sábado, 19 de dezembro de 2009

EU GOSTO DAS PLANTA Ê VC GOSTA Significado dos Cactos



Segundo o Feng Shui os cactos são considerados Guardiões, por serem purificadores de ambientes e, de acordo com os especialistas desta técnica milenar, os cactos agem como uma barreira para os raios gama emitidos por computadores e aparelhos de TV.

Os cactos, por viverem em regiões áridas e isoladas, ajudam as pessoas e conhecerem a sua força interna em momentos de solidão. Pelo fato de os cactos armazenarem água (elemento que simboliza sentimentos e emoções) dentro do caule, o mesmo favorece aqueles que se defendem muito das próprias emoções.

Os espinhos podem parecer hostis, mas fazem parte da estratégia de sobrevivência da planta, natural de clima árido e terrenos difíceis, transmitindo proteção e segurança ao seu portador.

Tê-las por perto é um lembrete de vitalidade, persistência e integração com tudo o que está a nossa volta.



Para presentear com cactos:



SUEÑO MEXICANO

Três diferentes mini cactos, em base de fina de parafina.

Tamanho: 20 x 20 x 20h cm










Os cactos compõem uma das espécies mais conhecidas de plantas suculentas e

caracterizam-se por sobreviver em condições extremas de seca, ao acumular àgua em seus caules, flores e raízes. Destaca-se pelo tamanho,

formato e as lindas flores.

Os cactos tiveram sua primeira aparição na América, e logo depois se expandiu por todo o mundo.

A origem do nome: o termo cactos foi usado há cerca de 300 anos antes de Cristo pelo grego Teofrastus.

Em seu trabalho chamado Historia Plantarum, ele associa o nome cacto à plantas com fortes espinhos.

Todos os cactos florescem, porém alguns tipos somente irão florescer após os 80 anos de idade ou atingir altura superior a dois metros.

Depois da primeira floração, todo ano, as flores voltam a aparecer na mesma época.

Algumas espécies produzem frutos comestíveis. É o caso do cacto mexicano Opuntia Ficus-indica, que produz o conhecido figo-da-índia.

Os cactos podem viver até 200 anos alcançando até 20 metros de altura.

Mas também existem espécies minúsculas (mini-cactos). A menor conhecida é o Blosfeldia liliputana, dos Andes bolivianos, com apenas 0,5 centímetros de diâmetro.

Apesar de 92% de sua estrutura ser composta por água, a presença do cacto indica sempre um solo pobre e seco.

No mundo, existem mais de duas mil espécies de cactos catalogadas. Só no Brasil, são mais de 300 tipos.

Os cactos reproduzem-se tanto por sementes quanto por estacas.

Os cactos podem ter forma globosa, que são os redondos; colunar, que são os compridos; ou achatadas, como as palmas -

cujo nome científico é Opuntia

As flores da família das cactáceas se especializaram em viver em regiões de clima seco, abertas, com muita insolação e em

solos formados por cascalho e areia, onde a água escoa muito rapidamente.

São flores que se adaptam aos diversos locais,

podendo ocupar espaços mínimos, alguns, ideais para manter em casa, porém necessitam de luz solar direta todo dia.



Cultivo de Cactos - Informações básicas

Os cactos precisam de sol, ventilação e e pouquíssima umidade.

A exceção fica por conta dos mini cactos (aqueles que encontramos até em supermercados, em pequenos vasinhos) que, em geral,

têm menos de três anos. Como são bem jovens, os mini-cactos apresentam uma resistência menor à exposição direta do sol.

Desta forma, é melhor colocá-los em áreas arejadas, mas longe da luz solar direta.



Água e regas no cultivo de cactos

É o fatos mais importante para o sucesso no cultivo de cactos. A quantidade de água necessária para a manutenção dos cactos

depende de outros tópicos como: (drenagem, temperatura, terra, entre outros), tornando difícil administrar as regas, porém é possível

chegar em numa média, de acordo com os períodos do ano.

No verão, as espécies com mais de três anos devem ser regadas a cada 5 ou 6 dias; já os minicactos a cada 4 dias.

No inverno, os cactos mais velhos devem receber água a cada 12 dias e os jovens a cada 8 dias.

Toda a terra ao redor deverá ser molhada, porém, não encharcada.

Permita que a água seja absorvida antes de adicionar mais água.



Terra e fertilizante no cultivo de cactos

A mistura de terra indicada para o cultivo de cactos pode ser obtida misturando partes iguais de boa terra para plantas caseiras e areia.

Para fertilizar, recomenda-se, substituir mensalmente a água da rega por um fertilizante líquido básico para plantas verdes diluído na

proporção indicada pelo fabricante.



Plantio de Cactos

Os cactos devem ser replantados quando o recipiente (vaso) estiver pequeno demais para a planta, lembrando que a mistura de terra do novo vaso deve conter areia e terra vegetal

para garantir a boa drenagem.

Uma boa dica para a retirada do cactos do vaso antigo, é usar folhas de jornal dobradas várias vezes, em forma de tira, para envolver o cacto e desprender suas raízes com a outra

mão, sem forçar muito, para não quebrar a planta.

Depois de solto, é só encaixar o cacto no novo recipiente.



Qualquer dúvida que queira esclarecer, por favor, comente este “post” e, em assim que possível responderemos.
•SIGNIFICADO DAS ORQUÍDEAS


•HABITAT

•EPÍFITAS

•TERRESTRES

•PLANTIO

•REGRAS PARA O PLANTIO

•OBSERVAÇÕES

•TEMPERATURA

•ÁGUA E UMIDADE

•LUMINOSIDADE

•ADUBAÇÃO

•PRAGAS E DOENÇAS

•QUANDO PLANTAR E REPLANTAR

•FLORAÇÃO







SIGNIFICADO DAS ORQUÍDEAS



Com um grande número de variedades, são conhecidas por sua beleza delicada e seu caráter exótico.

As orquídeas possuem uma história intricada e interessante, os significados das orquídeas incluem o amor, a beleza, o luxo, e a força.

As orquídeas são particularmente um tipo elegante de flor, fazendo lhes o presente perfeito para muitas ocasiões. Sua aparência graciosa extrai a atenção imediata, e por ser uma flor exótica e incomum, invoca um sentido de refinamento e do inocência.

Como existem muitas variedades de orquídeas à escolher, você sempre encontrará uma planta que expresse a mensagem exata, seja para agradecer alguém, um Feliz Aniverário, Promoções, Nascimento de uma Criança, no Romance, Presente para Homens, Presente para a Namorada entre outros.



Embora sejam catalogadas geralmente como flores tropicais, as orquídeas crescem naturalmente em quase todo o tipo de clima. Apesar de sua versatilidade, há algo distintamente exótico sobre as orquídeas, são, segundo especialistas, consideradas uma das flores mais evoluídas do mundo, pela distinção sexual e beleza. Das muitas variedades de orquídeas, as mais comuns são a Phalaenopsis, Cymbidium e Dendrobium e são as mais produzidas.



