Wikipedia

Resultados da pesquisa

quarta-feira, 10 de novembro de 2010

O Programa de Desenvolvimento de Submarino com Propulsão Nuclear, Almirante-de-Esquadra José Alberto Accioly Fragelli

Palestra Petrobras: Desafios e Oportunidades do PRÉ-SAL

Escrito por Felipe Salles



Como maneira de dar aos seus leitores uma melhor e mais clara percepção do pensamento atual dentro dos gabinetes da Marinha do Brasil e do Ministério da Defesa, Alide obteve com exclusividade esta apresentação proferida durante o recente seminário "Amazônia Azul" na EGN pelo do sr José Eduardo Bucheb da Petrobras. As riquezas do pré-sal na costa brasileira apresentam um papel duplo na cabeça dos líderes do governo atual. Elas são, simultâneamente, a razão mestra para a expansão e reformulação completa da nossa marinha, e também a fonte dos amplos recursos necessários para esta modificação. A apresentação em power point pode ser obtida aqui:


Ao lado de conceitos bem tradicionais, pode-se perceber uma importante modificação filosófica, mais alinhada com as políticas exteriores do Governo Lula e do futuro governo Dilma. Neste novo "mundo"o Brasil se afasta do tradicional parceria automática com os EUA e com as potencias européias, em prol de uma posicionamento geo-político/militar bem mais independente e com um direcionalmento claramente em direção ao continente africano. Além desta apresentação, não deixem de olhar também as palestras do Ministro Jobim e do Almirante Fragelli.



O interessante é saber, agora, o quanto mais este novo viés se desenvolverá ao longo do governo que se inicia em 1o de janeiro de 2011.
Escrito por Felipe Salles



Como maneira de dar aos seus leitores uma melhor e mais clara percepção do pensamento atual dentro dos gabinetes da Marinha do Brasil e do Ministério da Defesa, Alide obteve com exclusividade esta apresentação proferida durante o recente seminário "Amazônia Azul" na EGN pelo Almirante (FN) Alvaro Augusto Dias Monteiro apresentação em power point pode ser obtida aqui:


Ao lado de conceitos bem tradicionais, pode-se perceber uma importante modificação filosófica, mais alinhada com as políticas exteriores do Governo Lula e do futuro governo Dilma. Neste novo "mundo"o Brasil se afasta do tradicional parceria automática com os EUA e com as potencias européias, em prol de uma posicionamento geo-político/militar bem mais independente e com um direcionalmento claramente em direção ao continente africano. Além desta apresentação, não deixem de olhar também as palestras do Ministro Jobim, do sr Racheb da Petrobras e do Almirante Fragelli



O interessante é saber o quento mais este novo viés se desenvolverá ao longo do governo que se inicia em 1o de janeiro de 2011.

O submarino nuclear russo "São Jorge" retornou à sua base naval.

O submarino nuclear russo "São Jorge" retornou à sua base naval na Península de Kamchatka, depois de concluir com êxito manobras militares, informou o serviço de imprensa da frota russa do Pacífico.




"Um vez que o submarino nuclear atracou e o relatório de capitão Anatoly Nesheret foi entregue, o comandante da frota russa no Pacífico, Almirante Sergei Abakayan, felicitou a tripulação e entregou ao capitão o tradicional porco assado", disse a fonte.



Da mesma forma, o serviço de imprensa adicionou que os submarinos da classe "São Jorge" [Nota da ALIDE: na realidade o submarino K-433 Svyatoy Georgiy Pobedonosets pertence à classe russa Project 667BDR/"Kalmar". Na terminologia da OTAN ele é um submarino lançador de mísseis balisticos da classe "Delta III"] formam atualmente a base das forças nucleares estratégicas da Rússia no Oceano Pacífico.



Em Outubro, o submarino "São Jorge" realizou desde o mar de Okhotsk, o lançamento de um míssil balístico de intercontinental em direçao ao polígono militar de "Chizha", localizado no Mar Branco, do lado europeu da Rússia.



O lançamento do míssil balístico pelo "São Jorge", em posição submergida, fazia parte de uma série de testes de outros mísseis balísticos, como o Sinevá lançado desde o submarino "Briansk" em águas do Mar de Barents e do lançamento de teste do novo míssil Bulavá, feito apartir do submarino "Dmitri Danskoi".



Fonte: RiA Novosti

Arquivo do blog segurança nacional