sábado, 19 de março de 2011

EUA disparam 110 mísseis de cruzeiro contra a Líbia

Em actualização) - Os EUA dispararam mais de 110 mísseis de cruzeiro contra posições de Muammar Kadafi, na Líbia. Norte-americanos e britânicos juntam-se, assim, às operações militares iniciadas pela França, que patrulha os céus líbios após um primeiro ataque aéreo. A TV oficial líbia diz que os ataques causaram vítimas civis e reclamam o abate de um caça francês.


Uma fonte oficial do Departamento de Defesa norte-americano confirmou o disparo de mais de 110 mísseis de cruzeiro dos EUA contra posições de Muammar Kadafi no Oeste da Líbia.




Segundo o canal de televisão árabe "Al Arabya", os ataques da força conjunta internacional causaram vítimas entre os civis. Uma informação também veiculada pela televisão estatal da Líbia, que reclama para as forças leais a Kadafi o abate de um caça Mirage 2000 francês e dizem que há vítimas civis em Tripoli.



Os mísseis "Tomahawk" atingiram áreas nos arredores da capital líbia, Tripoli, e de Misrata, disse o oficial norte-americano, citado pela CNN. Segundo aquela fonte do Departamento de Defesa dos EUA, o ataque acontece depois de Kadfi ter falhado o cumprimento do cessar-fogo.



Entretanto, o primeiro-ministro de Inglaterra, David Cameron, disse que há já, também, forças britânicas em acção na Líbia.

                                                            Míssil disparado do USS Barry

Os Estados Unidos dispararam mísseis Tomahawk contra baterias anti-aéreas da Líbia a fim de facilitar a aplicação da zona de exclusão aérea pelas forças da coligação, confirmou uma fonte militar dos EUA.

Aviões franceses lançam ataque às forças de Kadafi

A televisão estatal líbia divulgou que os ataques aéreos da coalizão internacional atingiram áreas civis em Trípoli, matando a população local. Os bombardeios também teriam atingido tanques de depósito de combustível em Misrata.




A rede também afirmou que uma das aeronaves francesas que participam da intervenção foi derrubada pelas forças do líder líbio Muamar Kadafi. As notícias, no entanto, não puderam ser confirmada por nenhuma outra fonte independente.



A coalizão internacional, formada por Estados Unidos, França, Reino Unido, Canadá e Itália já teriam atacado as cidades de Trípoli, Misrata, Zuara e Benghazi.

Arquivo do blog segurança nacional