Wikipedia

Resultados da pesquisa

segunda-feira, 31 de outubro de 2011

China anuncia que fará viagem espacial tripulada em 2012


PEQUIM - Pequim anunciou nesta segunda-feira que em 2012 vai lançar duas naves espaciais, uma delas tripulada, como parte da construção de sua primeira estação, que deve ficar pronta em 2020.
Segundo a porta-voz do programa espacial chinês Wu Ping, a nave não tripulada Shenzhou-8 será lançada na terça-feira às 5h58 da hora local, através de um foguete modificado, do Centro de Lançamento de Satélites de Jiuquan, no Deserto de Gobi.
A Shenzhou-8 se acoplará dois dias depois no módulo experimental espacial Tiangong-1(Palácio Celestial), que foi posto em órbita em 29 de setembro, mais um passo para a construção da primeira estação espacial permanente chinesa.
O programa espacial chinês tem previstos novos avanços para 2012, explicou Wu, com o lançamento das naves Shenzhou-9 e Shenzhou-10, que também se acoplarão à estação Tiangong-1. "Pelo menos, uma das duas missões será tripulada", adiantou Wu em declarações divulgadas pela agência estatal de notícias Xinhua.
A tripulação já foi selecionada e está recebendo treinamento para a viagem espacial, que será a quarta tripulada depois das de 2003 e 2005, e do passeio espacial de 2008.
A porta-voz afirmou que a Alemanha participará do programa da Shenzhou-8 com 17 experiências espaciais em colaboração com a China, no primeiro plano de cooperação espacial chinês no campo da microgravidade e a vida no espaço.
Pelos dados oficiais chineses, no final de 2011 o país asiático terá lançado ao espaço 20 foguetes e 25 satélites, o que situa à China no segundo posto no número de lançamentos depois da Rússia.
Para Yuan Jiajun, subdiretor-general da Corporação de Ciência e Tecnologia Aeroespacial da China, em 2010 o país asiático lançou 15 foguetes e enviou 20 satélites ao espaço, números comparáveis aos dos Estados Unidos e Rússia, as duas potências mais ativas em matéria espacial.
A China possui três bases ativas de lançamento, e está construindo mais uma, porém a de Jiuquan enviou a maior parte das missões.

Lançada com sucesso nave espacial Progress à ISS

MOSCOU - A última nave de carga Progress deste ano foi lançada neste domingo, 30, com sucesso à Estação Espacial Internacional (ISS) a partir da base de Baikonur, no Cazaquistão, levando 2,5 toneladas de carga, incluindo o microssatélite Chibis-M."O lançamento foi um sucesso", informou um porta-voz do Centro de Controle de Voos espaciais, citado pela agência russa "Interfax". A nave se separou do foguete lançador Soyuz-U nove minutos depois do início do voo em regime autônomo até a ISS, à qual se acoplará às 15h40 de Moscou (9h40 de Brasília) do dia 2 de novembro.
A Progress M-13M é a primeira nave de carga a chegar à ISS desde o fim de junho. O cargueiro lançado no fim de agosto explodiu na Sibéria pouco após o lançamento, o primeiro acidente desde 1978. Na carga da nave água e alimentos, equipamentos científicos, oxigênio, material médico e de higiene aos cosmonautas.
O microssatélite Chibis-M vai estudar as tempestades de raios, com a peculiaridade de que esta será a primeira vez que este fenômeno meteorológico será analisado a partir de diferentes espectros de radiação eletromagnética de maneira simultânea.
Falha. O motor que falhou é quase idêntico àqueles usados a bordo dos foguetes russos Soyuz, que levam astronautas e cosmonautas à estação, um projeto de 100 bilhões de dólares de 16 nações atualmente orbitando a cerca de 385 quilômetros da Terra.
"Os russos disseram ter detectado a causa (do acidente) como possíveis destroços e entupimento na linha de suprimento de combustível", afirmou Kelly Humphries, porta-voz da Nasa. "Fizeram inspeções e testes adicionais, sobre os quais nos falaram para ter certeza de que está pronto para partir".
Desde que os ônibus espaciais foram aposentados na metade do ano, as cápsulas Soyuz são as únicas naves capazes de conduzir equipes para a estação, um serviço que no momento custa à Nasa estimados 350 milhões de dólares por ano.
Os voos foram suspensos após a falha na Progress, deixando uma equipe de três membros a bordo da estação por um longo período.
"Coisas acontecem durante os lançamentos. São muito dramáticos e chamam a atenção de todos", disse o astronauta e diretor de operações da Nasa, Mark Polansky, à Reuters na Rússia. "O importante é dizer 'tudo bem, há um problema' e garantir que seja totalmente analisado e que realmente entendemos qual é sua verdadeira causa", afirmou Polansky.
Com o lançamento bem sucedido, uma nova tripulação voará para o entreposto no dia 13 de novembro. Sua chegada prevista para o dia 15 deixará seis dias de intervalo até a equipe atual partir, e seus substitutos deixarão a Terra entre 21 e 26 de dezembro.
Para abrir espaço para o novo cargueiro, que deve se acoplar na quarta-feira, os tripulantes preencheram uma velha cápsula Progress de lixo e itens de que não necessitam mais. O novo carregamento leva 2,8 toneladas de alimento, combustível e suprimentos, incluindo um par de iPads.
A Nasa busca 850 milhões de dólares neste ano para ajudar empresas privadas sediadas nos EUA a desenvolver táxis espaciais, com o objetivo de romper o monopólio russo de voos à estação antes do final de 2016.

