Wikipedia

Resultados da pesquisa

terça-feira, 11 de dezembro de 2012

Força Aérea Francesa testado com sucesso seu sistema de mísseis SAMP


Força Aérea Francesa testado com sucesso seu sistema de mísseis SAMP / T. Ela primeiro golpe direto destruiu um míssil balístico, voando a uma velocidade de 1000 m / s, a uma distância de mais de10 km.

A primeira intercepção bem sucedida de um míssil balístico foi realizada em 14 de Novembro. Interceptor lançamento de mísseis teve lugar de 30 Aster aterro Biscarrosse, um alvo de míssil balístico lançado simulada a bordo do destróier. Os testes simulados a situação de disparo de sistemas de mísseis soviético modernizado R-17 "Scud" com um alcance de mais500 km. O último teste é um marco importante para o sistema francês e europeu de defesa antimísseis. No ano passado, um teste semelhante já foi destruído com sucesso um alvo simulando um lutador.

SAMP / T desenvolvido em conjunto por cientistas franceses e italianos e deve Zaitov tropas a partir de uma ampla gama de ameaças, incluindo mísseis balísticos com armas de destruição em massa. No verão de 2012 ela completamente assumir a responsabilidade de assegurar a defesa das tropas francesas estacionadas no exterior.

Antiaérea sistema de mísseis SAMP / T tem uma série de características únicas. Antes de mais nada, é o tempo de reacção curto e alta taxa de fogo - até 8 começa dentro de 10 segundos. Além disso, o desenho apresenta um míssil interceptor duas fases Aster-30 pode interceptar alvos altamente manobráveis ​​à distância100 km e altura de 20 kmE de mísseis balísticos a distâncias de até 25 km. Aster-30 míssil pesa510 kgPode acelerar a uma velocidade de 1400 m / s e com uma sobrecarga de manobrar 60 g.

No futuro, a SAMP / T para atingir alvos aéreos, incluindo mísseis balísticos, até 2000 km.

Atualmente disponíveis para a Força Aérea Francesa são sete sistemas SAMP / T, e do exército italiano tem três sistemas.
SEGURANÇA NACIONAL BLOG...

Opinião DE SEGURANÇA NACIONAL BLOG....A presidente da República, Dilma Rousseff.Pode Estar Descartando.. o Rafale Para Assinar Com sistema de mísseis SAMP Aster-30. as Fragatas  Francesa é  italianas Frame, há  Força Aérea Brasileira escolheria O F18 vamos espera para ver??  

Boeing Brasil, DCTA e Inpe

O vice-presidente do Centro de Pesquisa e Tecnologia da Boeing no Brasil, Al Bryant, disse que os acordos não têm conexão com o programa de aquisição dos caças F-X2, da Força Aérea Brasileira (FAB), pois o objetivo da empresa é o de estabelecer uma parceria de longo prazo com o Brasil (Foto: Roberto Caiafa)A companhia estadunidense Boeing assina hoje dois acordos estratégicos com o DCTA (Departamento de Ciência e Tecnologia Aeroespacial) e o Inpe (Instituto Nacional de Pesquisas Espaciais), referências no país na pesquisa e no desenvolvimento de tecnologia aeroespacial e de defesa, mais um passo importante no seu plano desenvolvimento de projetos tecnológicos em parceria com empresas e instituições brasileiras. Para este fim, a empresa anunciou o lançamento, ainda no 1º semestre deste ano, do Centro de Pesquisas e Tecnologias Boeing Brasil. Com previsão de investimentos da ordem de US$ 5 milhões, o novo centro de pesquisa, que será o sexto fora dos Estados Unidos, ficará instalado, provavelmente, em São José dos Campos (já existiria inclusive área reservada para este fim dentro do Parque Tecnológico da cidade). As pesquisas terão foco em desenvolvimento de biocombustíveis sustentáveis de aviação, gestão avançada de tráfego aéreo e biomateriais, entre outras.
 
