sábado, 6 de novembro de 2010

Dos Pampas ao Nordeste: o Cartorze pronto para o combate





Já era noite quando os cinco caças F-5EM do 1°/14° GAV pousaram em Natal após cruzarem todo o país, vindos de sua base no Rio Grande do Sul. O Esquadrão Pampa, como é chamado, chega para a CRUZEX V com a experiência da participação em vários exercícios, como a Red Flag e todas as CRUZEX anteriores.



Mas apesar de não ser novata, a unidade encara a CRUZEX V como uma grande oportunidade de aprendizado. Foi o que explicou o Major Francisco Bento Antunes logo após desligar as duas turbinas do seu jato de combate. “O esquadrão tem uma excelente perspectiva para essa operação em função da participação de unidades estrangeiras e a possibilidade de intercâmbio na ampla variedade de missões da aviação de caça”, afirmou.



Para superar os desafios dos próximos dias, o 1°/14° GAV preparou seus pilotos em missões de ataque, escolta e combate aéreo, semelhantes às que cumprirão na CRUZEX V. A novidade neste ano é que pela primeira vez o Pampa voará na força de coalizão com seus caças equipados com sistemas de última geração. “Voando com o F-5 modernizado nós temos uma excelente perspectiva de missão, aquisição de conhecimento e troca de experiências”, disse o Major Bento.



Criado em 1947 na Base Aérea de Canoas, o 1°/14° foi a primeira unidade de caça brasileira da região sul. O esquadrão cumpre missões de defesa do espaço aéreo e ataque ao solo, e desde 1976 opera os caças F-5E Tiger II, de fabricação norte-americana. Em 2005, o Pampa recebeu seu primeiro F-5 modernizado com novos sistemas de voo, radar, ataque e proteção. Os novos aviões foram denominados F-5EM.  O favoritismo do Brasil pelo caça francês Rafale fica cada vez mais evidente. Desta vez, o avisão vai participar da operação Cruzeiro do Sul – treinamento militar que acontece a cada dois anos comandado pelo Brasil. Cem caças devem estar no exercício que deve começar no dia 28 de outubro, depois que o presidente Luiz Inácio Lula da Silva anunciar o modelo escolhidos para integrar a Força Aérea Brasileira (FAB).




A Cruzex 2010 é, até agora, o mais prestigiado, além da presença da França, que é uma antiga colaboradora, os Estados Unidos prometeram participar com um caça militar. Antes, os americanos eram só observadores. Não se sabe se os Estados Unidos vão trazer o F-18 ou o F-16, um modelo inferior. Bolívia, Peru, Colômbia, Paraguai, Equador, Canadá e Inglaterra já confirmaram a presença. (nota a Inglaterra vem e a Argentina não?)



A guerra simulada será em Natal, base dos países de “coalizão”, que conta com a ajuda de todos os países. Em Fortaleza, ficará o “inimigo”, representado por aviões da FAB.  Concepção


E um exercício aéreo multinacional que reune meios das Forças Aéreas da Argentina, do Brasil, do Chile, dos Estados Unidos, da França, do Uruguai, Venezuela e meios simulados de Força Terrestre e Força Naval, que irá ocorrer no período de 28 de outubro a 20 de novembro de 2010, na Região Nordeste do Brasil, abrangendo os estados do Ceará, Rio Grande do Norte, Paraíba e Pernambuco.

Durante a CRUZEX V, meios aéreos e pessoal das Forças Aéreas participantes, serão desdobrados para o território brasileiro.

A CRUZEX V é um exercício de Força Aérea, de dupla-ação, que incluirá Forças Azuis (Forças da Coalizão) contra Forças Vermelhas (Forças Opositoras), baseado em um conflito simulado de baixa intensidade. As Forças Aéreas dos países convidados estarão compondo a Força de Coalizão no País Azul, contra a Força Oponente, sediada no País Vermelho.

No CENÁRIO FICTÍCIO, até 1945, o País Vermelho era constituído por grupos étnicos que viviam harmoniosamente.



O principal grupo étnico do País Vermelho era o “REDO”, que compunha a maior parte da alta sociedade do país (administração, forças armadas, policia e outros) e dominava a parte ocidental do país. Por outro lado, a parte oriental era formada por uma multiplicidade de grupos étnicos que suportavam a opressão dos REDO e eram desprezados com freqüência.



O País Vermelho e o País Azul (país vizinho) lutaram em lados opostos na II Guerra Mundial. No final da guerra, o País Azul era um dos vencedores e o País Vermelho um dos perdedores.



Em 1946, para condenar e punir o comportamento do País Vermelho, a comunidade internacional decidiu dividi-lo em dois países: a parte ocidental, batizada de País Vermelho e a parte oriental, País Amarelo. A divisão foi considerada traição pelo grupo REDO, que começou a convocar a população do País Vermelho para a resistência.



Em 2010 o País Vermelho invadiu e anexou a parte do País Amarelo alegando proteger “sua população”. A maior parte da área capturada é composta por campos de petróleo.



Uma resolução de segurança das Nações Unidas foi votada, exigindo a retirada das forças do País Vermelho do País Amarelo e autorizando a constituição de uma Força de Paz.



Uma grande coalizão internacional foi formada, tendo como líder o País Azul.

A coalizão tem como incumbência expulsar as Forças Vermelhas do território Amarelo e restaurar a legalidade e a paz entre as duas nações.



Países participantes



Argentina, Brasil, Chile,Estados Unidos, França, Uruguai, Venezuela.

Nota: Os Estados Unidos participa pela Primeira vez do treinamento que Obedece as Normas Da OTAN.



Aeronaves Participantes



Argentina:

A-4

KC-130



Brasil

F-5EM

F-2000

A/RA-1

A-29

E-99 (AEW)

H-1H

H-60

H-34 (SAR)

SC-95

C-130

KC-137

C-105

C-95



Chile

KC-135

F-16



França

3-2000/S

RAFALE



USA

F-16

KC-135



Uruguai

A-37

IA-58



Venezuela

F-16



Havia uma expectativa sobre a possibilidade dos Estados Unidos trazerem os F-18, mas pelo visto os Ianques virão com F-16 .



Fonte FAB

Arquivo do blog segurança nacional