As orquídeas podem fornecer uma grande variedade de mensagens, porém, historicamente, as orquídeas incluem riqueza, amor e beleza. Para os Gregos antigos, as orquídeas significava virilidade, e depois da ascenção e popularidade das espécies de orquídeas na Inglaterra, o significado simbólico passou a ser “Luxo” .

Historicamente, as orquídeas também carregavam propriedades protetoras e cura de doenças. Os Astecas bebiam uma mistura de orquídeas com chocolate de vanilla para dar-lhes o poder e força, já os Chineses mastigavam o sulco das flores porque acreditavam que os curaria de doenças pulmonares.



Hoje, os significados principais das orquídeas são o simbolismo à beleza rara e a delicadeza de seus encantos e misticismo que encantam os que recebem, e poucas são as flores capazes de exprimir estes sentimentos.





A orquídea pertence a uma família de plantas, subdividida em cerca de 1.800 gêneros e a cada gênero de uma a centena de espécies. O número total de espécies oscila em torno de 35.000, espalhadas pelos quatro cantos do mundo. O gênero Isabelia, por exemplo, possui uma única espécie. O gênero Cattleya possui cerca de 70 espécies. E o gênero Bulbophylum tem mais de mil espécies. As orquídeas mais populares são dos gênero ( C ) Cattleya, ( L ) Laelia ( lê-se Lélia ) , (Onc.) Oncidium ( uma das espécies é conhecida como Chuva de Ouro ), ( Milt ) Miltonia, ( Den.) Dendrobium, ( V ) Vandas, ( Phal ) Phalaenopsis ( lê-se Falenópsis ), ( Phap ) Paphiopedilum ( conhecida como sapatinho), até as mais exóticas como a chamada Orquídea Negra.



HABITAT

De acordo com o lugar de origem, as orquídeas são classificadas como Epífitas, Terrestres ou Rupículas.



EPÍFITAS

São a maior parte das orquídeas. Vivem grudadas em troncos de árvores, mas não são parasitas, pois realizam a fotossíntese a partir de nutrientes absorvidos pelo ar e pela chuva. Portanto, ao contrário do que se pensa, não sugam a seiva da árvore.



TERRESTRES

São as que vivem como plantas comuns na terra. RUPÍCULAS são as que vivem sobre rochas.



PLANTIO

A maior parte das orquídeas pode ser plantada em vasos de barro ou plástico, cujo tamanho deve ser o menor possível.

v aso grande pode reter demais a umidade, causando apodrecimento das raízes.



REGRAS PARA O PLANTIO

1 - Coloque uma camada de pedra no fundo do vaso ( 2 a 3 dedos) para permitir a rápida drenagem do excesso de água.



2 - Complemente com xaxim desfibrado . Se houver pó, jogue o xaxim num balde com água para dispersar o pó . Jamais use o” pó de xaxim” vendido no comércio. As raízes necessitam de arejamento.



3 - Deixe a traseira encostada na beira do vaso e espaço na frente para dar lugar a novos brotos. Comprima bem o xaxim para firmar a planta. Se necessário, coloque uma estaca para melhor sustentação.



OBSERVAÇÕES

Há orquídeas que dificilmente se adaptam dentro de vasos. Nesse caso, o ideal é plantas em tronco de árvore ou casca de peroba ou palito de xaxim, protegendo as raízes com um plástico até a sua adaptação. Alguns exemplos dessas espécies são: C. walkeriana, C. schilleriana, C. aclandiae, a maioria dos Oncidiuns, Leptotes, Capanemias.



Orquídeas monopodiais, como Vandas, Rhynchostylis, Ascocentrum devem ser colocadas em um vaso SEM NENHUM SUBSTRATO e exigem um cuidado especial todos os dias. Deve-se molhar não só as raízes mas também as folhas com água adubada bem diluída. Por exemplo, se a bula de um litro de água, ao invés de um litro, dilua em 20 litros ou mais de água e borrife, a cada duas ou três horas, principalmente em dias quentes e secos. Você pode perder a paciência, mas não a planta . Como são plantas que exigem alta umidade relativa, pode-se, por ex.,usar um recipiente bem largo, como uma tina furada, encher de pedra britada e colocar o vaso sobre as mesmas, de modo que as pedras molhadas pela rega, assegurem a umidade necessária . A água que incidiu sobre as pedras que estão no fundo do vaso estará evaporando, dando a umidade necessária para a planta toda. Não se esqueça de que tanto o recipiente como o vaso devem ter furos suficientes para a rápida drenagem do excesso de água.



TEMPERATURA

A maior parte se adapta bem a temperaturas entre 15 e 25 graus centígrados. Entretanto, há orquídeas que suportam temperaturas mais baixas, como Cymbidium, Odontoglossum, Miltônias colombianas, todas nativas de regiões elevadas. Outras já não toleram o frio. E o caso das orquídeas nativas dos pântanos da Amazônia, como. C. áurea, C. eldorado, C. violácea, Diacrium, Galeandra, Acaccalis. Assim, devemos cultivar orquídeas que se aclimatem no lugar em que vão ser cultivadas. Caso contrário, o fracasso é certo Felizmente, em São Paulo, a variação de temperatura é milhares de espécies, embora algumas se adaptem melhor no plantio que no litoral e vice versa.



ÁGUA E UMIDADE

A umidade relativa do ar ( quantidade de vapor d’água existente na atmosfera) nunca deve estar abaixo de 30%, caso contrário, as plantas se desidratarão rapidamente. Em dias quentes, a umidade relativa do ar é menor , por isso é necessário manter o ambiente úmido e molhar não apenas a planta, mas também o próprio ambiente. Num jardim, com muitas plantas e solo de terra a umidade relativa é bem maior do que numa área sem plantas com piso de cimento.

OBSERVAÇÃO: Nunca molhe as orquideas quando as folhas estiverem quentes e pela incidência de luz solar. Molhe pela manhã ou fim da tarde, quando o sol estiver no horizonte.Se precisar molhar durante o dia, espere uma nuvem cobri o sol por cerca de 10 minutos para que as folhas esfriem . Somente, então, borrife as folhas, pois umedecê-las é extremamente benéfico. Mas não encharque o vaso, pois as raízes podem apodrecer.



LUMINOSIDADE

O ideal e manter as plantas sob uma tela SOMBRITE de 50%. Assim elas receberão claridade em luz difusa suficiente para realizarem a sua função vital que é a fotossíntese. Se as folhas estiverem com cor verde garrafa, é sinal que estão precisando de mais luz. E se estiverem com uma cor amarelada, estão com excesso de luz. Existem orquídeas que exigem mais sombra: é o caso das microorquídeas, Paphiopedilum, Miltônias colombianas. Há outras que exigem sol direto, como a Vanda teres e Renanthera coccinea que se estiverem sob uma tela, poderão crescer vigorosamente, mas dificilmente darão flor. Há outras que também exigem sol direto como C., warscewiczii, C. percivaliana, C. lueddemanniana, Cyrtopodium pelas simples razão de ser esse o modo como vivem nativamente.



