terça-feira, 13 de abril de 2010

Os presidentes do Brasil, Luiz Inácio Lula da Silva, e da Itália, Silvio Berlusconi, assinaram hoje (12), em Washington (DC), nos EUA, um instrumento de parceria estratégica entre os dois países. Dentre os vários itens de cooperação, destacam-se as de matéria militar e na área espacial. Nos dois campos, alguns itens chamam a atenção, especificamente comunicações militares via satélite, e observação terrestre via satélite-radar (SAR, sigla em inglês).







Nas duas prioridades, do ponto de vista comercial e industrial, o acordo Brasil – Itália tem por objetivo melhor posicionar a indústria italiana para futuros negócios no Brasil. O grupo italiano Finmeccanica, maior grupo aeroespacial e de defesa da Itália e um dos maiores da Europa, tem considerável presença em matéria de comunicações por satélite, com participação minoritária (33%) na Thales Alenia Space, e de 67% na provedora de serviços Telespazio.





Já há alguns anos, o lado italiano da Thales Alenia Space promove no País suas soluções em comunicações militares por satélite (sistema SICRAL), sendo logicamente um dos grandes interessados no futuro projeto do Satélite Geoestacionário Brasileiro (SGB). Resta saber como os lados italiano e francês da Thales Alenia irão se conciliar para buscar participar do projeto, que também tem outros interessados, na própria Europa Ocidental (EADS Astrium), Ucrânia/Canadá, Rússia e talvez EUA. Sobre o interesse dos italianos no SGB, recomendamos a leitura da postagem “De olho no SGB“, publicada aqui no blog em abril de 2009.





Quanto aos satélites-radar, em especial em termos de hardware, existem também esforços locais do lado italiano da Thales Alenia Space, tanto no Ministério da Defesa, como no setor civil do Programa Espacial Brasileiro (Agência Espacial Brasileira – AEB, e Instituto Nacional de Pesquisas Espaciais – INPE).





Oportuno lembrar da parceria entre a Itália e a Argentina no projeto dos satélites SAOCOM. Em março de 2009, em entrevista concedida ao blog, o diretor do INPE, Gilberto Câmara, levantou a possibilidade de parceria entre o Brasil e a Argentina para a construção de um satélite-radar (leia aqui).





Quanto ao fornecimento de imagens geradas por satélites-radar, em meados de março a Telespazio Brasil, em parceria com a empresa brasileira Imagem, venceu um pregão para o fornecimento de imagens-radar geradas pela constelação Cosmo-SkyMed para o Sistema de Proteção da Amazônia – SIPAM. A notícia foi divulgada pela assessoria do grupo Finmeccanica apenas hoje, mas o blog já a havia dado com exclusividade desde 26 de março (vejam a postagem “Imagens COSMO-SkyMed para o SIPAM“).





Reproduzimos abaixo os itens mais interessantes do documento:

“IV – Cooperação em matéria técnico-militar e de defesa






À luz desta crescente cooperação, as Partes decidem desenvolver um relacionamento privilegiado no campo da defesa, embasado na parceria industrial e transferência de tecnologia. Este relacionamento privilegiado entre os dois países no campo da defesa será matéria de acordo específico entre os respectivos Ministérios da Defesa. Deverá conferir, em princípio, prioridade aos seguintes projetos de colaboração:





- aplicações espaciais militares e de segurança referentes a: comunicações militares via satélite; ou observação da Terra via satélite-radar e serviços baseados no SAR (Radar de Abertura Sintética).




V – Cooperação na área espacial




As Partes se comprometem a aprofundar a cooperação entre suas respectivas instituições nacionais de pesquisa e desenvolvimento científico em tecnologias espaciais e suas aplicações industriais. Nesse contexto, as Partes saúdam a disposição mútua de implementar o Protocolo de Intenções entre a Agência Espacial Brasileira (AEB) e a Agência Espacial Italiana (ASI), assinado em 11 de novembro de 2008, relativo a iniciativas em áreas de interesse comum, tais como observação da terra para prevenção e gestão de desastres naturais e mudança do clima; telecomunicações; e navegação via satélite, assim como a cooperação em tecnologias espaciais e suas aplicações.





Para dar implementação aos objetivos acordados, as Agências Espaciais dos dois países prosseguirão no exame conjunto de oportunidades de colaboração e, em particular, considerarão os itens relacionados a seguir, identificados preliminarmente, como potenciais áreas de cooperação de claro interesse e relevância para os dois lados:

                                                 COSMO-Skymed, o italiano Envisat,



- utilização e recepção dos dados de satélite “COSMO-SkyMed” para aplicações civis;

- observação da terra por satélite radar e serviços baseados no SAR (Radar de Abertura Sintética) para aplicações civis;

- colaboração na área de balões meteorológicos; e

- seminários e capacitação conjunta.”

Arquivo do blog segurança nacional