Wikipedia

Resultados da pesquisa

terça-feira, 23 de agosto de 2011

Defesa salva de cortes plano de avião cargueiro


O programa KC-390, para desenvolvimento de um jato cargueiro, transporte de tropas, tanque de reabastecimento em voo e remoção médica, está preservado dos cortes de recursos orçamentários reafirmados na semana passada pelo governo. O projeto é uma das dez prioridades na área de Defesa aprovadas, há dois meses, pela presidente Dilma Rousseff.
O Palácio do Planalto recebe relatórios mensais sobre o andamento de cada empreendimento listado pelos comandos da Marinha, do Exército e da Aeronáutica. O principal investidor no KC-390 é a aviação militar.
Há dois anos foi definida a dotação de R$ 3,028 bilhões, visando à engenharia e à produção de duas unidades preliminares. A fabricação de série envolve 28 aeronaves para a FAB. Tomando como referência o preço médio de modelos da mesma classe, esse pacote de fabricação regular sairá por R$ 3 bilhões. Até o momento, a aplicação feita bate em R$ 300 milhões.
A turbulência dos mercados financeiros também não atingiu o KC-390. Segundo o fabricante, a Embraer Defesa e Segurança, cinco países mantêm a intenção de comprar a aeronave e eventualmente participar do processo industrial: Argentina, Chile, Portugal, Colômbia e República Checa. A França anunciou em 2009 disposição de adquirir entre 10 e 15 unidades.
De acordo com Luiz Carlos Aguiar, presidente da Embraer Defesa, “a carteira de negócios acumula 60 declarações formais, sendo o maior lote o da Força Aérea Brasileira”. No total não estão contabilizadas as eventuais encomendas francesas, de resto, ainda indefinidas.
O grande birreator vai sair da fábrica de Gavião Peixoto, a 300 quilômetros de São Paulo, na região de Araraquara. A terraplenagem da área onde será construído o novo hangar está em andamento. Cerca de 500 pessoas trabalham no programa. Até 2016 serão 1.800. A entrega do primeiro avião está prevista para 2015. A Embraer já completou a seleção de todos os principais fornecedores, como dos motores e de sistemas eletrônicos de bordo.
O KC-390 vai disputar um rico mercado. De acordo com Aguiar, há oportunidades para 700 aviões de transporte médio – na faixa de 25 toneladas e cerca de 2.700 quilômetros de alcance – a serem contratados até 2023. Em 2007, a carga útil era estimada em 19,5 toneladas. Em 2011, passou para 23,6 toneladas. O teste de volume, utilizando uma maquete industrial do compartimento interno, permitiu acesso de dois tipos de blindados, a carreta padrão do sistema Astros, lançador de foguetes da Avibrás, de 15 toneladas, e um veículo de comando sobre rodas, de 14 toneladas. O arranjo eletrônico adota tecnologia Computed Air Release Point (Carp), que permite o lançamento de cargas com precisão. Os pilotos contarão com visores digitais e sistema de visão noturna a partir de recursos óticos integrados aos capacetes. O KC-390 terá recursos específicos de autodefesa, como despistadores de mísseis e dispositivo de interferência eletrônica. O jato vai voar a 850 km/hora, com ganho de seus motores de última geração, 15% mais eficientes. Em missão de reabastecimento no ar – de caças, helicópteros e de outros KC-390 – o jato leva a bordo 37,4 toneladas de combustível.
Argumento. Na exposição que encaminhou para a presidente Dilma Rousseff, em junho, detalhando os projetos prioritários da Defesa, o ex-ministro Nelson Jobim destacou o KC-390 como “fundamental dentr0 da reconfiguração das Forças de forma expedicionária, com capacidade de reação, mobilização e deslocamento rápidos”. Na prática, significa que, depois de acionados, esquadrões de transportes da FAB e tropas do Exército terão de estar atuando, em qualquer ponto do território nacional, no prazo de oito horas. O novo jato pode usar pistas sem pavimentação, com buracos de até 40 centímetros de profundidade.
Tem capacidade, ainda, para levar soldados equipados – 84 deles com material leve; 64 paraquedistas – da mesma forma como feridos removidos de áreas devastadas por catástrofes.

