Wikipedia

Resultados da pesquisa

domingo, 7 de setembro de 2014

SkyDrones anuncia novo VANT Zangão ao mercado brasileiro

Projetado e fabricado pela Skydrones, empresa Brasileira que atua no desenvolvimento deVeículos Aéreos Não Tripulados (VANTs ou Drones) desde 2008, o novo Zangão é uma plataforma aérea com sofisticada eletrônica embarcada que permite transportar diferentes sistemas de captura de imagens. De acordo com a SkyDrones, sua instrumentação e sistemas de controle permitem voos com alta estabilidade com reduzido tempo de treinamento operacional, alta capacidade de carga e grande confiabilidade.
As aplicações deste drone são em: monitoramento ambiental, inspeção de redes de transmissão, segurança pública e privada, mapeamento de áreas agrícolas, monitoramento de tráfego, monitoração de mineração, entre outras aplicações.
Seu design moderno e eficiente possibilita o transporte de diversos tipos de câmeras e sensores que geram imagens utilizadas para produzir mapas ortorretificados, mapas de terreno e superfície, nuvem de pontos 3D ou mapas NDVI para agricultura. Sensores infravermelhos podem ser utilizados para mapeamento e detecção de problemas em redes de distribuição de energia elétricaO Zangão V é o resultado de estudos e testes que começaram em 2011. Foram desenvolvidos 4 protótipos pela SkyDrones e foram testados 2 “Airframes” (corpo do avião) feitos por empresas chinesas. Segundo a empresa, todos estes testes possibilitaram coletar dados e experiências para chegar ao design e performance esperados pelo mercado consumidor profissional.
Segundo a SkyDrones, estes estudos levaram em conta as seguintes características:
• O Zangão foi projetado para ser lançado a mão ou por sistema de mini catapulta, facilitando a operação da decolagem;
• O bico (ou gancho da catapulta), por ser o elemento que entra em contato com o solo no pouso, pode ser facilmente substituído pelo usuário;
• A eficiência do projeto foi obtida por exemplos tirados da natureza e equipamentos militares de alta tecnologia;
• Gerando um perfil eficiente, baixa sensibilidade a rajadas de vento, baixo arrastro e muito econômico energeticamente;
• Cada detalhe foi cuidadosamente projetado e testado utilizando sistemas de CAD de última geração.O Zangão oferece um conjunto de vantagens tecnológicas que otimizam sua performance, tais como: Estabilização autônoma das atitudes em voo da plataforma obtido pelo sistema de controle embarcado; Decolagem por arremesso manual ou uso de mini catapulta permitindo uso em espaço restrito; Pouso automático de barriga por aproximação em baixa velocidade (pré estol); Programação de missão de voo para voar autonomamente até pontos pré-determinados (GPS), por computador; Comando de retorno autônomo para a base operacional; Baixo peso da plataforma e alto potencial de carregamento (sensores e câmeras embarcados); Possibilidade de uso de câmeras especiais, como infra vermelhas (IR), NIR e de alta resolução (HD) de foto (Sony Nex 7); Base de comando (em terra) com integração de dados de voo, captura de imagem e cartografia; Alta capacidade de customização para diferentes aplicações; Peças de reposição a pronta entrega.
A SkyDrones provê treinamento de piloto em sua base ou por empresa capacitada e homologada pela SkyDrones na base do cliente. Este treinamento é feito com parte teórica e prática conforme necessidades do cliente.
SEGURANÇA NACIONAL BOG.SNB 

Evento expõe inovações da indústria de Defesa Nacional


SEGURANÇA NACIONAL BLOG.SNB

BRASIL E ÁFRICA DO SUL VÃO UNIR BASES INDUSTRIAIS DE DEFESA PARA TER MAIOR COMPETITIVIDADE NO MERCADO INTERNACIONAL

No Brasil para participar da III Mostra BID-Brasil, o diretor-geral da Armaments Corporation of South Africa (ARMSCOR), empresa pública ligada ao departamento de Defesa da África do Sul, Trevor Raman (foto), lembrou da parceria entre os dois países no desenvolvimento de tecnologia para criação do míssel A-Darter. Segundo ele, diante do sucesso da empreitada, o próximo passo é fortalecer a cooperação e buscar a fabricação de produtos que sejam competitivos no mercado mundial.
“Esse projeto foi desafiador para os dois países porque, com ele, vimos até onde temos a capacidade de chegar. Agora, precisamos unir nossas bases de pesquisa tecnológica para conseguir inserir este e outros produtos no mercado, não só para Brasil e África, mas para o resto do mundo”, disse.
Durante a palestra “Brasil-África do Sul: Oportunidades de Parcerias de Desenvolvimento Tecnológico”, o diretor da Armscor lembrou da importância desse tipo de cooperação.
“Quando você desenvolve produtos complexos, é preciso entender que é impossível fazer tudo sozinho. Por isso, é importante que dois países, com boas possibilidades, se unam e possam um complementar ao outro. Assim se tornarão mais fortes”, analisou.
O chefe do Departamento de Ciência e Tecnologia Industrial do Ministério da Defesa, general Aderico Mattioli, ressaltou que, nos últimos anos, o setor de inovação tecnológica da África do Sul, assim como o do Brasil, vem crescendo de forma contundente. No entanto, os dois países enfrentam certa dificuldade em transformar em produtos de mercado as tecnologias desenvolvidas no meio acadêmico, já que os países desenvolvidos costumam dominar o setor, sem abrir espaço aos demais.
Por isso, destaca o general, é tão importante fomentar cooperações como essa com a África do Sul, para que a inovação tecnológica possa caminhar junto com a produtividade.
“É muito difícil colocar capacitação adquirida no mercado. Para romper o espaço ocupado pelos países desenvolvidos, temos que ter competitividade, o que só é possível com inovação e escala de produção e, juntos, podemos conseguir fazer”, disse.
SEGURANÇA NACIONAL BLOG,SNB

Arquivo do blog segurança nacional