segunda-feira, 21 de agosto de 2017

O "Outubro Vermelho" existiu?

Fazemos o nosso dever, mas há limites!", Gen. Villas Bôas, Comandante do Exército

Como seria o mundo sem armas nucleares?

"A nossa esquadra pode desaparecer em pouco tempo!", Almirante Eduardo Bacellar Leal Ferreira

As Forças Armadas podem colapsar a qualquer momento

domingo, 20 de agosto de 2017

REESTRUTURAÇAO - Força Aérea 100

Exército brasileiro exalta Fuzil IA2 7.62, fabricado com tecnologia 100% nacional (VÍDEOS)

Em vídeo postado nesta semana, o Exército brasileiro exaltou o novo Fuzil IA2 Calibre 7.62, de produção nacional e que está em fase de testes pela Indústria de Material Bélico do Brasil (IMBEL).
"Além de produzir o nosso novo Fuzil IA2 5.56, a IMBEL acaba de lançar o Fuzil e Carabina IA2 Calibre 7.62. #IndústriaNacionaldeDefesa #BrasilAcimadeTudo", postou o Exército.
IMBEL é também responsável pelo Fuzil IA2 5.56, que possui tecnologia 100% nacional. O armamento está sendo adotado pelas tropas brasileiras, em substituição ao Fuzil Automático Leve (FAL 7.62).
Ao custo de R$ 50 milhões, o projeto IA2 tem a sua fábrica de armas localizada em Itajubá, em Minas Gerais. Além de ser mais leve do que os fuzis do modelo FAL, os novos fuzis 5.56 e 7.62 possuem maior capacidade do carregador, fixação de acessórios e maior ergonomia do punho.De acordo com a IMBEL, os novos fuzis funcionam em regimes automático, semiautomático e de repetição, com a possibilidade de lançamento de granadas pelo bocal, com uma cadência de 600 tiros por minuto.
Os modelos IA2 5.56 já foram utilizados recentemente pelos militares brasileiros, como na segurança dos Jogos Olímpicos e Paralímpicos do Rio de Janeiro, em 2016. Os fuzis também vêm sendo empregados pelo 26º Contingente Brasileiro da Missão das Nações Unidas para Estabilização no Haiti (MINUSTAH), efetivo que encerrará a participação brasileira na missão de paz neste ano.

Arquivo do blog segurança nacional