Mas será o benedito?:Líbia ‘quebrou espinha’ dos rebeldes, diz filho de Khadafi a jornalistas


Saif Al-Islam Khadafi, filho do líder líbio, coronel Muamar Khadafi, disse na madrugada desta terça-feira (noite de segunda-feira em Brasília) a jornalistas estrangeiros que seu pai está a salvo em Trípoli, apesar do aparente avanço das forças rebeldes, e afirmou à BBC que o governo “quebrou a espinha” dos insurgentes.
Conduzido por um veículo blindado, o filho de Khadafi fez uma aparição no hotel onde estão hospedados os jornalistas estrangeiros na capital do país, Trípoli, apesar de informações que indicavam que ele estava preso.
O correspondente da BBC em Trípoli Matthew Price diz que o filho do líder líbio parecia confiante, embora, segundo relatos, os insurgentes tenham tomado o controle da maior parte da capital líbia.
“Nós quebramos a espinha dos rebeldes. Era uma armadilha. Nós os fizemos passar por maus bocados, então estamos ganhando”, disse ele ao correspondente da BBC.
Questionado se seu pai continua a salvo na capital, Saif Al-Islam – tido por muitos como potencial sucessor do líder líbio – respondeu de maneira curta: “é claro”.
A aparição de Saif al-Islam ocorreu depois que o porta-voz do governo Moussa Ibrahim, afirmou, na rede de TV líbia Al-Urubah, que tanto Khadafi quanto seus filhos estão bem, e que o governo tem o controle de pelo menos 75% de Trípoli.
Na noite desta segunda-feira, os rebeldes alegaram estar em controle de cerca de 80% da capital.