ADUBAÇÃO

As orquídeas necessitam de alimento como qualquer outra planta. Quanto o adubo for líquido, dilua um mililitro ( é igual a um centímetro cúbico) em um litro d’água. Uma seringa de injeção é um medidor prático. Quando for sólido,mas solúvel em água, dilua uma colher de chá em um litro de água numa frequência de uma vez por semana. Essas soluções podem atuar como adubo foliar, mas nunca aplique durante o dia , pois os estômatos ( minúsculas válvulas) estão fechados. Faça-o de manhã, antes do sol nascer, ou no fim da tarde, molhando os dois lados das folhas ( o número de estômatos é maior na parte de baixo das folhas). Concentração de adubo menor do que a indicada acima ou pelo fabricante nunca é prejudicial. Se diluir o adubo citado acima ( um mililitro ou um grama ) em 20 litros de água ( ou mais) e com ela borrifar diariamente as plantas , você pode obter excelentes resultados. Corresponde a um tratamento homeopático. Dosagem maior que a indicada funciona como veneno e pode até matar a planta. Se o adubo for sólido, insolúvel na água, deve ser pulverizado diretamente no vaso, numa média de uma a duas colheres de chá , dependendo do tamanho do tamanho do vaso, uma vez por mês. Cuidado para não jogar diretamente sobre as raízes expostas.



PRAGAS E DOENÇAS

Plantas bem cultivadas,isto é, com bom arejamento, boa iluminação, num local de alta umidade relativa e bem alimentadas, dificilmente estão sujeitas a pragas e doenças . Falta de arejamento e de iluminação podem ocasionar o aparecimento de pulgões e cochonilhas ( parece pó branco ) podem ser eliminados por catação manual ou com o uso de escova de dentes molhada com caldo de fumo. Planta encharcada pelo excesso de água ou submetida a chuvas prolongadas pode ser atacada por fungos e/ou bactérias, causando manchas nas folhas e/ou apodrecimento de brotos novos. No comércio existem muitos tipos de fungicidas e inseticidas, mas o manuseio requer cuidados especiais, pois são tóxicos para o ser humano e para outros seres vivos. Deixamos aqui a velha receita caseira do caldo de fumo que não é nocivo e é fácil de preparar. Ferva 100 g de fumo de rolo picado em um litro e meio de água, acrescente uma colher de chá de sabão de côco em pó e borrife as plantas infectadas.



QUANDO PLANTAR E REPLANTAR

O Plantio deve ser feito quando a planta estiver emitindo raízes novas, o que se percebe pelas pontas verdes, não importando a época, inverno ou verão. Quando for dividir a planta, a muda deve ter no mínimo três bulbos, tendo-se o cuidado de não machucar as raízes vivas, o que se consegue molhando-as, pois ficam mais maleáveis. Sempre flambeie com uma chama ( de um isqueiro, por ex.) o instrumento que vai usar para dividir a planta por vírus. No caso de orquídeas monopodiais, como Vanda, Renanthera, Rynchostylis e outras, que soltam mudas novas pelas laterais, devem-se esperar que emitam pelo menos duas raízes,para,então separar da planta mãe.



FLORAÇÃO

De um modo geral, cada espécie tem sua época de floração que é uma vez por ano. Convém marcar a época de floração que é uma vez por ano. Convém marcar a época de floração de cada espécie, pois, se não florescer nessa época, é porque há algo errado com a planta. Por ex., em Janeiro , temos a floração da C. granulosa, C. bicolor, C. guttata. Em abril , temos a C. violácea, C. luteola, L. perrine, C. bowringiana. Em Novembro temos C.warneri, L. purpurata, C. gaskeliana. Existem orquídeas, como certas Vandas, que , bem tratadas, chegam a florir duas a três vezes por ano . O mesmo ocorre com híbridos cujos pais têm épocas diferentes de floração.
Orquídea plantada:


Arrasador. Orquídea Cattleya lilás plantada, que acompanha fina base de cerâmica branca adornada com musgo.

Tamanho: 42 x 25 cm
Os homens amam flores. Atualmente, o preconceito que “Flor não é pra macho” extinguiu-se, e homens podem e devem receber flores sem problemas. De fato, muitas pesquisas indicam que muitos homens apreciariam receber flores em seu aniversário ou outras ocasiões especiais.




As flores devem ser consideradas como um presente fino e, dependendo do arranjo ou bouquet , podem agradar ao pai, ao marido, ao namorado , ao amigo ou ao filho.



As flores mais apropriadas para os homens variam dos tradicionais lírios brancos, girassóis, calas, antúrios, helicônias e cravos aos exóticos cactos e belíssimas orquídeas.



Naturalmente, se você estiver enviando flores no aniversário de seu marido ou namorado as flores para homens mais apropriadas serão as rosas ou cravos vermelhos, simbolizando o amor e a paixão no relacionamento.



São muitas as flores que remetem carinho e atenção. Nestas ocasiões, são sugeridos arranjos bem coloridos com espécies nobres como os lisianthus, copo de leite, gérberas e girassóis ou espécies mais arrojadas como o cactos e bonsais ou ainda as elegantes, imponentes e variadas espécies de orquídeas.



Não obstante, seja um aniversário de um homem ou de uma mulher, filho ou filha, marido ou esposa, namorada ou namorado, as flores serão sempre um gesto inequívoco de elegância e carinho que será apreciado imensamente.



Levando-se em consideração as peculiaridades do universo masculino, uma linha de arranjos florais e presentes cheios de estilo e personalidade para se presentear o homem.mais lindo do mundo eu pedro,,,
Criar e cuidar de um jardim repleto de rosas coexiste em um significado especialmente místico


Após o plantio, em pouco tempo você se deparará com o florescimento maravilhoso e elegante das rosas, que permanecerão por um longo período florindo o seu jardim.



Pode a jardinagem com rosas ser uma tarefa fácil?

SIM, se você procurar um bom fornecedor de mudas e certificar-se se estão em bom aspecto.

As rosas são vendidas em uma variedade de cores e formas muito grandes, e atualmente a maioria das mudas de rosas são produzidas para ter uma boa resistência à doenças e fungos.



Como a maioria das outras flores, as rosas irão prosperar se você der o que elas querem:



1. Muito sol – No mínimo 6 horas de sol forte diariamente, menos horas de sol… menos flores.



2. Boa terra – bem drenada, capaz de prender a umidade e enriquecido com composto.



3. Cuidados extras – Regue bem em dias secos para mantê-las hidratadas, e, aplique fertilizantes específicos para rosas a cada 60 dias.



—————————————————–

Plantando rosas:





Mantenha as raizes das rosas úmidas antes de plantar. Uma boa idéia é embebê-las em um balde com água morna por uma hora antes de plantar. Escave um buraco grande o bastante para que caiba toda a extensão das raízes. Coloque o nódulo (uma área mais grossa do caule situada entre a raiz e os bastões) pelo menos 2 polegadas abaixo da linha do solo, e, por fim, preenha o buraco com terra úmida e enriquecida com composto.




Bouquet de acabamento rústico que explora a beleza única das rosas vermelhas . Contém 60 rosas . Impressionante demonstração de amor!

