Wikipedia

Resultados da pesquisa

quinta-feira, 8 de setembro de 2011

Atentados de 11 de Setembro

O Caminho Para o 11 de Setembro - Capítulo 1

Desfile Cívico-Militar de 7 de setembro de 2011 em Brasília, DF


Imagem: IG Último Segundo
Sugestão: Gérsio Mutti



Melhores momentos do Desfile Cívico-Militar de 7 de setembro de 2011 apresentado pela TV NBR em comemoração ao Dia da Independência realizado na Esplanada dos Ministérios em Brasília, DF, com a apresentação de blindados militares do Corpo de Fuzilleiros Navais da Marinha do Brasil e do Exército 
Brasileiro, inclusive do protótipo Guarani da Empresa Iveco Veículos de Defesa.

Nasa adia lançamento de missão para estudar gravidade da Lua

WASHINGTON - A Nasa adiou nesta quinta-feira, 8, o lançamento uma nova missão à Lua, a Grail, por 24 horas. A agência espacial havia previsto o lançamento para 10h16, mas estabeleceu um período de até 42 dias para a partida da missão.

Dois satélites idênticos serão lançados abordo do foguete United Launch Alliance Delta 2 para revelar as peculiaridades do campo gravitacional da Lua 

Mais de 100 espaçonaves já estiveram na Lua, incluindo seis tripuladas com astronautas norte-americanos, mas os cientistas ainda não têm uma peça chave de informação sobre o satélite: o que há dentro dele.
Aprender sobre o interior da Lua e seu campo gravitacional é o objetivo primordial da missão da Nasa chamada Gravity Recovery and Interior Laboratory, ou Grail (Graal, em português). As duas sondas proporcionarão imagens em raios X da crosta e do núcleo da Lua
Dois satélites idênticos serão lançados abordo do foguete United Launch Alliance Delta 2 para revelar as peculiaridades do campo gravitacional da Lua, o que dará aos cientistas pistas sobre o interior do satélite da Terra. A missão também ajudará a agência espacial americana a ter mais conhecimento sobre o satélite e aprimorar suas estimativas no caso de voltar a enviar homens à Lua novamente.
Entre outras utilidades, as medidas que serão tomadas pela Grail ajudarão a entender melhor a relação entre a Terra e seu satélite natural, segundo explicou recentemente o diretor da Divisão de Ciências Planetárias do quartel-general da Nasa em Washington, Jim Green.
De maneira geral, a Lua tem um sexto da gravidade da Terra, mas ela não é distribuída de maneira uniforme. No satélite, uma montanha pode realmente ser oca, gravitacionalmente falando. "Às vezes você vê uma grande montanha e espera um grande sinal de gravidade, mas na verdade você não recebe nenhum sinal adicional", disse Sami Asmar, cientista do projeto Grail.
Cientistas acreditam que os blocos que constituem a Lua são grandes pedaçoes de detritos que se desprenderam da Terra após uma colisão com um objeto tão grande quanto Marte. Além de esclarecer a origem da Lua, os cientistas pretendem levar seus achados para outros corpos rochosos.
Os dos satélites Grail vão realizar uma longa jornada pela Lua, chegando entre 31 de dezembro e 1º de janeiro. Depois de alguns meses para manobrar e entrar na órbita apropriada, os dois irão passar 82 dias voando sobre os polos lunares, ligados por ondas de rádio.
Quando uma das sondas passar por um ponto de gravidade mais alta, ela irá acelerar, mudando momentaneamente sua distância até a sonda-gêmea. Regiões menos densas também irão afetar a posição dos satélites. Usando as ondas de rádio como guias, mudanças de até um mícron - o tamanho de uma hemácia - podem ser detectadas.
Com os mapas de gravidade em mãos, os cientistas pretendem usar modelos computacionais e dados de outras missões lunares para determinas se o interior da Lua é sólido, líquido ou uma combinação dos dois.


Embraer faz parceria na área de veículos não tripulados


AE - Agencia Estado
SÃO PAULO - A Embraer Defesa e Segurança e a AEL Sistemas, uma subsidiária da empresa israelense Elbit Systems, fecharam uma parceria para criar a Harpia Sistemas, que tem como foco a exploração do mercado de veículos aéreos não tripulados, chamados Vant. A Embraer Defesa e Segurança detém 51% do capital social da Harpia e a AEL, 49%. Como parte desta parceria, e com o objetivo de participar no processo de transferência de tecnologia para o Brasil, a Embraer Defesa e Segurança fará a aquisição de 25% do capital social da AEL.
A Harpia, com sede em Brasília, fabricará, comercializará e dará suporte de pós-venda de Vant, simuladores e atividades de modernização de sistemas aviônicos. Segundo a Embraer, a empresa oferecerá soluções mais abrangentes em sistemas complexos, aumentando a oferta de produtos genuinamente brasileiros no mercado de defesa e segurança.
"Entre as diretrizes da estratégia nacional de defesa estão a busca de parcerias para o desenvolvimento e capacitação tecnológica e a fabricação de produtos de defesa nacionais", disse, em comunicado, o presidente da Embraer Defesa e Segurança, Luiz Carlos Aguiar. "A criação da Harpia será um importante instrumento para atender às necessidades das forças armadas e de segurança." O executivo da Embraer Rodrigo Fanton, anteriormente dedicado à área de suprimentos, foi designado CEO da nova empresa.
A AEL foi uma das primeiras fornecedoras de sistemas para o turboélice de treinamento básico Tucano e o caça subsônico AMX, aeronaves fabricadas pela Embraer nas décadas de 1980 e 1990. Atualmente, a empresa fornece o sistema aviônico do turboélice de ataque leve e treinamento avançado Super Tucano e dos caças F-5M, modernizados pela Embraer para a Força Aérea Brasileira (FAB).

Arquivo do blog segurança nacional