quarta-feira, 27 de outubro de 2010

Associated Press - AP


A agência espacial russa informa que uma nave de carga não tripulada partiu numa missão para levar suprimentos à Estação Espacial Internacional (ISS).



A agência diz que a Progress M-08M foi lançada nesta quarta-feira, 27, do Casaquistão. Sua chegada à ISS está programada para sábado.



O cargueiro espacial transporta mais de 2,5 toneladas de comida, água, oxigênio e outros suprimentos.



Ela também leva presentes e cartas para os seis astronautas a bordo da ISS.

Petrobrás anuncia nova descoberta na bacia de Sergipe-Alagoas

  Agência Estado


SÃO PAULO - A Petrobrás informou nesta quarta-feira, 27, que a perfuração do primeiro poço em águas ultraprofundas da Bacia de Sergipe-Alagoas identificou a presença de petróleo de qualidade semelhante ao das águas profundas da Bacia de Campos. De acordo com a companhia, trata-se de uma nova fronteira exploratória.



Conforme o comunicado, foi confirmada a existência de grandes acumulações nas porções mais distantes dessa bacia, com volumes superiores àqueles encontrados nos campos de Guaricema e Dourado, em águas rasas. Dados obtidos nos testes indicam a presença de petróleo leve.



O poço, denominado 1-BRSA-851-SES (1-SES-158), conhecido como Barra, está localizado no bloco SEALM-426 da concessão BM-SEAL-11, nordeste da sub-bacia de Sergipe, em profundidade de água de 2.341 metros, a 58 km da costa do estado de Sergipe.



Segundo a Petrobrás, o poço 1-SES-158 testou depósitos em acumulação desenvolvida em área de aproximadamente 70 quilômetros quadrados. O campo análogo mais próximo, Piranema, está a 90 km de distância. Do poço, ainda em perfuração, continuarão sendo obtidas amostras de reservatórios mais antigos e profundos.



"As informações até agora obtidas são suficientes para atestar a descoberta de uma nova província petrolífera na Bacia de Sergipe-Alagoas. Após o término da perfuração, o consórcio formado pela Petrobrás (60% - operadora) e IBV-Brasil (40%), para a exploração da concessão BM-SEAL-11, dará continuidade às atividades e aos investimentos, através da perfuração de outros poços pioneiros e da elaboração de Plano de Avaliação de Descoberta a ser definido pela ANP (Agência Nacional do Petróleo)", diz o comunicado.

China anuncia plano para pôr estação espacial em órbita em 2020

REUTERS - REUTERS


A China declarou nesta quarta-feira que lançará, dentro de dez anos, um laboratório espacial que permanecerá tripulado por longos períodos de tempo, o que aproximará ainda mais o país de potências espaciais como EUA e Rússia.




A agência de notícias oficial Xinhua, citando uma autoridade do setor que não é identificada pelo nome, disse que um laboratório espacial provisório será lançado até 2016 para testar equipamentos e técnicas. Mas não está claro se esse laboratório sustentará tripulação por longos períodos.



O programa da estação espacial chinesa usará tecnologia já existente, como a nave espacial Shenzhou e o foguete lançador Longa Marcha 2F, disse a Xinhua. A agência não informou o tamanho dos laboratórios.



O estabelecimento de um laboratório espacial "promoverá o progresso científico e a inovação tecnológica de nosso país, aumentará a força total da nação e dará importante contribuição para a elevação do prestígio nacional", disse a autoridade entrevistada.



Embora seja improvável que a iniciativa chinesa venha a rivalizar com a Estação Espacial Internacional (ISS), o anúncio representa o sinal mais recente do aumento da capacidade tecnológica chinesa no espaço.



A China lançou neste mês uma segunda sonda orbital para a Lua e, em 2003, tornou-se o terceiro país a dominar a tecnologia de enviar seres humanos ao espaço. Em 2008, realizou sua primeira caminhada espacial.



A China planeja realizar um pouso não tripulado na Lua e desenvolver um robô móvel para exploração lunar até 2012, além de extrair amostras de solo lunar até 2017. Cientistas falam sobre a possibilidade de enviar homens à Lua na década de 2020.



Os chineses disputam com Índia e Japão uma corrida espacial asiática, com so três países investindo no desenvolvimento de tecnologia para a exploração do espaço.



O envolvimento militar no programa espacial chinês causa preocupação na comunidade internacional. Em 2007, a China testou uma arma capaz de abater satélites em órbita.

Evo e Ahmadinejad batem bola no Irã

Ahmadinejad e Evo cumprimentam a torcida. Foto: Divulgação/Irna/AP TEERÃ - O presidente iraniano, Mahmoud Ahmadinejad, convidou o colega da Bolívia, Evo Morales, para uma 'pelada' em Teerã na terça-feira.






Os dois líderes jogaram no mesmo time, que venceu a partida contra uma equipe com jogadores profissionais iranianos por 8 a 6 nos pênaltis.



Antes de mostrarem a intimidade com a bola, os dois líderes discutiram acordos nas áreas de indústria, comércio e energia.



O Irã estuda investir quase US$ 290 milhões na Bolívia, principalmente na indústria têxtil e na exploração de minérios.

Exercício CRUZEX V reúne 2.500 militares brasileiros e estrangeiros

Escrito por Administrator


Qua, 27 de Outubro de 2010 13:55



Começa amanhã (28) o maior exercício de combate aéreo combinado da América do Sul, a Operação Cruzeiro do Sul V (CRUZEX V). As delegações internacionais já começaram a chegar na Base Aérea de Natal (BANT), local principal do exercício. A CRUZEX V leva para os estados do Rio Grande do Norte, do Ceará e de Pernambuco 92 aeronaves, como os caças F-16, dos Estados Unidos e Chile, Rafale, da França e F-2000, A-1, A-29 e F-5EM, do Brasil. O exercício tem a participação das Forças Aéreas do Brasil, Estados Unidos, França, Argentina, Chile e Uruguai. No total, participam 2.500 militares brasileiros e estrangeiros, incluindo observadores da Bolívia, Equador, Canadá, Reino Unido, Colômbia e Paraguai.




Coordenada pela Força Aérea Brasileira (FAB), a CRUZEX V tem o objetivo principal de treinar as Forças Aéreas envolvidas no planejamento de operações combinadas com países aliados, nos mesmos moldes utilizados pela Organização do Tratado do Atlântico Norte (OTAN) em conflitos internacionais. Os militares brasileiros e estrangeiros poderão treinar no contexto de uma moderna estrutura de comando e controle unificado do poder aéreo, além de trocarem experiências e conhecimentos.



A guerra aérea simulada acontece a partir de um conflito fictício envolvendo a invasão do país Amarelo pelas tropas do país Vermelho e a posterior intervenção de uma coalizão liderada pelo país Azul. No mapa real, as cidades de Natal (RN), Recife (PE) e Campina Grande (PB) concentram a maior parte das aeronaves envolvidas, enquanto a partir da Base Aérea de Fortaleza (BAFZ) vão operar as forças hostis. Somente em Natal serão 66 aeronaves envolvidas no Exercício, sendo 31 estrangeiras.



Fonte: CECOMSAER

Arquivo do blog segurança nacional