Tamanho: 45 x 38 cm

Para detalhes clique no link: rosas vermelhas



Cientificamente, as rosas pertencem à família Rosaceae e ao gênero Rosa, com mais de 100 espécies, e milhares de variedades, híbridos e cultivares. São arbustos ou trepadeiras, providos de acúleos. As folhas são simples, partidas em 5 ou 7 lóbulos de bordos denteados. As flores, na maior parte das vezes, são solitárias. Apresentam originalmente 5 pétalas, muitos estames e um ovário ínfero. Os frutos são pequenos, normalmente vermelhos, algumas vezes comestíveis.



Atualmente, as rosas cultivadas estão disponíveis em uma variedade imensa de formas, tanto no aspecto vegetativo como no aspecto floral. As flores, particularmente, sofreram modificações através de cruzamentos realizados ao longo dos séculos para que adquirissem suas características mais conhecidas: muitas pétalas, forte aroma e cores das mais variadas.



•1. Onde Plantar?

•2. Que tipo de solo é mais adequado?

•3. Como preparar o canteiro?

•4. Qual é o espaçamento que devemos deixar entre as mudas na hora do plantio?



•5. Qual é o período ideal para o plantio?

•6. Como devem ser as regas das roseiras?

•7. Qual é a adubação indicada para fortalecer e estimular a floração das roseiras?



•8. Quando deve ser feita a poda?

•9. Quais são os maiores inimigos das roseiras e como combatê-los?



•Bibliografia

•Rosas Vermelhas

1. Onde plantar?

De preferência, num local ensolarado e bem arejado. Para florescer bem e praticamente o ano todo, a roseira precisa de sol pleno, ou seja, pelo menos de 6 a 7 horas diárias de luz solar direta. Recomenda-se um local arejado, para evitar a o surgimento de fungos nas folhas e flores, especialmente em regiões chuvosas.



2. Que tipo de solo é mais adequado?

As roseiras podem se desenvolver bem em qualquer tipo de solo, mas é preferível garantir uma terra mais para argilosa, que tenha boa drenagem. O solo rico em húmus é especialmente benéfico para as rosas. Quanto ao pH, o índice ideal situa-se entre 6,5 e 7 (neutro). Em lojas de produtos para jardinagem, é possível adquirir kits para medir o pH do solo. Se for necessário fazer a correção, uma boa dica é a seguinte: a adição de 150g de calcário dolomítico por m2 de canteiro eleva em 1 ponto o índice de pH; por outro lado, 150g de sulfato de ferro por m2, diminui o pH em 1 ponto.



3. Como preparar o canteiro?

Cerca de uma semana antes de plantar as mudas, cave bem a terra até cerca de 40 cm de profundidade. Para cada m2 de canteiro, incorpore uma mistura de 15 Kg de esterco curtido de gado e 200g de farinha de ossos.



4. Qual é o espaçamento que devemos deixar entre as mudas na hora do plantio?

Existem vários tipos ou variedades de roseiras (silvestres, híbridas-de-chá, sempre-floridas, miniaturas, rasteiras, arbustivas, trepadeiras e cercas-vivas) e o espaçamento vai depender da variedade de rosa que estiver sendo plantada. É possível basear-se no seguinte:

· arbustivas: 1 metro entre as mudas

· trepadeiras: de 1 a 2 metros entre as mudas

· cercas-vivas: 50 a 80 cm entre as mudas

· híbridas-de-chá e sempre-floridas: 50 cm entre as mudas

· miniaturas: 20 a 30 cm entre as mudas

· rasteiras: 30 cm entre as mudas



5. Qual é o período ideal para o plantio?

Se o plantio for feito com mudas “envasadas” (normalmente vendidas em sacos plásticos), não há restrição para o plantio: pode ser feito em qualquer época do ano, mas os especialistas recomendam evitar os meses mais quentes, sempre que possível. Já para o plantio com mudas chamadas de “raiz nua”, o período mais indicado vai da segunda metade do outono à primeira metade da primavera.



6. Como devem ser as regas das roseiras?

Logo após o plantio das mudas e até a primeira floração, regue moderadamente, mas todos os dias. Depois disso, recomenda-se regar uma vez por semana no inverno e duas vezes por semana em época de seca. Na temporada de chuvas é possível até suspender as regas. Uma dica: a terra deve permanecer ligeiramente seca entre uma rega e outra.



7. Qual é a adubação indicada para fortalecer e estimular a floração das roseiras?

De preferência, deve-se fazer de 2 a 3 adubações anuais: a primeira logo após a poda anual (entre julho e agosto); a segunda entre novembro e dezembro e a terceira entre os meses de janeiro e fevereiro. A melhor adubação é a orgânica, baseada em esterco animal, composto orgânico, farinha de ossos e torta de mamona. As quantidades, para cada metro quadrado de canteiro, são as seguintes:

· 20 litros de esterco curtido ou 2 Kg de composto orgânico

· 200g de farinha de ossos

· 100g de torta de mamona

Espalhe a mistura em volta das plantas e incorpore-a ao solo.



8. Quando deve ser feita a poda?

A primeira poda deve ser feita cerca de um ano após o plantio e repetida todos os anos, entre os meses de julho e agosto. Saiba mais, lendo a matéria “Poda das Roseiras”.



9. Quais são os maiores inimigos das roseiras e como combatê-los?

As pragas e as doenças são grandes inimigas das roseiras.



BIBLIOGRAFIA
Lírios - espécies


Nomes Populares - Lírios

Lírio Oriental, Lírio Vistoso, Lírio Asiático, Lírio Amarelo, Hemerocale, Lírio São José, Lírio Casablanca, Lírio da Paz, Bandeira Branca, Lírio da Ressurreição, Lírio da Anunciação, Estrela da Anunciação, Estrela d’Alva, Estrela de Belém, Lírioquinzenal, Falso Íris, Pseudo Íris Azul, Lírioroxo das Pedreiras, DIETES Lírio-Trepadeira.



Existem mais de 100 espécies do gênero Lilium, inclusive:

Lírios amabile

Lírios auratum

Lírios bulbiferum

Lírios canadense

Lírios candidum

Lírios chalcedonicum

Lírios concolor

Lírios henryi

Lírios humboldtii

Lírios lancifolium

Lírios longiflorum

Lírios martagon

Lírios michiganense

Lírios nepalense

Lírios pardalinum

Lírios pumilum

Lírios regale

Lírios speciosum



Essas variedades apresentam plantas rústicas que exigem poucos cuidados.

O lírio é o nome das flores do género Lilium da família Liliaceae, Zingiberáceas e Amarilidáceas. Elas se caracterizam por serem bulbosas perenes anuais ou herbáceas de porte médio perene. São cultivadas para bordaduras e maciços, além de vasos e forrações de cercas e grades. Tem sua origem na China, Japão, Tailândia e Turquia, no continente asiático, Venezuela, Colômbia e Brasil no continente sul-americano, e também Europa. Podem apresentar alturas variadas como 15, 30, 35, 40, 50, 60, 70, 80 e 90 centímetros, ou até 1,2 e 1,5 metro. Propaga-se quase o ano inteiro ou na primavera, dependendo da variedade. O método mais utilizado para a propagação é a divisão de Couceiras.



