quinta-feira, 20 de maio de 2010

A guerra na Amazônia, alem de ser algo totalmente diferente, exige armas especificas e táticas especiais. O Brasil já parte de um ponto superior pois temos soldados bem treinados, talvez os melhores do mundo, para a guerra deste tipo, a guerra na Amazônia inclui: brasil declra guerra a narco trafico



• Táticas de infantaria especiais alem de sobrevivência na selva.

• Uso de helicópteros na guerra e no transporte visto que outros veículos não são capazes de adentrar pela floresta.

• Uso de veículos não tripulados para ataque e vigilância, visto que a floresta é muito grande para ser vigiada por veículos tripulados.

• Uso de armas pequenas e confiáveis, visto que a floresta é muito húmida, chuvosa e com condições extremas.



Um dos ambientes mais extremos que uma pessoa pode enfrenta, não é o deserto a 45 graus Celsius, também não é o gelo a 30 graus negativos, muito menos um ambiente urbano fechado como uma favela, mais sim a floresta tropical fachada, um mar verde húmido com todo o tipo de perigo e dificuldade que podemos enfrenta. Em uma floresta tropical, há centenas de lugares para se esconder, é praticamente impossível imaginar de onde o seu inimigo atacara, os esconderijos pode se localizar nos buracos abundantes, no alto de uma árvore ou simplesmente parado no meio da mata fechada.

Onças, piranhas, vermes e insetos venenosos pode fazer um simples soldado incapaz e dois dias. Apesar da chuva constante, uma das maior dificuldade será encontrar água que possa ser bebida, depois será a dificuldade de se localizar visto que na maioria das vezes o horizonte não e visível. Podemos ficar durante um longo tempo descrevendo como a guerra na Amazônia e difícil, mais eu gostaria de chegar o quão importante é o soldado nestas condições contar com os equipamentos corretos, e os melhores meios para que possam ser vitoriosos.

Defender nosso patrimônio verde é difícil, mais se alguém pode fazer isto, serão nossos soldados, e alem de qualquer arma, não importa o quanto mais avançada seja, no final o que importa é o treinamento a eles servindo

Arquivo do blog segurança nacional