domingo, 8 de janeiro de 2012

FAB envia avião com brigadistas para combater incêndio no Chile


A Força Aérea Brasileira (FAB) enviou ao Chile um avião com 50 brigadistas do Instituto Brasileiro do Meio Ambiente e dos Recursos Naturais Renováveis (Ibama), que ajudarão no combate a mais de 50 focos de incêndio naquele país, informou a FAB em comunicado neste domingo.
A aeronave C-130 Hércules decolou da Base Aérea de Brasília na noite de sábado em direção a Concepción. A cidade, que fica a cerca de 500 quilômetros ao sul da capital Santiago, faz parte da região de BíoBío, uma das mais atingidas pelos incêndios dos últimos dias.
Os brigadistas ficarão cerca de 20 dias no Chile para ajudar no combate, no planejamento e na prevenção de incêndios.
"Caso as autoridades chilenas solicitarem prorrogação, há disposição para atender", disse o chefe do Centro Especializado do Sistema Nacional de Prevenção e Combate de Incêndios Florestais do Ibama, José Carlos Mendes de Morais, no comunicado da FAB.
O grupo leva a experiência de ter combatido incêndios florestais de grandes proporções, como os que atingiram o Estado de Roraima em 1998 e 2002.
O apoio do Brasil ao Chile conta ainda com a ajuda da Defesa Civil, que arcará com os custos de diárias para os profissionais, e com o Ministério das Relações Exteriores, que coordena as ações.
No Chile, os focos de incêndio se intensificaram nos últimos dias. Na sexta-feira, um incêndio causou seis mortes, todas de bombeiros, além de deixar quatro feridos e dois desaparecidos.
Nos últimos dez dias, mais de 50 incêndios queimaram 50 mil hectares de florestas, segundo a nota da FAB. As áreas mais afetadas, além de Bío-Bío, são Maule e Araucanie, localizadas a 500 e 700 quilômetros de Santiago.

Irã começa a enriquecer urânio em nova instalação


DANIELLE CHAVES - Agência Estado
O Irã deu início ao enriquecimento de urânio em uma nova instalação subterrânea bem protegida de possíveis ataques aéreos, afirmou ontem um importante jornal local, o Kayhan. Segundo o diário, que é ligado aos clérigos iranianos, o governo de Teerã começou a injetar gás urânio em centrífugas sofisticadas na instalação Fordo, perto da cidade sagrada de Qom.
"O Kayhan recebeu informações ontem que mostram que o Irã começou o enriquecimento de urânio na instalação Fordo em meio às altas ameaças dos inimigos estrangeiros", afirmou o jornal em uma reportagem de capa. O diretor do Kayhan é um representante do líder supremo iraniano, o aiatolá Ali Khamenei.
No entanto, o chefe nuclear do Irã, Fereidoun Abbasi, afirmou mais tarde, ainda no sábado, que seu país vai "em breve" iniciar o enriquecimento de urânio em Fordo. Não foi possível conciliar as duas informações.
O país está sob sanções da Organização das Nações Unidas (ONU) por se recusar a parar de enriquecer urânio - um processo que pode produzir combustível nuclear e material de guerra - e por outras atividades suspeitas que a comunidade internacional teme que possam ser usadas para fabricar armas atômicas.
O governo iraniano diz que apenas quer ter reatores para geração de energia e para pesquisa e se recusa a interromper as atividades. O Irã tem uma grande instalação de enriquecimento de urânio em Natanz, no centro do país, onde quase 8 mil centrífugas estão operando. Teerã começou a enriquecer urânio em Natanz em abril de 2006.
Mas, segundo relatos, as centrífugas de Fordo são mais eficientes e o local é mais bem protegido contra ataques aéreos. Construída perto de um complexo militar, Fordo foi mantida em segredo por bastante tempo e só foi reconhecida pelo Irã depois de ser identificada por agências de inteligência ocidentais em setembro de 2009. Tanto os EUA quanto Israel não descartaram um ataque militar caso o Irã dê continuidade a seu programa de enriquecimento de urânio. As informações são da Associated Press. 

Arquivo do blog segurança nacional