Venezuela receberá novo carregamento de armas da Rússia, diz Chávez


Efe
CARACAS - O presidente da Venezuela, Hugo Chávez, anunciou no domingo, 30, que em breve o país receberá um carregamento de armas antiaéreas, tanques e artilharia da Rússia. Ele ainda advertiu que "ninguém deve intervir" no país e aplicar "a fórmula da Líbia ou o que for", referindo-se a uma hipotética ação militar contra a nação."Em breve começarão a chegar novos equipamentos de alta tecnologia de defesa, novos equipamentos que requerem gente capacitada e, além de tudo, patriota", disse Chávez durante um ato de seu partido transmitido pela televisão estatal.
O presidente alertou sobre ações do exterior. "Isso os faz falta para a defesa do país. Vejam como está o mundo. Que ninguém se atreva a vir aqui e aplicar a fórmula líbia ou a que for", disse Chávez, prevendo que os que a isso se atrevessem "pagariam muito caro".
Em agosto, Chávez confirmou que seu governo tem ante a Rússia um crédito de US$ 4 bilhões para "fortalecer" a cooperação técnico-militar, embora tenha indicado que a verba também se destinaria a projetos para a extração de petróleo e gás e industriais.
Segundo a companhia estatal russa para a exportação de armas, a Venezuela comprou quase US$ 11 bilhões em armas nos últimos cinco anos, tornando-se assim o país que mais importou armas de Moscou na América Latina.

Tumor de Lula é de média agressividade, dizem médicos


Gustavo Uribe, da Agência Estado
O resultado da biópsia indicou que o tumor diagnosticado na laringe do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva é localizado, pertence ao tipo mais comum e pode ser considerado como de agressividade média, com grandes chances de cura. A informação foi dada nesta segunda-feira, 31, pela equipe médica do Hospital Sírio-Libanês, onde será feito o tratamento.
Lula conversa com médicos antes do início de tratamento no Hospital Sírio-Libanês - Ricardo Stuckert/Divulgação
Ricardo Stuckert/Divulgação
Lula conversa com médicos antes do início de tratamento no Hospital Sírio-Libanês
O oncologista Paulo Hoff, um dos membros da equipe, ressaltou, que o risco de o tratamento, que inclui quimioterapia e radioterapia, deixar sequelas na voz é mínimo, já que o tumor não comprometeu as cordas vocais do ex-presidente. "O tratamento com quimioterapia e radioterapia pode deixar uma pequena alteração na voz, mas, dando tudo certo, seria uma alteração mínima e não haveria nenhum impacto nas atividades normais de nosso paciente", afirmou. Para evitar riscos, ele será acompanhado por uma equipe de fonoaudiólogos.
A primeira sessão de quimioterapia será realizada nesta tarde e Lula deve deixar o hospital na terça-feira, 1º de novembro. O ex-presidente está acompanhado da mulher, Marisa Letícia, e, segundo os médicos, está tranquilo e confiante com o tratamento.
A expectativa é que a presidente Dilma Rousseff o visite no início da noite. A assessoria de Lula informou que desde sábado, quando foi diagnosticada a doença, ele recebeu ligações de amigos e autoridades, dentre elas dos presidentes da Venezuela, Hugo Chaves, de Cuba, Raul Castro, e da Argentina, Cristina Kirchner.
Tratamento. De acordo com a equipe médica, o tratamento de quimioterapia e radioterapia deverá terminar em fevereiro. O ex-presidente, segundo os médicos, será submetido a três sessões de quimioterapia, com intervalo de 21 dias entre elas. A previsão de início da radioterapia é em janeiro. "A discussão sobre o que vai acontecer no ano que vem ainda não se sabe", afirmou o oncologista Paulo Hoff.
A equipe médica ressaltou que apenas em 40 dias será possível saber se o tratamento a que Lula será submetido é o mais adequado. Entretanto, a avaliação inicial é de que os atuais procedimentos são os mais recomendados para este caso. O cirurgião Luiz Paulo Kowalski destacou que a quimioterapia e a radioterapia apresentam o mesmo potencial de cura que a cirurgia. Com esses procedimentos, o cabelo do ex-presidente deve cair.

