treinamento é simulado mas o aumento da capacidade de vigiar nossos mares e resgatar vidas em perigo será real...segurança nacional

Feira asiática de armas e equipamentos militares: exposição da Rússia


Mais de 400 artigos mais sofisticados de destino militar são representados por companhias russas na exposição asiática internacional de armamentos e equipamentos militares DSA-2012 em Kuala Lumpur, capital da Malásia (16 – 19 de abril).
A mostra é efetuada de dois em dois anos sob a patronagem do Ministério da Defesa e da Polícia Nacional da Malásia.
No ano em curso, na feira participam mais de 700 companhias de 40 países. As maiores exposições são apresentadas pela Malásia (43 companhias), Estados Unidos (40), Alemanha (45), França (30). A Rússia é representada por 17 empresas defensivas, inclusive por tais produtores conhecidas de armamentos e equipamentos militares como a Uralvagonzavod, uma das maiores produtoras de tanques no mundo. O desenvolvimento da cooperação militar-técnica com países da Região Asiática do Pacífico é prioritária para as companhias do setor da indústria defensiva da Rússia, que se desenvolve de há mutos anos. Hoje, os países da Região Asiática do Pacífico registam um desenvolvimento dinâmico e canalizam meios consideráveis para a sua defesa. Lidera nesta área a China, cujo exemplo é imitado pelos restantes países da região que compram ativamente artigos defensivos, ressalta o redator-chefe da revista Defesa Nacional, Igor Korotchenko:
"Por isso, levando em consideração a importância da região e a atratividade de muitos tipos de armamentos russos, a delegação da Rússia apresenta na exposição em Kuala Lumpur artigos de vanguarda do complexo da indústria defensiva nacional. A Rússia faz boas propostas aos potenciais e existentes parceiros em vários programas. Tal diz respeito em primeiro lugar a aviões de combate. É conhecido que os caças S-30 têm procura estável. Outros tipos de armas russas de boa procura são armamentos das tropas terrestres, meios de DAA, armamentos da guarda costeira, veículos blindados, sistemas de artilharia, armas portáteis especiais e equipamentos das forças antimotim."
Para além de caças polifuncionais – Su-30 e Su-35 – a Rússia faz avançar no mercado asiático aviões de combate da família MiG – MiG-29M e outros, assim como aviões de treinamento militar Yak-130 e helicópteros. Em particular, em 2011, a companhia Rosoboronexport vendeu pela primeira vez à Tailândia um lote de helicópteros Mi-17V-5. Na seção de equipamentos para as tropas terrestres, para além de tanques T-90S e de veículos de apoio de tanques, têm grande interesse sistemas Khrizantema, Kornet-E e Krasnopol-M2. O Krasnopol é destinado para abater com alta precisão alvos separados, os seus projeteis têm ogivas autoguiados por laser. O sistema permite poupar em 100-170 vezes o consumo de munições em comparação com projéteis não guiados.
A Rússia apresenta na Malásia navios Tornado e Guepard, lanchas Mirage, Mangust, Murena-E e submarinos do projeto Amur-1650. Levando em consideração a especificidade dos países da Região Asiática do Pacífico, que têm uma linha costeira prolongada, tem especial interesse para eles diferentes tipos de equipamentos militares navais.
Segundo avaliações de especialistas, Bangladesh, Myanmar e Brunei, cujas Forças Armadas nacionais devem ser modernizadas em breve, têm boas perspetivas para as empresas russas do setor militar industrial...segurança nacional

Míssil indiano Agni V coloca Índia na mesma fila com Rússia e os EUA


Foram concluídos os preparativos para o lançamento do novo míssil balístico indiano Agni V a ser realizado no polígono da ilha Wheeler Island no Golfo de Bengala. O lançamento foi agendado para o dia 18 de abril, podendo igualar a Índia com a Rússia, os EUA e a China que possuem as armas desse gênero.
O Agni V, capaz de trazer a ogiva de uma tonelada, tem peso de 50 toneladas, o comprimento de 17,5 metros e o diâmetro de 2 metros e o alcance de vôo igual a 5 mil km.segurança nacional

Arquivo do blog segurança nacional