Wikipedia

Resultados da pesquisa

sexta-feira, 2 de novembro de 2012

Quando a cooperação é mais prejudicial que benéfica


Em 31 de outubro de 2012, teve lugar o primeiro voo de um novo caça chinês, J-31, construído na empresa aeronáutica em Shenyang.

Não há dados exatos sobre o novo avião. Mas, a julgar por imagens publicadas, é um caça bimotor leve, parecido com o MiG-29 ou com o F-16. O novo avião é equipado com os motores russos RD-93 ou, menos provavelmente, com seus análogos chineses WS-13.
Dos fatos conhecidos pode ser tirada a conclusão de que o J-31, tal como a primeira máquina chinesa de nova geração, o J-20, imita diretamente tecnologias estrangeiras. A produção em série de caças J-11 testemunha abertamente esta tendência. Estes aviões são praticamente uma cópia dos Su-27SK de projeção soviética, fornecidos em tempos à China.
Destaque-se que o problema de copiar armamentos soviéticos e russos surgiu há muito e não se reduz apenas ao Su-27.
TChina está construindo dezenas de bombardeiros porta-mísseis... endo recebido ainda em 1940-1960 grandes quantidades de armamentos soviéticos e várias linhas de produção, a China começou a construir dinamicamente os equipamentos desenvolvidos nos tempos soviéticos, não suspendendo a construção após o agravamento das relações e a suspensão da cooperação técnico-militar entre a URSS e a China nos anos 60.H-6A China produziu e, na medida de suas possibilidades, desenvolveu modelos de armamentos de todas as espécies – armas de fogo, lança-minas, sistemas de artilharia, veículos de combate blindados, inclusive tanques, sistemas de defesa antiaérea e, finalmente, bombardeiros porta-mísseis de longo curso Tu-16 que, sob o nome de H-6, continuam a constituir a base da aviação estratégica da China.
Todos estes armamentos eram exportados. O material bélico produzido na China foi utilizado (e continua a ser) por países em desenvolvimento ou por aqueles que não podiam comprar armas à União Soviética ou ao Ocidente, tais como a Albânia, Camboja de Pol Pot e outros. Fuzis automáticos AK-47 e metralhadoras DShK de fabricação chinesa eram fornecidos a quaisquer “frentes de libertação” de lemas e a reputação duvidosas.
Estas armas eram utilizadas também contra a URSS, em particular, no Afeganistão: a esmagadora maioria dos armamentos de fogo utilizados por combatentes afegãos foi produzida na China.
Os sistemas soviéticos continuaram a ser copiados após a normalização das relações entre Moscou e Pequim. A China fabricou análogos de modernos mísseis de cruzeiro, de motores de aviação e, finalmente, dos caças Su-27 mencionados acima.
Infelizmente, por enquanto, as relações entre a Rússia e China nesta esfera continuam a não estar regularizadas.
SEGURANÇA NACIONAL BLOG

Arquivo do blog segurança nacional