As flores de lírios são agrupadas em hastes florais ou isoladas. Florescem no verão ou em outros períodos como o inverno e primavera ou primavera e verão. As cores dessas flores são laranja, rosa, amarelo, cor-de-creme, branco e violeta. Elas exalam perfume agradável, porém em curta durabilidade, durando entre 1 e 15 dias apenas. São utilizadas para arranjos florais. Tipo da folha do lírio é linear.



Ambiente e Cultivo

Os lírios são plantados em jardins. Gostam de climas como o ameno e o quente e úmido, não tolerando geadas. O solo ideal é o arenoso ou argiloso, ambos ricos em matéria orgânica. Precisam ser regadas de duas a três vezes por semana nos meses quentes e uma vez por semana nas épocas frias. Essas plantas gostam de meia-sombra, mas precisam de muita luz no verão, apesar de não suportarem sol direto entre 10 e 17 horas. Outras variedades gostam de sol pleno em locais frios e meia-sombra em regiões mais quentes. É bom podar apenas os ramos secos, doentes ou malformados.



Adubação

Adubar uma vez por ano com farinha de osso, farinha de peixe ou torta de algodão. Usar fosforita, superfosfato e termofosfato ou NPK rico em P.



Males

Essas plantas estão sujeitas a doenças de origem fúngica.



Lírio do Amazonas

Eucharis, grandiflora, Eucharis amazônica

O Lírio do Amazonas, também conhecida como Estrela Dalva, Estrela de Belém e Estrela da Anunciação, é uma planta bulbosa florífera perene da família das Amarilidáceas, largamente cultivada no mundo inteiro. Suas flores são brancas, elas exalam suave perfume, tem seis pétalas,seis estames e um estigma. As espécies mais cultivadas são: Eucharis amazonica e Eucharis x grandiflora.



Dimensões

O lírio-do-amazonas é uma planta com boas dimensões. Conhecida também como estrela-dalva, estrela-de-belém e estrela-da-anunciação, a Eucharis grandiflora apresenta bulbos arredondados, que podem medir até 6 cm de diâmetro. As folhas são grandes (podem chegar a 40 cm de comprimento) e as flores - brancas e perfumadas - surgem em racemos de 3 a 6 unidades. Cada flor mede em torno de 10 cm de diâmetro com as 6 pétalas distribuídas em formato de estrela. Pendentes, as flores surgem numa haste floral que alcança até 70 cm de altura.



Cultivo

A planta vai bem em locais bem iluminados e com boa ventilação. Ela precisa de muita claridade, mas não gosta de luz solar direta, especialmente nos dias quentes de verão. Plantada em vasos, ela pode ser levada para ambientes internos bem iluminados. No jardim, os melhores locais são os canteiros sombreados, onde pode fazer belas combinações com folhagens baixas e forrações. Sob a copa das árvores, o lírio-do-amazonas pode formar belas bordaduras.

No plantio, coloque os bulbos num espaçamento de 40 a 50 cm entre eles. Não se deve cobri-los demais com terra. Uma leve e fina camada de terra é o suficiente. Depois, pressione o substrato delicadamente ao redor dos bulbos, para firmá-lo bem. Se o plantio for feito em vasos (com pelo menos 20 cm de diâmetro), dá para plantar de 3 a 4 bulbos.



Solo

O solo argilo-arenoso e rico em matéria orgânica é o mais indicado. Uma boa mistura: 2 partes de terra argilosa, 1 parte de composto orgânico e 1 parte de areia. Para estimular crescimento e floração, pode-se acrescentar farinha de ossos à mistura.

E o plantio…



Regas

Evitar regas em demasia, pois podem provocar o apodrecimento dos bulbos. Quando surgir a haste floral, recomenda-se aplicar um fertilizante líquido até as flores iniciarem a abertura, lembrando de seguir as orientações do fabricante quanto à quantidade e diluição.



Reprodução

O lírio-do-amazonas se propaga pela divisão dos bulbos mais velhos. O processo geralmente é feito no período que vai do final do inverno ao início da primavera. Primeiro retira-se as plantas dos canteiros ou dos vasos. Com muito cuidado, deve-se lavar os bulbos para remover a terra. Só então, faz-se a separação dos bulbos, evitando quebrá-los, pois eles podem demorar muito tempo para se recuperarem e iniciar a brotação.



Lírio Tigrado

Em interiores poucas plantas floríferas ficam tão vistosas como o lírio-tigrado, que produz uma quantidade de flores comparável à das espécies de jardim. São flores muito originais, nas cores branco, laranja e amarelo sempre com pintinhas pretas. Para que este lírio fique ainda mais viçoso, leve o vaso para o jardim logo após a floração e enterre-o no chão. Qunado recomeçar a florir, retire o vaso, coloque-o num cachepó e torne a levá-lo para dentro de casa.

Luz: Alta intensidade luminosa, perto de uma janela de face norte ou leste.

Temperatura: 15 a 29o.C, tolerando até 2o.C.

Água: Espere o solo do vaso secar antes de regar novamente.

Adubação: A cada mês.

Propagação: Bulbos.

Cuidados especiais: Replante anualmente, numa mistura contendo 30% de matéria orgânica.

Problemas Comuns: Se os botões ou as flores começarem a cair, aumente a umidade. Cuidado com os pulgões nos brotos.



Significado das Flores

Lírios Amarelos : Estou andando nas nuvens.

Lírios Brancos : Virgindade, pureza, beleza, é um paraíso estar com você.

Lírios Callas : Beleza

Lírios Dia : Símbolo chinês que significa “ mãe”

Lírios Eucharis : Mulher fascinante

Lírios Laranja : Aversão

Lírios Tigrado : Saúde, orgulho

Lírios do Vale : Doçura, retorno à alegria, humildade, você completa minha vida

quarta-feira, 16 de dezembro de 2009

BONSAI,ESTA Ê UMA AMOREIRA COM IDADE DE UM ANO AMORA NEGRA Deve ser cultivada sob sol pleno, em solo fértil, profundo, drenável, enriquecido com matéria orgânica e irrigado regularmente no primeiro ano de implantação. Apesar de ser originária de clima temperado, a amoreira se adapta bem ao clima tropical e subtropical. Adubações anuais com esterco de curral curtido e podas de limpeza estimulam frutificações abundantes. Não tolera estiagem prolongada ou ventos fortes. Multiplica-se por sementes e enxertia, mas principalmente por estaquia e mergulhia dos ramos.












Medicinal



Indicações: Afecções da boca e garganta, assim como problemas de estomago e intestino.



Propriedades: Anitinflamatória, adstringente, antioxidante, cicatrizante, espectorante, emoliente e diurética.