No campo espacial, a Boeing está de olho nas potencialidades do projeto do Satélite Geoestacionário de Defesa e Comunicações Estratégicas (SGDC), que o Brasil pretende lançar até o fim de 2014. O satélite vai atender o Plano Nacional de Banda Larga e também as necessidades de comunicações estratégicas do governo e das Forças Armadas. O investimento previsto pelo governo brasileiro no projeto é de R$ 720 milhões. A Embraer e a Telebrás criaram a empresa Visiona Tecnologia Espacial S.A para fazer o gerenciamento dos contratos com os fornecedores do satélite. A previsão da Agência Espacial Brasileira (AEB) é que a escolha do fornecedor seja anunciada no começo de 2013. A Boeing, líder mundial no desenvolvimento de satélites geoestacionários para telecomunicações, poderá agregar valor tanto em termos de conhecimento quanto de fixação de novas tecnologias, especialmente na área de monitoramento ambiental e de sensores com aplicação em sensoriamento ambiental. Somente em 2012, a Boeing já assinou três acordos com a gigante brasileira Embraer, nas áreas de biocombustível e cooperação para o desenvolvimento do avião de transporte militar KC-390, e para o fornecimento de sistemas do turboélice de treinamento e ataque leve A-29 Super Tucano.
 
“O fortalecimento de nosso intercâmbio técnico e colaboração para pesquisa e desenvolvimento beneficiará o Brasil, a Boeing e a indústria aeroespacial”, diz o Dr. Matthew Ganz, vice-presidente e diretor geral da Boeing Research & Technology. “Esforçamo-nos para trabalhar mundialmente com os mais renomados pesquisadores para desenvolver tecnologias aeroespaciais que beneficiem nossos clientes, e estas são duas instituições de pesquisa líderes no mundo."
 
“A Boeing está comprometida em trabalhar em parceria com o Brasil para desenvolver tecnologias que possam ser usadas em escala global e esses acordos são mais um passo para a conquista dessa meta", complementa Donna Hrinak, presidente da Boeing Brasil.
 
Sob o primeiro acordo, a Boeing e os institutos de pesquisa do DCTA, entre eles o ITA (Instituto Tecnológico de Aeronáutica), o IAE (Instituto de Aeronáutica e Espaço) e o IEAv ( Instituto de Estudos Avançados), explorarão oportunidades de colaboração nas áreas de ciências de voo, energia e meio ambiente, incluindo biocombustíveis, materiais, sistemas de lançamento espacial, e educação e treinamento em engenharia.
 
“A maior parte das mudanças tecnológicas relacionadas à indústria aeroespacial exige um esforço comum de todos os envolvidos no setor. Temos, por exemplo, o consórcio BOEING-EMBRAER para elaborar um roadmap dos biocombustíveis sustentáveis para a aviação, que tem suporte financeiro da Fundação de Amparo à Pesquisa do Estado de São Paulo (FAPESP) e a participação de muitos outros agentes interessados, tanto do setor governamental quanto do privado”, afirma o Tenente-Brigadeiro-do-Ar Ailton dos Santos Pohlmann, Diretor-Geral do DCTA.
 
Sob o segundo acordo, a Boeing e o INPE explorarão oportunidades nas áreas de sensores remotos para a gestão de culturas energéticas, desenvolvimento e integração de sensores baseados no ar e em terra, fusão de dados para a gestão do uso da terra e integração de sensores para nanossatélites. 
 
“O INPE e a Boeing planejam trabalhar conjuntamente para explorar potenciais colaborações de pesquisa e desenvolvimento de interesse mútuo. Isso será realizado de acordo com legislação de seus países e, inicialmente, terá por foco as áreas de Observação da Terra, Ciência Espacial e Atmosférica e o CTE (Centro de Tecnologias Especiais)”, diz o diretor do INPE, Leonel Perondi.
 
A Boeing Pesquisa e Tecnologia é a organização de pesquisa avançada, tecnologia e inovação da Boeing e trabalha para fornecer uma ampla base de soluções tecnológicas inovadoras e acessíveis para os atuais e futuros sistemas e serviços de aviação. A Boeing Research& Technology-Brasil trabalha com grandes pesquisadores no Brasil e no mundo. Para mais informações, visite o www.boeing.com.br
 
O DCTA é a maior e mais completa organização brasileira de pesquisa e desenvolvimento aeroespacial. Fundado em 1950, o DCTA emprega atualmente milhares de cientistas e técnicos civis e militares.
 
