sábado, 15 de maio de 2010

VANTE -FALCAÒ DA AVIBRAS ,por que a fab nào fechà contrato com a avibras a tecnologia sam as mesma do hermes 450 de israel...empresa ELT  A empresa gaúcha Aeroeletrônica, da qual a israelense Elbit é controladora, assinou um convênio com a FAB, através do qual disponibilizará duas aeronaves não tripuladas Hermes 450 para avaliação pelas Forças Armadas brasileiras. A equipe de avaliação será capitaneada pela FAB, e terá a participação de militares da Marinha e do Exército. A apresentação realizada em 10 de maio na Base Aérea de Santa Maria (BASM) envolveu uma aeronave (foto superior), que em poucas semanas será substituída por duas outras novas, trazidas especialmente de Israel. O convênio que proporcionará o programa de testes não gerou ônus para o Brasil, já que não se trata de venda ou arrendamento.


Inicialmente, a FAB pensava em adquirir uma aeronave do porte do Hermes 450. Entretanto, foi concluído que havia necessidade de, antes desse estágio, aprofundar o aprendizado e estudo sobre a operação de ART (Aeronaves Remotamente Tripuladas, termo que agora substitui o usando anteriormente — VANT, Veículo Aéreo Não Tripulado), o que permitirá uma decisão mais abalizada.




Em diferentes configurações de aviônicos/sensores, a plataforma Hermes 450 é atualmente empregada por diversos usuários — entre eles Israel, Grã-Bretanha e França —, tendo acumulado mais de 170.000 horas de vôo. Atualmente, a operação de ART ainda tem ares de novidade no Brasil, havendo necessidade de definir melhor as missões e posteriormente as especificações dos veículos que seriam os mais adequados às nossas necessidades. A idéia é estudar o equipamento e definir a melhor configuração para uma futura ART de projeto nacional. A regulamentação de ART pelo DECEA não está completa, e portanto ainda não contempla o emprego em missões não militares.

Todo o sistema Hermes 450, incluindo o “shelter” de controle (foto do meio) é transportado por um único C-130, e em pouco mais de um dia pode ser iniciada a operação. Uma única estação pode controlar duas aeronaves, que podem pousar ou decolar de forma autônoma ou manual. Durante a apresentação para as autoridades, entre elas o Comandante da Aeronáutica, Tenente-Brigadeiro-do-Ar Juniti Saito (foto inferior), foi divulgada a informação de que a hora de voo do Hermes 450 custa aproximadamente 1/10 da hora de voo de uma aeronave convencional.
SISTEMA ELETRÔNICO DO FALCÀO SERIA  DA empresa gaúcha Aeroeletrônica OU Arcth

O Hermes 450 pode cobrir uma raio de 250km, e sua autonomia é superior a dez horas de voo. O programa de ensaios será executado por uma equipe denominada Grupo de Trabalho Victor, chefiada pelo Tenente-Coronel Aviador Ricardo Laux. e que conta com 11 técnicos da Aeroeletrônica. (Vinicius D. Cavalcante – fotos do autor)





 

Arquivo do blog segurança nacional