Partes usadas: Folhas, frutos e casca.

segunda-feira, 14 de dezembro de 2009

EU SO O QUE SO GOSTARIA DE COMPRA BONSAI DES DA SEMENTE PARA, SUA IMAGINASÂO

FRUTIFERA BONSAI, CEREJERA 5 ANOS LINDA, VOCES GOSTARIA DE COMPRA UMA???
LINDA DEZ ANOS DE VIDAS BONSAI
BONSAI, ARVORES FRUTIFERAS Ê A, PITANGUERA  MINHA QUARTA ARVORES..CUTIVADA DES DA SEMENTE PRESTEN ATENSÂO NAIS RAIZ ESPOSTAS,,ELA SÔ TEM UM ANO DE IDADE!!!!!,
jabuticaba ,,,bonsai,, frutifera
SO,OS PROFISIONAS SABEM, FAZER UM BONSAI ESTE FOI A PRIMERA BONSAI FRUTIFERA CUTIVADA DES.. DA SEMENTE!!!
Nome Científico: Thunbergia alata


Nome Popular: Amarelinha, olho-preto, suzana-dos-olhos-negros, cipó-africano, bunda-de-negro, maria-sem-vergonha, jasmim-da-itália, bunda-de-mulata, olho-de-poeta, cu-de-cachorro, carólia, jasmim-sombra, erva-cabrita, erva-de-cabrita

Família: Acanthaceae

Divisão: Angiospermae

Origem: África do Sul

Ciclo de Vida: Perene

Esta trepadeira, apesar de ser perene, pode ser utilizada como anual. É rústica e apresenta caule volúvel de crescimento rápido. Suas flores são amarelas, com o centro preto, muito ornamentais, porém há variedades de flores de coloração branca, rósea, vermelha, creme e laranja e uma variedade de flores completamente amarela.



Suas folhas são pecioladas sagitadas, com alguns recortes pouco profundos. No paisagismo, é bastante utilizada para cobrir rapidamente cercas, treliças e pergolados, assim como esconder estruturas e objetos indesejados. Devido ao potencial invasivo é considerada planta daninha em determinadas situações.



Deve ser cultivada a pleno sol e não é muito exigente quanto ao solo, devendo ser fertilizada com fontes de fósforo e potássio para uma intensa floração. Tolera a salinidade e não tolera geadas. Não necessita tutoramento. Multiplica-se por sementes.
Nome Científico: Cosmos bipinnatus


Nome Popular: Cosmos, Cosméa, Cosmo, Beijo-de-moça, Picão-rosa, Cosmos-de-jardim

Família: Asteraceae

Divisão: Angiospermae

Origem: México

Ciclo de Vida: Anual

O Cosmos é uma planta herbácea, anual, de flores vistosas e fácil de cultivar. Ele é ereto, ramificado e com porte arbustivo, alcançando de 0,5 a 2 metros de altura de acordo com a variedade e o modo de cultivo. Suas folhas são opostas, pinadas, finamente divididas em segmentos lineares e filiformes, que dão um aspecto plumoso à folhagem. A inflorescência pode ser simples ou dobrada, e é do tipo capítulo, com numerosas flores diminutas formando o disco central amarelo e pétalas periféricas com extremidades denteadas. As pétalas podem ser róseas, brancas, vermelhas ou roxas, em cores lisas ou em degradeés destas cores, de acordo com a cultivar.



No jardim, o cosmos é ideal para a formação de densos maciços e bordaduras, que conferem um ar campestre à paisagem. Ao contrário da maioria das plantas ornamentais, o cosmos é uma planta muito rústica e floresce com mais abundância se receber pouca ou nenhuma adubação nitrogenada, por este motivo é ideal para solos pobres e jardineiros iniciantes. Suas inflorescências também podem ser aproveitadas como flor-de-corte, em arranjos e buquês e são muito atrativas para borboletas. Por sua facilidade de propagação, o cosmos pode escapar ao cultivo e tornar-se invasora em determinadas situações.



Deve ser cultivado sob sol pleno ou meia sombra, em solos pobres a moderadamente férteis, drenáveis e irrigados regularmente. Fertilizações com farinha de ossos, cinzas e outros adubos relativamente pobres em nitrogênio podem ser utilizados. Aprecia o calor, mas tolera o frio moderado, podendo ser cultivada em clima tropical ou subtropical o ano todo. Em países de clima temperado, deve ser plantada após a última geada ou em estufas, na primavera. Multiplica-se por sementes, que germinam em 8 a 14 dias.
Nome Científico: Morus nigra


Nome Popular: Amoreira-negra, Amora-preta, Amora-negra, Amoreira-preta, Amoreira, Amora, Amoreira-do-bicho-da-seda

Família: Moraceae

Divisão: Angiospermae

Origem: Ásia

Ciclo de Vida: Perene

A amoreira é um árvore decídua, cujo fruto, a amora, é apreciado no mundo todo. Seu porte é médio, alcançando de 4 a 12 metros de altura. As folhas são simples, ovadas a cordiformes, cartáceas, de margens serrilhadas ou dentadas e recobertas por uma pilosidade que as torna ásperas ao toque. As mudas podem apresentar folhas lobadas. As inflorescências surgem no final do inverno e são do tipo espiga, pendentes, onde se reúnem flores brancas minúsculas. Os frutos são pequenos aquênios, carnosos e negros quando maduros, reunidos em infrutêscências.



Apesar de ser frutífera, a amoreira não deixa de ser ornamental. Sua copa é ampla, fornecendo sombra fresca no verão e permitindo a passagem de luz no inverno, com a queda das folhas. É perfeita para pequenos pomares domésticos, pois é rústica e não necessita de cuidados especiais para frutificar em abundância. O plantio dessa espécie só não é recomendado para arborização ao longo de ruas e avenidas, assim como estacionamentos, pois a queda do frutos e folhas suja os automóveis e o chão. Por ser facilmente dispersada pelos pássaros, a amoreira-negra pode se tornar invasiva em alguma situações.



Os frutos, ricos em vitamina C, fazem a alegria da criançada e dos passarinhos e ainda se prestam para saborosas geléias, vinhos e licores, assim como uma infinidade de sobremesas. Entre as amoreiras, a especie M. nigra é a que apresenta frutos mais doces, maiores e de sabor mais pronunciado. Suas folhas são utilizadas na alimentação do bicho-da-seda, embora a amoreira-branca (Morus alba) seja a preferida pelos criadores. Não deve ser confundida com as amoras arbustivas, pertencentes ao gênero Rubus, da família Rosaceae.



Deve ser cultivada sob sol pleno, em solo fértil, profundo, drenável, enriquecido com matéria orgânica e irrigado regularmente no primeiro ano de implantação. Apesar de ser originária de clima temperado, a amoreira se adapta bem ao clima tropical e subtropical. Adubações anuais com esterco de curral curtido e podas de limpeza estimulam frutificações abundantes. Não tolera estiagem prolongada ou ventos fortes. Multiplica-se por sementes e enxertia, mas principalmente por estaquia e mergulhia dos ramos.





Medicinal

Indicações: Afecções da boca e garganta, assim como problemas de estomago e intestino.

