Wikipedia

Resultados da pesquisa

segunda-feira, 12 de abril de 2010

Os Estados Unidos e o Brasil assinaram nesta segunda-feira, em Washington, um acordo de cooperação militar, o segundo do governo de Barack Obama com um país latino-americano, depois do que foi firmado com a Colômbia, motivo de grande polêmica na região.




A assinatura foi feita no Pentágono pelo secretário de Defesa americano, Robert Gates, e o ministro da Defesa do Brasil, Nelson Jobim.




"Este acordo formaliza os inúmeros interesses em matéria de segurança e valores que compartilhamos enquanto nações com maior população do continente americano", disse Gates à imprensa, após a solenidade.



Destina-se a promover a colaboração entre os dois países em matéria de conhecimentos militares, treinamento, exercícios conjuntos e projetos comerciais, destacou Robert Gates.




"Seus termos em nada ferem os princípios das Cartas da ONU e da OEA de respeito à soberania, de não intervenção nos assuntos internos dos países", deixou claro o ministro Nelson Jobim.




O acordo, que prevê a cooperação entre as indústrias de defesa de ambos os países, foi subscrito num momento em que o governo de Luiz Inacio Lula da Silva estuda a compra de aviões para sua força aérea - uma corrida à qual se lançou o fabricante americano Boeing para fornecer aviões F/A-18 Super Hornet de combate ao Brasil. O francês Dassault, com os Rafael - preferidos por Lula- e o sueco Saab com os Gripen NG estão igualmente em disputa para conseguir este contrato de vários bilhões de dólares relativo à licitação para a compra de 36 aviões.




No dia 7 de abril, Jobim havia informado que entregaria nesta semana seu relatório sobre a aquisição de aviões de caça ao presidente brasileiro. Lula deverá, em seguida, convocar e ouvir o Conselho Nacional da Defesa para, enfim, anunciar sua escolha.




Segundo o embaixador americano em Brasília, Thomas Shannon, "é importante deixar claro que o acordo de cooperação tem impacto muito maior do que apenas o intercâmbio de equipamentos militares ou venda de um sistema", assinalou.




A cláusula que garante o respeito à soberania "reflete a linguagem da Unasul (União de Nações Sul-Americanas, que se mostrou suscetível ao uso americano de bases colombianas), tendo sido proposta pelo Brasil e aceita pelos Estados Unidos", disse Shannon.




Jobim afirmou que o acordo também "ajuda" a uma eventual venda aos Estados Unidos de aviões supertucano da brasileira Embraer, que participa de outra licitação.



O secretário Gates elogiou a cooperação mantida pela Missão das Nações Unidas para a Estabilização no Haiti (Minustah), liderada pelo Brasil, e as tropas que os Estados Unidos enviaram ao Haiti depois do terremoto devastador de 12 de janeiro.




"A cooperação em defesa entre Estados Unidos e Brasil marca um importante exemplo, uma relação que destaca um modelo positivo e transparente para a cooperação na América", disse Gates.




Os Estados Unidos e o Brasil vêm divergindo em relação à política a ser seguida com o Irã, acusado pelas potências ocidentais de querer adquirir a bomba atômica a pretexto de atividades civis. Washington e seus aliados se pronunciaram por novas sanções contra Teerã, enquanto que o presidente brasileiro Luis Inacio Lula da Silva adverte contra tal gesto.
BRASIL X EUA
O brasil quer ter um sistema de defesa anti aéria será que os americano vai libera os patriota ja que este acordo militar esta muito estranho pessoalmente eu acho que o brasil esta recebendo  pressâo do capitão américa vamos ver no que da mais ester acordo militar com o tio sam seria muito bom este acordo  miltar
O ministro da Defesa, Nelson Jobim, disse nesta segunda-feira em Washington que agora o Pentágono poderá comprar aviões super tucanos brasileiros sem ser preciso haver uma licitação. As declarações foram dadas em entrevista coletiva à imprensa, depois do encontro com o secretário de Defesa americano, Robert Gates, para assinar o Acordo de Cooperação de Defesa entre o Brasil e os EUA.




"É algo que, com o acordo, agora o governo pode decidir fazer", disse o ministro. O Brasil ofereceu aos EUA 200 aviões super tucanos. Metade destes podem ser entregues imediatamente e os 100 aviões restantes seriam entregues em médio prazo.



"Os EUA não têm aviões para operações contra insurgência como os super tucanos e seria importante para o Brasil entrar neste mercado", falou Jobim. O ministro da Defesa também comentou a recente celebração do Tratado START 2 entre os EUA e a Rússia. "Mexer em desarmamento não deve significar de modo algum mexer no direito dos países desenvolverem urânio", afirmou.



As possíveis sanções ao Irã, que serão um dos temas debatidos durante a Cúpula de Segurança Nuclear realizada nesta segunda-feira e terça-feira na capital americana, também foram comentadas por Jobim. "Bomba atômica está fora de cogitação, mas o Irã precisa ter uma garantia do mundo de que não será atacado", disse ele. O ministro falou que para isso seria preciso um maior fortalecimento da Organização das Nações Unidas
SÃO PAULO, 11 ABR (ANSA) – O presidente Luiz Inácio Lula da Silva e o premier italiano, Silvio Berlusconi, manterão um encontro bilateral nesta segunda-feira em Washington, a partir das 14h15 (15h15 no horário de Brasília).






