Wikipedia

Resultados da pesquisa

sexta-feira, 9 de julho de 2010

Militares realizam treinamento de artilharia antiaérea em Boa Vista


No Cenário simulado montado em Boa Vista, paralelamente ao treinamento das unidades de caça da Força Aérea Brasileira (FAB), acontece o Exercício SISDABREX, realizado sob o Comando do Comando de Defesa Aeroespacial Brasileiro (COMDABRA)




O Exercício tem o objetivo de propiciar o treinamento e o aperfeiçoamento dos meios da 1ª Brigada de Artilharia Antiaérea (Bda AAA) do Exército Brasileiro na defesa de um Ponto Sensível para o Poder Militar Brasileiro, neste caso o aeródromo da Base Aérea de Boa Vista (BABV).



Nesse contexto, quando as aeronaves realizam o regresso das missões, poderão se tornar potencias alvos dos meios de Defesa Antiaérea, acionados por intermédio dos sistemas de Controle e Alerta, Comunicação e de Armas, que funcionam de forma coordenada.



Primeiramente, o Sistema de Controle e Alerta, composto pelos meios do Centro Integrado de Defesa Aérea e Controle de Tráfego Aéreo (CINDACTA IV) e do radar SABER, realiza a detecção dos alvos à baixa altura e em condições de emprego. No mesmo instante, o Sistema de Comunicação, através do Centro de Operação, repassa a informação ao Sistema de Armas, que acionará o lançamento do míssil IGLA-S em direção ao alvo.



Todas as aeronaves que podem vir a ser detectadas como alvos inimigos são potenciais alvos do míssil IGLA-S. Assim, um simulador no Sistema de Armas apreende o alvo pelo princípio de fonte de calor. Para o Chefe da Subseção de Operações Antiaéreas do COMDABRA, Tenente-Coronel Ricardo Cardoso, “a partir do simulador no Sistema de Armas, os militares têm condições de verificar se o alvo foi engajado, e, desse modo, treinar os militares que realizam a defesa antiaérea.”



A Artilharia Antiaérea utiliza, entre outros meios, o corredor de segurança e o Sistema Eletrônico de Identificação Amigo-Amigo(IFF), que, de acordo com o Tenente-Coronel Cardoso, “possibilita a identificação das aeronaves do país amigo, evitando a possibilidade de atingir uma aeronave amiga.”



Formadas pelo 2º Grupo de Artilharia Antiaérea do Exército, cinco unidades de tiro estão localizadas na BABV e serão acionadas de acordo com a proximidade das aeronaves-alvo do aeródromo de Boa Vista.

Arquivo do blog segurança nacional