Propriedades: Anitinflamatória, adstringente, antioxidante, cicatrizante, espectorante, emoliente e diurética.

Partes usadas: Folhas, frutos e casca.
Nome Científico: Viola tricolor


Nome Popular: Amor-perfeito-dos-jardins, amor-perfeito, amor-perfeito-miniatura

Família: Violaceae

Divisão: Angiospermae

Origem: Ásia e Europa

Ciclo de Vida: Perene

O amor-perfeito-dos- jardins é uma versão em miniatura do amor-perfeito tradicional. Suas flores são pequenas e delicada, muito vistosas e têm o aspecto de "carinha". As cores e combinações são muitas e variam de amarelo, azul, roxo, branco, rosa e marrom. Apresenta ramagem verde-escura, macia e frágil. Esta espécie de amor-perfeito é também mais rústica que a tradicional e pode compor belos maciços, canteiros e jardineiras no inverno, enquanto outras plantas estão sem flores ou dormentes.



Deve ser cultivada sempre a pleno sol, em solos ricos em matéria orgânica regados frequentemente. Sua multiplicação se dá por sementes. Embora seja perene, deve ser tratada como anual, pois perde a beleza com o tempo. Aprecia o frio e é resistente à geadas.
Nome Científico: Allamanda cathartica


Sinonímia: Allamanda herndersonii

Nome Popular: Alamanda, dedal-de-dama, carolina, alamanda-amarela

Família: Apocynaceae

Divisão: Angiospermae

Origem: Brasil

Ciclo de Vida: Perene

Trepadeira bastante conhecida e utilizada no paisagismo no Brasil. A alamanda apresenta vistosas flores amarelo-ouro, praticamente o ano inteiro. A folhagem também é bastante ornamental, composta de folhas verdes e brilhantes. É considerada planta tóxica e por este motivo deve-se mantê-la longe do alcance de crianças pequenas e filhotes de cães.



Deve ser cultivada a pleno sol, em solo fértil e com regas regulares. É perfeita para cobrir pérgolas, muros e caramanchões, mas deve ser tutorada inicialmente. Devido ao peso da ramagem vigorosa, deve-se evitar seu uso em treliças e cercas mais frágeis. Seu crescimento é moderado. Adapta-se a todos os estados brasileiros, mas prefere o calor. Multiplica-se por sementes e por estaquia.
plantei para minha sogra,Nome Científico: Ophipogon jaburan


Sinonímia: Flueggea jaburan, Slateria jaburan, Liriope gigantea

Nome Popular: Barba-de-serpente, Ofiopogo, Ofiopógão

Família: Ruscaceae

Divisão: Angiospermae

Origem: Japão

Ciclo de Vida: Perene

A barba-de-serpente é uma planta herbácea, perene, estolonífera e de folhagem ornamental, semelhante a uma gramínea. Ela cresce em tufos (touceiras) baixos, de 20 a 40 cm de altura, e apresenta folhas longas e estreitas como fitas, coriáceas, glabras e recurvadas. A forma típica é de cor verde escura, mas a forma mais difundida e ornamental é a variegada, de folhas com estrias branco-creme ou amarelo-pálido. As inflorescências surgem no verão, em espigas com flores delicadas, em forma de sino, brancas ou arroxeadas. Apesar de bonitas, as flores são pequenas e acabam tendo importância ornamental secundária. Após a floração pode formar belos frutinhos do tipo baga, oblongos, de cor violácea a azul.



No paisagismo, a barba-de-serpente presta-se como excelente forração, em locais ensolarados ou semi-sombreados como sob a copa das árvores por exemplo. Ela também pode ser utilizada como bordadura, indicando caminhos e demarcando canteiros. O aspecto recurvado e pendente de suas folhas a torna uma planta para ser apreciada em vasos e jardineiras, adornando pátios e varandas. As espigas com os frutos arroxeados podem ser colhidas para compor belos arranjos florais com outras espécies.



Deve ser cultivada sob sol pleno ou meia-sombra, em solo fértil, bem drenável, leve, enriquecido com matéria orgânica e irrigado regularmente. Tolera geadas e o frio do inverno subtropical. Rústica, é pouco exigente em manutenção. Fertilizações bienais com matéria orgânica e divisões das touceiras estimulam o desenvolvimento e floração da planta. Não necessita podas. Pode ser plantada em regiões litorâneas. Multiplica-se por divisão das touceiras ou mais raramente por sementes.

terça-feira, 8 de dezembro de 2009

VISÂO ARTISTICA DO OPOSITOR BR-50...FX 02, PODERIA, VIRÁ.. FX 03,COM  UMA. TECNOLOGIA DE QUINTA GERAÇAO DO OPOSITOR Ê A  FALTA DE CELEBRO NO BRASIL DO PODER PARALELO ... ENTRE A TECNLOGIA  REVERSSA QUE A EMBRAER QUER DO RAFALE..QUE COLOCARIA O BRASIL EM VANTAGEM NA AMERICA LATINA SO FALTA OS BURROCRATAS DO PODER DE CLASSIFICACÃO  A TECNOLOGIA QUE TEM ,OS F18 OU SAAB GREPE .... SO QUE OS SU-35 ESTA NO PÁRIO NA CONCORRÊNCIA POR FORA A INPRENSSA NÂO FOI ENFORMADA...PORQUE É SECRETO OS ACORDO MILITAR DO BRASIL COM A RUSSIA.
OPOSITOR VISTO DO AUTO VISÂO, ARTISTICA DO MAIS PODEROSO CAÇA OPOSITOR EM LATIM Ê DIABLO
OPOSITOR BR-50 VOU DE A RASTO SOBRE A CIDADE DE OSASCO
MORCEGO NEGRO-BR-55 VANT DE, COMBATE OU CAÇA DE QUINTA GERAÇÂO DA... FAB...PROJETO PROPRIO

segunda-feira, 7 de dezembro de 2009

su-35 da FAB
Projeto F-X2


Entrevista com Anatoly Isaikin

Diretor General da EEFU "Rosoboronexport"

sobre o Projeto F-X2



É conhecido que no fim de Outubro o Brasil vai anunciar o resultado do Projeto F-X2. Quais os seus comentários?



Sabemos que no fim de Outubro deste ano é esperada a decisão sobre os resultados da licitação da Força Aérea Brasileira (FAB) dentro do Projeto F-X2 para substituição dos seus envelhecidos caças de vários tipos por um novo modelo de aeronave. É prevista dentro da licitação que até o ano 2015 (primeira etapa) sejam adquiridos 36 aeronaves multifuncão e na segunda etapa que vai até 2024 a produção conjunta no Brasil de mais 84 caças. De tal maneira a quantidade total dos aviões será 120 unidades.



Certamente que nós gostaríamos de vencer essa licitação. Por isso o caça Su-35, nossa super-aeronave russa foi proposta ao Brasil.



Mas na imprensa apareceu a informação de que Rússia não está participando nessa licitação. É isso assim?



Consideramos que somos os participantes legítimos dessa licitação. Dassault/França com Rafale F3, Boeing/EUA com F/A-18E/F Block II e a SAAB/Suécia com Gripen NG são os nossos concorrentes.







