Wikipedia

Resultados da pesquisa

sexta-feira, 11 de novembro de 2011

Aeronave não tripulada inicia combate na fronteira

São Miguel do Iguaçu - Depois de três anos do início do início dos estudos, o Veículo Aéreo Não Tripulado (Vant), que será operacionalizado pela Polícia Federal para fiscalização das fronteiras e em grandes eventos, foi oficialmente apresentado hoje (10) na Base Aérea da PF em São Miguel do Iguaçu (PR). "Da mesma maneira que o crime se apropria rapidamente da tecnologia, é necessário que os responsáveis pela política de segurança pública também se apropriem da tecnologia", justificou o ministro da Justiça, José Eduardo Cardozo.O Vant tem tecnologia israelense e é utilizado no mundo com objetivos militares. A PF brasileira é a primeira a adaptá-lo para operações de segurança pública. De acordo com o ministro, outras polícias têm procurado informações sobre o sistema. "Deve ser utilizado nas Olimpíadas de Londres", anunciou. Segundo Cardozo, o Vant também ficará à disposição para as ações durante a Copa do Mundo de 2014 e as Olimpíadas de 2016.
O sistema é composto de uma aeronave com cerca de 16 metros de extensão de uma asa a outra e com peso de 1.250 quilos. Mas a tecnologia que carrega permite autonomia de voo para 37 horas, alcançando até 10 quilômetros de altura. Entre os equipamentos estão radares meteorológicos e sensor que capta imagens com total nitidez, permitindo aproximação e coordenadas exatas dos alvos a serem atingidos por equipes em terra. Do alto, a imagem de toda a operação é transmitida para os operadores que estão em contato com os agentes, garantindo mais segurança.
"A ideia é ter integração entre os órgãos para compartilhamento de planejamento e ações", ressaltou o ministro. Em especial citou o trabalho que pode ser feito no combate aos crimes ambientais. A ministra do Meio Ambiente, Izabella Teixeira, era uma das convidadas para o evento. Entre os objetivos do Ministério da Justiça está a utilização do sistema para cobrir todos os 16 mil quilômetros de fronteira, incluindo a complexidade da Floresta Amazônica. "Não se vence desafios sem tecnologia", ressaltou Cardozo.

Santos Lab projeta veículo não tripulado para petroleiras


Rio - A Santos Lab, pequena empresa carioca especializada na construção de veículos aéreos não tripulados (VANTs), acaba de concluir o desenvolvimento de um novo protótipo, o "Carcará 3", veículo preparado para eventual pouso no mar, cujo principal mercado deverá ser a indústria de petróleo no mar, segundo o planejamento dos dirigentes da empresa, os empresários cariocas Gilberto Buffara Jr., administrador de empresas e Gabriel Klabin, desenhista industrial. Segundo Buffara, o novo VANT vai precisar de mais cinco meses de testes para que suas reações sejam previsíveis antes que possa ser comercializado.

O veículo tem três horas e meia de autonomia de voo, pesa oito quilos e tem raio de ação de 45 quilômetros a partir do ponto de decolagem. O empresário disse que o "Carcará 3" será oferecido, prioritariamente, à indústria de petróleo para uso em monitoramento de campos de exploração e produção, detecção e monitoramento de manchas de óleo no mar e, graças a um sensor infra-vermelho, monitorar as chaminés das plataformas de produção à noite. Isso, sem prejuízo de ser utilizado em tarefas terrestres, como monitoramento de dutos, hoje feito remotamente por meio de balões não tripulados, e de linhas de transmissão elétricas.

O "Carcará 3" é a terceira geração do projeto "Carcará" da empresa carioca que já inclui os modelos 1 e 2, ambos vendidos à Marinha do Brasil para uso em várias atividades, como monitoramento de áreas, operações de salvamento e como orientadores de navegação em rios sinuosos. Segundo Buffara, a Marinha comprou 36 unidades do "Carcará 1" e três do "Carcará 2". O empresário disse que ainda não está definido o preço do novo VANT. O "Carcará 2" foi vendido à Marinha por R$ 630 o kit com três aviões e uma estação de controle.

Toda a família tem propulsão a bateria. Há alguns anos os veículos vêm sendo testados por órgãos de segurança de vários Estados para uso no combate à criminalidade em locais de difícil acesso, como as favelas do Rio de Janeiro. Segundo Buffara, apesar do sucesso dos testes já feitos, a maior dificuldade para a compra dos VANTs por esses órgãos de segurança é a falta de uma legislação específica que regulamente o voo desses veículos.

No primeiro semestre, a Santos Lab assinou com a Embraer um acordo de parceria que, segundo Buffara, tem o objetivo de desenvolver um conjunto de VANTs com peso máximo de 25 quilos. O acordo, segundo o empresário, foi assinado com a Embraer Defesa e Segurança, braço da fabricante de aviões que atua na área de radares, integração de sistemas, VANTs e outros equipamentos.

Para veículos aéreos não tripulados de peso superior a 25 quilos a parceria da Embraer foi feita com a empresa israelense Elbit, segundo Buffara, a maior empresa privada da área de segurança daquele país e uma das mais ativas no mercado de VANTs. A Santos Lab possui uma pequena fábrica no bairro carioca do Rio Cumprido (zona norte), contando com oito empregados, entre eles dois engenheiros alemães que, segundo Buffara, antes trabalhavam para a Nasa, a agência aeroespacial americana.

Morcego Negro BR55-2

MORCEGO NEGRO,caça do futuro
ester projeto do morcego negro br55-2
foi desinvolvido em 1970 no meus pensamentos era um dia de ceu muito.>
azul do tipo ceu de brigadeiro eu vim um avião passar eu pensava porque avião tem-asas para tras e nuca para frente-
pos veja o novo coceito de asas delta negativo do morcego negro sabemos que americano desinvolve aeronaves deste coceito pos seu projetistas sam muito boms...mais os projetistas brasileiro estes estão dormindo sem fazer absolutamente nada eu mesmo fiz esta market um tanto rustica mais os americano tem ja o modelo que eu queri ver esta no videos do Discovery Channel
enfim morcego negro o caça do futuro

Combates Aereos del Futuro


Arquivo do blog segurança nacional