O INPE é um instituto de tecnologia espacial e pesquisa atmosférica internacionalmente reconhecido, tendo desenvolvido e testado vários veículos espaciais, e  pertence ao Ministério Brasileiro de Ciência e Tecnologia.
tecnodefesa...SEGURANÇA NACIONAL BLOG

MBDA produz milésimo míssil Aster

O míssil Aster 30 na versão SAMP-T MLT  (sol-air moyenne portée terrestre), que apresenta alta mobilidade pois está montado sobre caminhão 8x8 da Renault Trucks Defense, sendo conhecido no Exército Francês como MAMBA (Foto: Roberto Caiafa)...O fim de novembro de 2012 marcou a realização de outro marco importante na história da família de mísseis Aster, a montagem, integração e entrega final de 1.000 mísseis, feito atingido pelas instalações de produção da MBDA em Selles-Saint-Denis, na região central da França. Este marco significativo de produção é mais uma prova da maturidade e sucesso da família Aster, mísseis de defesa aérea desenvolvidos através de um grande programa europeu cooperativo liderado pela OCCAR (Organização Conjunta de Cooperação em Material de Armamento), uma organização internacional composta por Bélgica, França, Alemanha, Itália, Espanha e Reino Unido, e cujas atividades envolvem a gestão colaborativa de programas europeus de equipamentos de defesa.A produção do Aster começou em 2006 com uma média de cinco mísseis fabricados por mês. Em 2008 este número aumentou para uma taxa média de 15 unidades. Desde 2011, a produção de uma série completa de mais de 20 mísseis em um mês foi alcançada com êxito, visando atender aos requisitos de entrega dos clientes. Essa conquista foi possível graças às habilidades do programa internacional de gestão da MBDA, que têm servido para otimizar o envolvimento de grandes empresas europeias da indústria de defesa, tais como Avio, Roxel, Thales, Selex, Sagem e Simmel. Testemunho permanente do sucesso desta iniciativa foi fornecida através dos resultados dos últimos 22 disparos realizados, todos bem sucedidos. Além de fornecer uma demonstração clara da robustez do produto, essas missões reais também deram provas da flexibilidade operacional Aster e suas capacidades únicas em relação à intercepção das mais desafiadores ameaças atuais, como mísseis balísticos, mísseis antinavio sea-skimming (voo rasante ao nível do mar) e até mesmo mísseis de cruzeiro supersônicos.

tecnodefesa..SEGURANÇA NACIONAL BLOG

Dilma destaca ação do Brasil contra crise e critica países desenvolvidos


SÃO PAULO - A presidente da República, Dilma Rousseff, afirmou na manhã dessa terça- Agência Estado       feira, 11, em pronunciamento no "Fórum pelo Progresso", em Paris, que os países emergentes mostraram maior capacidade de recuperação e com maior estabilidade macroeconômica. "Não vacilamos em lançar mãos de estímulos fiscais para reduzir impactos da crise", disse.
Ela destacou que o Brasil vem fazendo sua parte para mitigar os impactos no País da crise econômica. "Isso nos permitiu diminuir os efeitos da crise global", disse. Segundo ela, a contribuição brasileira nos próximos meses será uma maior aceleração da economia.
A presidente citou que o cenário do País tem "emprego em patamares extremamente elevados" e que, "em 2009, fomos os primeiros a sair da crise", completou Dilma, lembrando de uma série de ações tomadas pelo ex-presidente Luiz Inácio Lula Silva, seu antecessor e presente no evento. Dilma considerou que as ações tomadas desde 2003, no início do primeiro mandato de Lula, e mantidas por ela, mostram que a "visão incorreta" entre crescimento e austeridade a fiscal foi superada.
Entre as ações do governo, Dilma citou ainda o programa "Brasil sem Miséria", que pretende eliminar a pobreza extrema no País até 2014. "Com políticas de emprego, salário e proteção social criamos grande mercado de massa", afirmou. A presidente lembrou ainda que o País deixou de buscar socorro financeiro ao Fundo Monetário Internacional (FMI) e que hoje é credor global, "o que nos orgulha muito".
Críticas
Ela afirmou que a opção preferencial por políticas ortodoxas em países desenvolvidos não resolvem os problemas da crise. "O que vemos é o agravamento da recessão, aumento de desemprego, desesperança e desalento. A situação fiscal necessariamente se deteriora mais", disse.
Dilma reforçou as críticas contra as ações de países com caminhos de ajustes fiscais e ações de estímulos monetários. "O corte radical de gastos no mundo desenvolvido tem afetado o pilar de bem estar social. Isso afeta uma das maiores obras políticas, que foi a criação da União Europeia e do Euro".
Ela considera a saída da Europa da crise como crucial para o Brasil e para o mundo. "A recessão só torna mais aguda a crise e transforma em insolvência o que no primeiro momento era uma crise de liquidez", concluiu.
SEGURANÇA NACIONAL BLOG