Como a proposta russa atende às exigências da licitação?



Recentemente Brasil adotou uma nova Estratégia Nacional da Defesa. O documento prevê que no caso de aquisição dos sistemas bélicos modernos o pais vendedor do armamento deve transferir tecnologia em várias áreas para permitir a consolidação da “Base Industrial de Defesa do Brasil”, assegurar a sua participação direta na execução do programa, envolvendo a capacitação de manutenção em qualquer nível da complexidade da aeronave e seus sistemas, a produção de todo o armamento envolvido, permitindo desta maneira independência de fontes estrangeiros.



Exatamente isso pode ser visto no processo seletivo adotado nos requisitos do Projeto F-X2. O volume e a profundidade da transferência tecnológica foram declarados pelo Brasil como fatores decisivos. Tomando isso em conta, nos preparamos e entregamos ao Ministério da Defesa do Brasil nossa proposta melhorada da cooperação tecnológica, que atendeu completamente aos requisitos brasileiros.



Nossa proposta contém um grande programa da transferência tecnológica que envolve o ciclo completo da manutenção e reparação da aeronave e seus sistemas no Brasil, incluindo a produção do Su-35 no Brasil. Simultaneamente nós declaramos que a transferência das várias tecnologias envolvidas somente pode ser limitada pela capacidade técnica e financeira das empresas receptoras brasileiras.



Nos temos ainda uma grande vantagem em relação aos nossos concorrentes, ou seja, a nossa experiência real da transferência tecnológica para produção das aeronaves Su-27 para China e Su-30 para Índia.



Além disso, depois das conversações realizadas no Brasil, ficou claro que hoje nós podemos cooperar com empresas brasileiras nestes tipos de projetos, como:



- integração da eletrônica de bordo brasileira unificada das aeronaves existentes e futuras da FAB (inclusive telas, sistemas de comunicação, sensores de bordo, computadores etc.) no Su-35;

- integração dos mísseis e foguetes de produção brasileira no Su-35.

Um pacote de programas de contrapartidas comerciais e indústriais (offset) também é parte da nossa proposta. O foco deles está na transferência tecnológica. Vale a pena mencionar que trabalhamos junto com empresas brasileiras para realização de programas similares como aqueles contidos no contrato para fornecimento das aeronaves com asa rotativa Mi-35M para a FAB. Essa é uma boa experiência para nós e para o Brasil.



Gostaria de acentuar mais um assunto. O Brasil e a Rússia são parceiros estratégicos. Este fato foi declarado pelos Presidentes dos nossos países. O projeto para fornecimento dos Su-35 poderia tornar-se como salto qualitativo no desenvolvimento das relações russo-brasileiras. Por isso a proposta da EFEU ROSOBORONEXPORT vem recebendo suporte do senhor Dmitry Medvedev, Presidente da Rússia.



Quais são as vantagens técnicas do Su-35?



Por suas características técnicas e operacionais o Su-35 supera significativamente todas as aeronaves apresentadas pelos nossos concorrentes.



Nosso caça é mais veloz (2400 km/h em altura de 11000m), tem maior relação empuxo/peso, tem quase duas vezes maior vantagem no alcance (3600 km sem tanques externos de combustível) em comparação com aeronaves francesas e suecas. O Gripen NG é equipado somente com uma turbina, um fator que diminui significativamente a segurança e a sobrevivência de aeronave no combate. Já F/A-18 possui menor teto de vôo.









Assim, o caça russo é mais adequado para o Brasil com seu vasto território e fronteiras terrestres e marítimas estendidas.



O Su-35 também apresenta superior eficácia de combate. O caça pode levar 8 toneladas de armamento, que é 1,5 vezes superior às do Rafale e do Gripen.



Fator importante é a conhecida característica supermanobrabilidade do Su-35 que drasticamente aumenta as possibilidades de sucesso em combate. Os aviões dos concorrentes não possuem essa característica superior.



A cabine do piloto do Su-35 está equipada com modernos meios de visualização da informação, fator que facilita muito o trabalho de pilotagem e permite ao piloto se concentrar exclusivamente no comprimento das tarefas de combate.



A aeronave russa é equipada com novo radar, que supera em 1.5–2 vezes os radares dos caças concorrentes, mesmo no que concerne ao alcance e outras características importantes.



É difícil acreditar, que com todas estas características positivas, permitem simultaneamente diminuir os gastos com a operação deste avião, influindo significativamente no baixo custo total do seu ciclo de vida. Ademais, com maior alcance da aeronave se precisa menos bases aéreas, bem como, com maior eficácia da aeronave em combate a FAB precisará menos aeronaves para o comprimento das missões.



Por estas qualidades o Su-35 entrou no serviço da Força Aérea Russa. Na última Feira Internacional MAKS-2009 ocorrida em agosto, em Moscou, a Empresa Sukhoi e Força Aérea Russa assinaram um contrato para o fornecimento de 48 Su-35.







Qual são outras vantagens da proposta Russa para o Brasil?



Um dos mais atrativos fatores é o preço das nossas aeronaves. Nossas análise e experiência em concorrência permanente com empresas da França, dos EUA e da Suécia indicam que em comparação com preços deles o preço russo é significativamente baixo. A Comissão Gerencial do Projeto F-X2 da FAB sabe bem desta diferença.



Então eu acredito que a nossa proposta atende às exigências brasileiras em todos os sentidos, por um custo total bastante atrativo. Foi isso que nós tivemos em conta durante de preparação da nossa proposta.



Pode contar brevemente a historia da cooperação técnico-militar entre o Brasil e a Rússia?



O Brasil conhece muito bem os armamentos russos. Ainda no ano de 1994 a Força Aérea Brasileira e Exército Brasileiro adquiriram sistemas portáteis antiaéreas de mísseis Igla de produção russa. A propósito, o Igla está em uso no Brasil até agora.



De 2003 até 2005 EFEU ROSOBORONEXPORT participou na licitação da FAB para aquisição de caças modernos e naquela altura teve grande chance de vencer. Pelas avaliações brasileiras o Su-35, por critérios técnicos era o mais favorável. Nossa proposta de offset também recebeu uma excelente avaliação. Mas, em 2005 esta licitação foi cancelada e agora renovada com requisitos diferentes para o Projeto F-X2.



O ano 2008 foi marcado com assinatura do maior contrato na historia da cooperação brasileiro-russa. Este não é simplesmente contrato para fornecimento dos modernos helicópteros de transporte e combate Mi-35M para FAB, mas também é o projeto da transferência tecnológica, treinamento dos pilotos e técnicos, inclusive os programas de offset. Agora a EFEU ROSOBORONEXPORT junto com JSC ROSTVERTOL e outras organizações russas estão trabalhando para realizá-lo.



Ministério da Defesa e as Forças Armadas do Brasil mostram cada vez mais interesse no material do emprego militar russo, tal como meios da defesa antiaérea, material aeronáutico, simuladores, material para o Exército, entre outros.

Arquivo do blog segurança nacional