Vulnerabilidades do BRASIL Frente ao Terrorismo Internacional


André Luís Woloszyn,
Analista de Assuntos Estratégicos, Pós–graduado em Ciências Penais e Criminologia,
especialista em terrorismo (EUA), diplomado pela Escola Superior  de Guerra.

Embora este tema ainda seja considerado um tabu para grande parte das autoridades brasileiras, chega-se a um momento em que não podemos mais ignorá-lo, especialmente quando estamos na iminência de sediar eventos de abrangência internacional como a Conferência Rio + 20 em 2012,  a Copa das Confederações  e  especialmente, a Copa do Mundo de  2014.

Como país em vias do desenvolvimento, entramos no rol dos vulneráveis a ameaças contra a segurança global, entre estas, a do terrorismo internacional. Paradoxalmente, os fatores que tem propiciado esta projeção também nos torna  potencialmente vulneráveis. Os resultados  altamente  positivos obtidos pela economia, a conseqüente exposição sistemática na mídia global, o crescimento constante do cosmopolitismo das cidades, a possibilidade  de aumento significativo de postos de trabalho  transformam o país em um “Novo Mundo”, entre  mares  de crises políticas e especialmente econômicas que assolam países do chamado primeiro mundo.

Assim, nos transformamos em um foco das atenções internacionais e qualquer ato ou ação terrorista perpetuada em território nacional deverá alcançar grandes dimensões, constituindo-se em um alvo  altamente  atraente  exatamente por conta destas  repercussões.       Nossas vulnerabilidades são muitas e diversificadas. Começamos a elencá-las pelas grandes extensões territoriais com milhares de pistas de pouso clandestinas em vazios demográficos, grandes extensões de fronteiras terrestres e marítimas  e a  dificuldade  no controle e fiscalização destas. A multiplicidade de zonas e locais de homizio nas metrópoles, o descontrole nos aeroportos,  a falta de “nohall”  das autoridades de segurança em relação ao problema aliada as deficiências materiais e tecnológicas das polícias são um ingrediente perigoso para aumentar o grau de probabilidade  da ocorrência  deste tipo de ameaça. Outro fator, não menos importante, é a cultura do país que não aposta  na  prevenção como ferramenta  para minimizar riscos.

De outra forma, sabemos que mesmo com o desenvolvimento de novas tecnologias e mecanismos de segurança a partir dos atentados de 11 de setembro, especialmente nesta última década, a prática do terrorismo  não foi intimidada e ocorreram dezenas de tentativas fracassadas e de ações de sucesso em países que  implementaram estas tecnologias. A  conseqüência  imediata foi  uma  segmentação de  suas lideranças e integrantes com o surgimento de diversas células independentes incluindo o chamado “lobo solitário”, considerado na atualidade a maior ameaça, pois atua  sozinho e por conta própria, realizando ações de maneira inesperada e sem planejamento prévio, com o objetivo de  dificultar a  detecção por parte dos  agentes governamentais.

Se levarmos em conta que a realização de atentados terroristas depende fundamentalmente da capacidade de penetração de seus atores no país alvo, suas articulações e a dependência de atividades complementares para o sucesso de suas ações, então, nosso grau de vulnerabilidade  passa a  ser considerado alto.
 

São José dos Campos será novo polo de Vants


São José dos Campos será, nos próximos anos, um polo de desenvolvimento de Vants (Veículos Aéreos Não Tripulados) no país.
A afirmação é de empresários e pesquisadores do setor, que citam São Carlos e o ABC Paulista como outros centros dessa tecnologia.

Atualmente, duas empresas instaladas no Parque Tecnológico de São José atuam no desenvolvimento de sistemas para Vants: a Gyroflex e a Flight Technologies.

A tendência é que esse número aumente no futuro. “No Brasil, há 15 empresas e organizações que atuam no mercado de Vant. Somente em São José, são cinco projetos relacionados ao setor”, disse o gerente de programas da DCA-BR (Organização Brasileira para o Desenvolvimento da Certificação Aeronáutica), Luiz Alberto Cocentino Munaretto.

Os Vants têm sido utilizados em missões do Exército Brasileiro como no monitoramento de fronteiras e em operações como a destruição de pistas clandestinas na Amazônia.

Outra utilidades do aparelho é no controle do desmatamento em áreas de proteção ambiental. “Esse setor nunca foi tão discutido e vai ser ainda mais no futuro”, afirmou o diretor técnico da DCA-BR, Pablo Pusterla.

Encontro. A DCA-BR organizou, entre os dias 25 e 27 de outubro, no Núcleo do Parque Tecnológico, a Primeira Conferência Latino-Americana de Vants.

Especialistas de mais de 16 países estiveram reunidos para falar sobre novidades de tecnologias do setor.

Arquivo do blog segurança nacional