Líbia

“Nós quebramos a espinha dos rebeldes. Era uma armadilha. Nós os fizemos passar por maus bocados, então estamos ganhando.”
Saif Al-Islam Khadafi, filho de Muamar Khadafi
Nesse domingo, Mustafa Abdel Jalil, líder do Conselho Nacional de Transição, órgão político criado pelos rebeldes, disse que Saif Al-Islam estava detido, junto de outros dois filhos de Khadafi, Muhammad e Saadi.
Depois disso, nesta segunda-feira, o promotor do Tribunal Penal Internacional (TPI), Luís Moreno-Ocampo, disse que o filho de Khadafi havia sido preso e estava sob custódia. Depois disso, o TPI divulgou um mandado de prisão para Saif Al-Islam por crimes contra a humanidade.
No entanto, a TV Al-Urubah, que é favorável a Khadafi, mostrou nesta segunda-feira imagens de Saif al-Islam fazendo um rápido pronunciamento negando que tenha sido capturado, durante o que a emissora definiu como uma “turnê em Trípoli” do filho do líder líbio.
Segundo o correspondente da BBC, ainda não está claro se o filho de Khadafi foi detido e depois libertado, ou se ele chegou mesmo a ser preso em algum momento.
De acordo com Price, o fato mais importante parece ser que, enquanto todos pensavam que Khadafi estava praticamente derrubado pelo avanço dos insurgentes, um alto integrante do governo aparece em público e dá indícios de que as forças do regime ainda não estão totalmente derrotadas.
Combate em Trípoli
Rebeldes que tentam tomar o controle de Trípoli ainda enfrentam a resistência por parte de tropas leais a Khadafi, que é perseguido pelos insurgentes.
Os rebeldes disseram que, até noite desta segunda (horário local), haviam ocupado cerca de 80% da capital da Líbia, incluindo a sede da TV estatal. Mas um correspondente da BBC que acompanha um dos comboios rebeldes ressalta que as forças de Khadafi reconquistaram parte do território desde então.
O movimento pela tomada de Trípoli foi iniciado na madrugada de domingo pelos insurgentes, que estabeleceram postos de checagem na cidade.
Centenas de moradores saíram às ruas para celebrar. Ao mesmo tempo, violentos confrontos explodiram nos arredores do quartel-general de Khadafi e em outras partes da cidade.
Veículo de combate percorre ruas de Trípoli (AP)Rebeldes dizem ter tomado 80% da cidade, mas tropas de Khadafi oferecem resistência
Tropas pró-Khadafi continuavam no controle das ruas ao redor de um importante hotel de Trípoli, o Rixos, onde se hospedam diversos jornalistas ocidentais.
“Estamos nos preparando para mais uma noite de intensos combates”, disse à BBC um morador da capital. “Acho que as forças de Khadafi vão recorrer a técnicas de guerrilha porque sabem que não têm o apoio da população.”
Mas outro morador criticou os rebeldes, dizendo que estes estavam “invadindo as casas das pessoas e roubando tudo”.
O porta-voz do regime de Khadafi, Moussa Ibrahim, disse que 1,3 mil pessoas foram mortas na cidade entre domingo e segunda-feira. O número não pode ser confirmado de forma independente.
A TV líbia controlada por rebeldes diz que forças pró-Khadafi estão “bombardeando indiscriminadamente” áreas vizinhas ao quartel general de Khadafi, em Bab al-Azizia.
Paradeiro de Khadafi 
Mustafa Abdel Jalil, líder do Conselho Nacional de Transição, órgão político criado pelos rebeldes, disse que os insurgentes só declararão vitória quando Khadafi for encontrado. Seu paradeiro era desconhecido até a noite desta segunda-feira.
“Não sabemos se ele ainda está (em seu complexo, em Trípoli), nem se está dentro ou fora da Líbia”, afirmou Jalil.
Ao mesmo tempo, cresce a pressão internacional para que Khadafi renuncie. A China disse que respeitará o desejo da população líbia e a Rússia se declarou neutra em relação ao avanço rebelde em Trípoli. O Egito se tornou o mais recente de uma série de países a reconhecer o Conselho de Transição como o governo legítimo da Líbia.
O presidente dos EUA, Barack Obama, disse nesta segunda que “o regime de Khadafi (em vigor há 42 anos) está chegando ao fim e que o futuro da Líbia está nas mãos do povo”, mas instou os rebeldes a evitar a violência.
A correspondente da BBC Rana Jawad, que está em Trípoli, disse que há na cidade a sensação de que o fim dos combates pode estar próximo e que os rebeldes tendem a sair vitoriosos.
Na Praça Verde, que recentemente fora palco de protestos pró-Khadafi, apoiadores dos rebeldes arrancaram, entre domingo e segunda-feira, as bandeiras verdes identificadas com o regime do líder líbio.
Share

Irã começa a levar centrífugas de urânio para bunker


Foto de satélite das instalações Fordow perto de Qom, Irã.
O Irã anunciou nesta segunda-feira que iniciou a transferência das suas máquinas de enriquecimento de urânio para um bunker subterrâneo perto da cidade sagrada de Qom.
“A transferência das centrífugas (da usina de) Natanz para Fordow (perto de Qom) está em andamento, sob total observação dos padrões”, disse Fereydoun Abbasi-Davani, chefe da agência nuclear iraniana, à rádio estatal Irib. “As instalações de Fordow estão sendo preparadas, e algumas centrífugas foram transferidas.”
O Irã anunciou em junho que iria levar a sua produção de urânio enriquecido para Fordow, desafiando os apelos internacionais para que o país abandone o beneficiamento de urânio — processo que, dependendo do grau de pureza, pode produzir material para usinas nucleares civis ou para armas nucleares. O Irã insiste no caráter pacífico das suas atividades.
O governo iraniano só admitiu a existência da instalação subterrânea de Fordow em setembro de 2009, depois de ela ser revelada por agências ocidentais de inteligência. A colocação das centrífugas em um bunker escavado numa montanha pode assegurar maior proteção em caso de ação militar dos EUA ou de Israel contra o programa nuclear iraniano.

Arquivo do blog segurança nacional