Wikipedia

Resultados da pesquisa

domingo, 10 de janeiro de 2010


Novo Relatório da FAB Coloca Rafale em Vantagem no FX-2




Como eu já tinha antecipado, aquele relatório levantado pela Folha de São Paulo e divulgado por toda a imprensa, e que causou toda essa confusão por sua divulgação por baixo dos panos por gente da FAB, era antigo e defasado (setembro de 2009). Ele apontava o Gripen NG como vencedor.



Saiu ontem o novo relatório e as posições se inverteram, pois uma decisão de Defesa da soberania do Brasil não pode se resumir ao aspecto “preço de laranja na feira na hora da xepa”. Hoje mesmo, a Folha continua descrevendo as vantagens e virtudes do Gripen sueco, já fora de hora. Tirem suas conclusões.



O novo relatório demonstra que o Rafale e o Super Hornet contam com características técnicas e militares superiores aos Gripen NG dos suecos. Isso sim é que tem que ser levado em conta na hora de enviar os pilotos para a frente de batalha, de onde podem retornar se a decisão de compra não for baseada em qual caça é mais barato ou mais “intere$$ante”.



Outros aspectos imbatíveis do Rafale são a ausência de partes americanas, sempre embargáveis, e a transferência tecnológica. De tudo isso, só resta o Rafale F3, pelo qual o Brasil pagará o mesmo que a França paga a Dassault hoje.



Com a diferença que o Brasil não gastou um centavo sequer no desenvolvimento de vetores de superioridade aérea em décadas e agora leva todo o desenvolvimento de graça.



Para um Gripen, o Brasil terá que embarcar em uma aventura que poderá resultar em sobrepreços absurdos no estilo do Typhoon e no fiasco do cargueiro A-400M da EADS. Isso se o projeto não ficar pelo meio do caminho com a falência da SAAB, pois a Suécia não é nenhuma potência econômica e meia Europa está falida ou para falir.



Todo esse risco não compensa e joga toda a teoria dos “gripeiros” da “pulga voadora” por terra se pensarmos na cereja em cima da torta, o fato evidente e historicamente comprovado de que os americanos poderão vetar partes dos motores dos caças suecos já em operação aqui, mantendo-os em terra na hora em que o Brasil mais necessitar deles.



Nessa hora, o Brasil terá que capitular ao inimigo e chorar a derrota humilhante, perdendo até mesmo sua Amazônia. Isso é pensar em estratégia. O resto deixemos para conversar no botequim depois do expediente e da praia.eu vejo o brasil com seus estrategistas militar no bar bebados echorando amarga- mente que vergonha do poder militar brasileiro falta comando do proprio ministro da defesa vamos ficar esperando,O Rafale

Arquivo do blog segurança nacional