quinta-feira, 25 de fevereiro de 2010

novo míssil nacional hibrido seria a nova opisâo da marinha do brasil novo míssil nacional Projeto ousado para as Forças Armadas brasileiras pode chegar a 150Km de alcance




O projeto ainda sem nome é chamado internamente de “híbrido de míssil com foguete” e trata-se de um artefato do tipo superfície-superfície. Com aplicações de caráter terrestre e naval, o novo produto deve ser oferecido ao Exército Brasileiro e à Marinha do Brasil.



O “híbrido” é, na realidade, um foguete nos primeiros estágios. No último, se transforma em uma cabeça de guerra guiada, o que causa essa dúvida quanto a nomenclatura da arma.



O projeto vem sendo desenvolvido há alguns anos. Atualmente, a parte de propulsão já está pronta, enquanto a cabeça de guiagem vem sendo desenvolvida há cerca de seis meses e deve estar concluída daqui a outros dez.



A princípio o foguete/míssil será guiado por GPS, Glonass ou Galileo, mas outra alternativa de guiagem também está sendo desenvolvida para garantir a precisão da arma mesmo se o acesso a esses sistemas for negado pelos países de origem na ocasião de algum conflito. Os detalhes desse sistema alternativo, porém, ainda não foram divulgados.



A precisão do “híbrido” é estimada dependendo da qualidade do link com os satélites de posicionamento. Se esse link for bom, a precisão chega a menos de 1 metro. Alguns cálculos e testes estão sendo feitos para determinar e aperfeiçoar o alcance. A última e maior estimativa está por volta dos 150km.



Uma plataforma estabilizada para o lançamento deste foguete a partir de navios também está em desenvolvimento. Ela levaria em conta os movimentos da embarcação, produziria um padrão e assim estabilizaria em dois eixos a plataforma para o lançamento ideal do híbrido.
Como seria uma nova guerra etre britânico ê argentinos
Planos de guerra O jogador luta do lado inglês (nas telas abaixo, com as forças azuis) e tem que enfrentar ondas de aeronaves de ataque argentinas (em vermelho) armadas com mísseis antinavio Exocet.




Um detalhe interessante da missão é que o Brasil fez uma aliança com a Argentina, como descreve a tela abaixo:





Num momento em que o Brasil dá apoio à Argentina na questão das Malvinas, o Fleet Command ajuda a pensar como seria uma nova Guerra pelas Malvinas, agora que a Royal Navy não possui mais o Sea Harrier para garantir a superioridade aérea sobre a Frota.
Teste de Mergulho de Submarino Scorpène da Malásia Concluído com Sucesso


PETALING JAYA: o primeiro submarino da Malásia, o Scorpène, classe KD Tunku Abdul Rahman, foi submetido a testes subaquáticos com sucesso no Mar do Sul da China ontem.O ministro da Defesa, Datuk Seri Dr Ahmad Zahid Hamidi, disse que uma equipe técnica estava a bordo durante o mergulho do submarino para acompanhar seu progresso debaixo d’água.




- O mergulho foi concluído com êxito Às 4h da tarde. Esteve tudo de acordo, disse o Dr Ahmad Zahid em um SMS.



Os testes foram realizados na base da Marinha Real da Malásia em Teluk Sepanggar, Sabah.



Dias antes, foi noticiado que o KD Tunku Abdul Rahman era incapaz de mergulhar após um defeito mecânico ter sido descoberto por engenheiros.



O problema forçou o adiamento de seu teste em águas tropicais, o qual deveria ter sido concluído no final do mês passado.



Na semana passada, Zahid disse que o defeito técnico, que afetou o sistema de válvulas de alta pressão de ar do submarino, tinha sido corrigido pelo construtor e pelo empreiteiro ao abrigo de um contrato de garantia.



O submarino chegou a Malásia em setembro do ano passado. Um segundo submarino, o KD Tun Abdul Razak, deverá chegar em 31 de maio.



Ambos os submarinos foram adquiridos por um total de RM3.4 bilhões e conjuntamente fabricados por estaleiros franceses e espanhois.



Teste de Mergulho de Submarino Scorpène da Malásia Concluído com Sucesso



Parte da imprensa brasileira correu para malhar o Scorpène francês quando os malaios anunciaram que o submarino não submergia.



Isso aconteceu no meio da campanha contra o caça francês Rafale, em provável campanha de cunho político e comercial.



Agora que a situação virou, será que darão o mesmo destaque?

Arquivo do blog segurança nacional