Mulheres devem ter papel crucial no Exército do Afeganistão


Em campo, é difícil notar a diferença, mas nesta base militar homens e mulheres treinam para atuar como soldados lado a lado rumo ao Exército do Afeganistao. O programa é parte das ações da Otan (Organização do Tratado do Atlântico Norte) no país. A aliança militar ocidental planeja devolver a segurança do Afeganistão as tropas locais em 2014, quando as tropas de combate devem deixar o país. As mulheres vêm ganhando cada vez mais importância entre os militares afegãos.
Como soldados, elas podem ter um papel crucial nas operações, por falarem a língua local com as mulheres das regiões tribais e facilitarem o contato entre elas e os militares. No passado, mulheres que atuaram como militares da Otan enfrentaram dificuldades para explicar quem eram durante abordagens no interior do país.
BBC Brasil SEGURANÇA NACIONAL BLOG

Sukhoi Knaapo - Su-35 Stealth Fighter Presentation & Basic Specs [480p]

X-47B Unmanned Combat Air Systems (UCAS) Demonstrator

Compra de caças depende de crescimento, diz Dilma


FERNANDO NAKAGAWA, ENVIADO ESPECIAL - Agência Estado
O Brasil deve retomar o processo de escolha dos novos caças para as Forças Armadas assim que a economia voltar a crescer mais rapidamente. A informação foi dada nesta terça-feira (11) pela própria presidente Dilma Rousseff após reunião com o presidente francês, François Hollande. "Esperamos que o Brasil volte a crescer nos próximos meses de forma que o assunto volte à nossa pauta de prioridades", disse, ao lado de Hollande.
"Adiamos, de fato, a escolha pelos caças. Isso pode levar algum tempo. Isso depende da recuperação (da economia)", disse Dilma. "Essa discussão se desenrolou em 2009 e 2010. Mas diante do aguçamento da crise, o governo brasileiro recuou de uma decisão imediata. E nós, agora, temos visto um aumento do processo de diminuição e estagnação dos rendimentos que nós obtemos para nossas receitas. Isso nos leva a ter extrema cautela ao ter gastos além daqueles que nosso País precisa para sair da crise, como a desoneração e o investimento em infraestrutura", disse.
A França é um dos concorrentes na disputa da compra bilionária que o Brasil planeja fazer e o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva sinalizou preferência pela opção francesa Rafale em detrimento das opções dos Estados Unidos e Suécia. Ao lado de Dilma, o presidente francês François Hollande repetiu que o país pretende oferecer cooperação com o Brasil caso a escolha seja pela França. "Já temos contratos com submarinos, helicópteros e na área espacial. Sempre dissemos que vai haver transferência de tecnologia", disse.
O presidente francês, porém, lembrou que o Brasil tem "liberdade" para fazer a escolha que quiser e no tempo que quiser. "O Brasil tem liberdade para fazer quando e como. Conheço as características do Rafale e acho que não vale a pena repetir o que acho. Não faço nenhuma proclamação aqui. Cabe ao Brasil decidir", disse. 


SEGURANÇA NACIONAL BLOG

ЗРК ПВО С-500

Arquivo do blog segurança nacional