Wikipedia

Resultados da pesquisa

domingo, 6 de outubro de 2013

EUA Shale Gas nenhuma ameaça para Energia Dominance da Rússia - Rosneft

RIA Novosti) - estatal russa de petróleo Rosneft gigante tem planos para extrair petróleo nos próximos 100 anos e não vê nenhuma ameaça significativa do aumento da produção de gás de xisto nos Estados Unidos, CEO Igor Sechin disse a jornalistas no domingo.
"Temos uma perspectiva de 100 anos de trabalho", disse Sechin. "Quanto à prateleira, não temos outra alternativa. Em geral, o óleo precisa ser extraído ", disse ele, acrescentando que a produção de xisto dos EUA é de alto custo, o que torna impossível para exportação.
Relatos da mídia dos EUA disseram nesta semana nos Estados Unidos era esperado para ultrapassar a Rússia como o maior produtor mundial de petróleo e gás natural este ano, graças a um aumento na produção de combustível EUA impulsionada pela tecnologia que permite que as empresas de energia para tocar em petróleo e gás no xisto no subsolo formações rochosas.
Como a extração de energia dos EUA e da produção subiram, as importações de gás natural e petróleo bruto caíram 32 por cento e 15 por cento, respectivamente, nos últimos cinco anos, o Wall Street Journal (WSJ) disse.
Sechin disse Rosneft, que tem 1,5 por cento das reservas exploradas do mundo, estava interessado na parceria internacional e que aderir a altos padrões ambientais.Ele acusou os ativistas da organização sem fins lucrativos organização ambiental Greenpeace, que foram detidos no mês passado por autoridades russas após a realização de uma "manifestação pacífica" contra exploração de petróleo no Ártico russo, de defender os interesses comerciais.
"Olhe para aqueles que lhes pagam, que é seu patrocinador", Sechin disse aos jornalistas.
Rosneft detém actualmente 46 licenças para os depósitos no exterior da Rússia no valor de 42 bilhões de toneladas equivalentes de petróleo. A empresa assinou acordos de cooperação com petróleo dos EUA e gás gigante Exxon Mobil, a italiana Eni ea Statoil da Noruega.
Atualizações em 14.32, as mudanças manchete, levar
SNB

Rússia para receber primeiro navio de guerra Mistral em novembro de 2014

RIA Novosti) - A Marinha da Rússia vai receber seu primeiro porta-helicópteros da classe Mistral da França em 01 de novembro de 2014, uma defesa de alto escalão funcionário da indústria disse à RIA Novosti na sexta-feira.
O Vladivostok, que está sendo construído no estaleiro DCNS, em Saint-Nazaire, está prevista para ser lançada em 15 de outubro.
"Ao longo de um ano, o navio vai estar mais equipado e passam por testes no mar, a fim de ser entregue à Marinha Russa em 01 de novembro de 2014", disse o funcionário.
Rússia e França assinaram um contrato de € 1200000000 (1,6 bilhões) por dois porta-helicópteros da classe Mistral francesa construídas em junho de 2011.
SNB

Argentina adquire Mirage F-1M

A Argentina acaba de confirmar compra de 16 aviões de combate Dassault Mirage F1 de segunda mão recentemente desativados pela Força Aérea da Espanha, negócio avaliado em 170 milhões de euros (aproximadamente US$ 230 milhões). Esse montante financeiro aprovado pela Câmara dos Deputados aguarda agora sinal verde do Senado.
Esses Mirage F1 M (M-modernizado) foram utilizados pela Força Aérea da Espanha ao longo de 22 anos. Metade desse lote será entregue portando sistemas para recepção de combustível no ar (REVO). Ainda não há informações oficiais sobre cronograma de entregas e se há armamentos incluídos no pacote negociado.
Agustin Rossi, ministro da Defesa da Argentina, disse que a Força Aérea de seu país esta antecipando a incorporação dos Mirage F1 em substituição aos Mirage e seus derivados, os quais estão em processo de desativação. Estima-se que a Força Aérea Argentina (FAA) tenha atualmente em seu inventário cerca de 25 “Deltas” entre as versões Mirage, Finger e Mara, alguns deles com mais de 30 anos de serviço e cuja operacionalidade encontra-se em estado critico por força da fadiga, falta de peças e manutenção inadequada.

Desativados em junho último durante cerimonia acontecida na Base Aérea de Los Llanos, Albacete, Espanha, o F1 é um vetor de combate de 3ª geração desenvolvido a partir do inicio dos anos de 1970, exportado para mais de uma dúzia de países e fabricado em larga escala (mais de700 unidades). Os exemplares destinados para a FAA foram modernizados ao longo dos anos da década de 1990 ganhando superior capacidade de fogo e novos aviônicos, entre eles, radar Cyrano IVM (modernizado), compatibilidade com mísseis ar-mar Exocet, sistema inercial de navegação autônoma de precisão a laser apoiado por GPS e novos computadores de missão com a capacidade de alcançar e adquirir alvos.  De acordo com a Força Aérea da Espanha, a baixa altitude o Mirage F1 voa a uma velocidade máxima de 1.320 km/h e possui raio de combate em torno de 800 km.
Os Mirage F1M espanhóis foram sucedidos pelo Typhoon, avião de combate de 4ª geração desenvolvido e fabricado pelo consórcio europeu Eurofighter.
Por Ivan Plavetz...SNB

Arquivo do blog segurança nacional