Os dois chefes de Governo estarão na capital dos Estados Unidos para participar da Cúpula de Segurança Nuclear, convocada pelo presidente norte-americano, Barack Obama. O evento reunirá governantes de mais de 40 países e termina na terça-feira.





Após as conversas, Lula e Berlusconi presidirão uma cerimônia para a assinatura de atos, às 14h45 locais. O encontro ocorrerá na residência da Embaixada do Brasil e contará também com a presença do chanceler Celso Amorim.





Os temas bilaterais incluiriam, além da série de acordos econômicos — entre os quais poderia estar a venda de navios à Marinha brasileira –, o caso de Cesare Battisti, ex-integrante do grupo de esquerda Proletários Armados pelo Comunismo (PAC) que está detido no Brasil e cuja extradição é requisitada pela Itália.





Condenado em seu país de origem, Battisti foi preso no Rio de Janeiro em 2007. No ano passado, o Supremo Tribunal Federal (STF) anulou o refúgio político que havia sido concedido a ele pelo ministro da Justiça, Tarso Genro, acatando assim o pedido italiano.





A decisão final sobre o caso — que gerou uma crise entre ambas nações — está agora nas mãos de Lula, que ainda não se pronunciou. Por isso, o encontro entre os dois líderes pode ser decisivo e incluir eventuais “garantias” de Berlusconi a seu colega brasileiro.





Estava previsto que o premier italiano viesse ao país sul-americano no início de março, mas a visita foi cancelada por questões de agenda.





Além de se reunir com o líder europeu, Lula também verá nesta segunda-feira o primeiro-ministro do Japão, Yukio Hatoyama, e o da Turquia, Recep Erdogan. A recepção aos membros da Cúpula de Segurança Nuclear está marcada para as 18h15 locais.





O brasileiro embarcaria para os Estados Unidos ainda neste domingo às 15h, com desembarque previsto para as 23h40 locais. Já Berlusconi chegará a Washington na segunda-feira e discursará no evento na terça-feira pela manhã. (ANSA).



Nota do Blog. SEGURANÇA X NACIONAL E PLANO BRASIL



A Matéria não menciona, porém é de conhecimento geral que um dos temas que estará na pauta nas reuniões entre os chefes de estado, encontra-se uma negociação envolvendo navios de guerra ( provavelmente as fragatas Fremm) bem como os navios de patrulha oceânica (OPV) para a Marinha do Brasil.
A DCNS vai apresentar no próximo dia 04 a primeira fragata multimissão da classe FREMM (Frégate Européenne Multi-Missions) da Marinha Francesa (Marine Nationale) perante altas entidades políticas e industriais. O navio, a D630 FS Aquitaine, em finalização nas instalações da empresa em Lorient, será entregue em agosto de 2012.




Alguns dias antes, o navio será retirado do cais e transferido para o molhe onde receberá o mastro assim como os diversos sistemas de armas. Uma segunda unidade, a D631 FS Normandie, está sendo construída desde outubro de 2009 (ver T&D nº 119), e tem sua entrega prevista para maio de 2014.



A DGA (Délégation Générale de l´Armement) adquiriu 11 navios da DCNS através do OCCAR (Organisation Conjointe de Coopération en matière d´ARmement), em contratos assinados em novembro de 2005 e em setembro de 2009, para os três últimos navios. A frota substituirá, até março de 2022, as Classes Tourvile, George Leygues e D´Estiène D´Orves. Nove delas serão da versão de luta anti-submarina e duas configuradas para defesa antiaérea, as quais serão designadas de FREDA (FRÉgate de Défense Aérienne).






Todas serão dotadas, entre outros, com o sistema de combate SETIS da DCNS, o sonar de casco Thales Underwater Systems 4110-CL, o dispositivo de navegação inercial Sagem Défense Sécurité SA SIGMA 40P, o radar multifunções Thales HERAKLES, o radar de detecção Thales ARTEMIS, o sistema de lançamento de despistadores Sagem Défense Sécurité SA NGDS (New Generation DAGAIE System), o diretor de tiro Sagem Défense Sécurité SA NAJIR MM, um sonar rebocado, diversos sistemas de comunicações, Comando e Controle e de Guerra Eletrônica, sistemas verticais de lançamento DCNS SYLVER (SYStème de Lancement VERtical) e ainda duas embarcações de intervenção semi-rígidas.




O armamento básico consiste numa peça de 76mm Oto Melara SpA Super Rapid, dois sistemas de lançamento para 19 torpedos EuroTorp MU-90 Impact e ainda peças de 12.7 mm.



No caso da versão ASW (Anti Submarine Warfare), contam com oito mísseis antinavio MBDA Exocet MM40 Block 3, 16 mísseis de defesa antiaérea ASTER 15 e com 16 mísseis de longo alcance MBDA SCALP (Système de Croisière Autonome à Longue Portée) também conhecido por MdCN (Missile de Croisière Naval). Para os mísseis ASTER 15, será integrado o sistema de lançamento SYLVER A-15, enquanto que para o míssil SCALP, os navios receberão a versão A-70. As duas FREDA serão dotadas com oito mísseis MBDA Exocet MM40 Block 3, 16 mísseis antiaéreos MBDA ASTER 15 e ainda 16 ASTER 30. A empresa constrói ainda uma destinada à Marinha Real do Marrocos (al-Bahriyya al-Malakiyah), cuja entrega está planejada para 2013

Arquivo do blog segurança nacional